Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Senado busca consenso para votar reforma política 25/06/2013

Brasília – A ideia de uma reforma política por meio de uma proposta de emenda à Constituição começou a ganhar força no Senado, depois de uma reunião entre o presidente Renan Calheiros (PMDB-AL) e líderes de partidos da oposição. Calheiros vai ouvir as lideranças da base governista para tentar consenso sobre os instrumentos para viabilizar as mudanças.

Depois de ouvir os líderes, o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Marcus Vinicius, Renan Calheiros deve vai conversar com a presidenta Dilma Rousseff. A reunião entre Renan e Dilma está marcada para as 17h30, no Palácio do Planalto.

Para o senador Pedro Taques (PDT-MT), uma emenda constitucional seria o melhor instrumento para viabilizar a reforma política. “Aqui [no Congresso Nacional] existem propostas de emenda, as mais maravilhosas possíveis. O que falta é vontade política para aprovar. Se o Poder Executivo, que tem a maior base da história brasileira, desejar aprovar as propostas, as propostas serão aprovadas, mas se faltar a vontade política, eu entendo que temos que buscar outros mecanismos”, alertou.

Taques defendeu que o financiamento público de campanha esteja entre os temas prioritários da proposta, mas lembrou que a reforma política não pode ser confundida com reforma eleitoral. Segundo ele, temas como a relação entre os Poderes Executivo e Legislativo também devem estar no debate.

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) defendeu que a reforma política seja feita a partir de uma PEC e que o detalhamento da proposta saia do Planalto. “Ela [presidenta, Dilma Rousseff] não pode, simplesmente, jogar para o Congresso a responsabilidade de votar algo que, aqui, sabe-se que é extremamente polêmico”, disse.

“Nós achamos que este é o leito mais seguro, mais natural. Uma reforma que possa ser discutida pelo Congresso e, se aprovada, submetida a um referendo da população brasileira”, disse.

O presidente do PSDB disse que a oposição vai apresentar um conjunto de iniciativas que dependem exclusivamente do governo federal nas áreas de saúde, educação e segurança pública. (da Agência Brasil, Carolina Gonçalves e Karine Melo)



Últimas

2020/10/22 » Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos
2020/10/22 » Opas: América Latina não deve relaxar enfrentamento à pandemia
2020/10/22 » Faturamento do setor de turismo no Brasil tem redução de 33,6% em 2020
2020/10/21 » Setor mineral brasileiro tem resultado positivo no 3º trimestre
2020/10/21 » Decreto inclui Linha 2 do metrô de BH em programa de privatizações
2020/10/21 » Não investir no Brasil será um grande erro, afirma ministro
2020/10/21 » Inflação do aluguel sobe de 18,20% para 20,56% em 12 meses
2020/10/20 » Pacote comercial abre caminho para acordo mais amplo, diz governo
2020/10/20 » SP:acordo da ANTT permite investimento de R$ 6 bi em malha ferroviária
2020/10/20 » Como fazer a amortização do FGTS pelo celular
2020/10/19 » Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens
2020/10/19 » Doria apresenta plano de retomada econômica de São Paulo
2020/10/19 » Produção brasileira de aço cresce 7,5% em setembro
2020/10/16 » Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro
2020/10/16 » Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central
2020/10/16 » Rebanho bovino cresce em 2019, influenciado pelo cenário externo
2020/10/15 » Produção de motocicletas aumenta 13,1% em setembro
2020/10/15 » Ministério entrega à Presidência projeto de privatização dos Correios
2020/10/15 » Programa de suspensão de contrato e redução de jornada é prorrogado
2020/10/14 » Guedes defende reformas e rigor fiscal pós-pandemia a comitê do FMI

Ver mais »