Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Pacote de R$ 50 bilhões para mobilidade urbana não prejudicará meta fiscal, diz secretário 25/06/2013

Brasília – O pacto de R$ 50 bilhões para mobilidade urbana, anunciado ontem (24) pela presidenta Dilma Rousseff , não prejudicará o cumprimento da meta fiscal, disse hoje (25) o secretário do Tesouro Nacional, Arno Augustin. Ele disse que ainda não está definido de onde virá o dinheiro, mas ressaltou que o governo manterá o compromisso de economizar pelo menos 2,3% do Produto Interno Bruto (PIB) neste ano.

O secretário lembrou que a responsabilidade fiscal é um dos pactos propostos pela presidenta e é essencial para manter o equilíbrio da economia. “A responsabilidade fiscal é um dos pilares que permitiu ao Brasil melhorar os fundamentos econômicos”, declarou.

De acordo com o secretário, a melhoria da infraestrutura urbana é compatível com a política econômica dos últimos anos, que tem buscado privilegiar os investimentos sem deixar de lado o cumprimento das metas fiscais. “Há coerência nas políticas anunciadas [pela presidenta Dilma Rousseff]. A programação é coerente com os compromissos fiscais. É um desafio aumentar a infraestrutura, mas estamos vencendo”, disse.

Augustin destacou ainda que o detalhamento de onde virão os R$ 50 bilhões anunciados pela presidenta Dilma Rousseff será divulgado em breve, mas não indicou nenhuma data. Segundo ele, mesmo que novos cortes de gastos sejam necessários, o contingenciamento – bloqueio de verbas – não afetará os investimentos. Somente no fim de julho, será anunciada a revisão da programação orçamentária para 2013.

O secretário também descartou a possibilidade de usar o Fundo Soberano do Brasil (FSB) para ampliar os investimentos públicos sem descumprir a meta ajustada de 2,3% de superávit primário – economia de juros para pagar a dívida pública – para este ano.

Formado com uma poupança excedente de 0,5% do PIB em 2008, o Fundo Soberano originalmente tinha em torno de R$ 15 bilhões. No fim do ano passado, R$ 12 bilhões do fundo foram usados para fechar as contas do Governo Central e garantir o cumprimento da meta de superávit primário. Restam pouco mais de R$ 2 bilhões parados em um fundo privado administrado pelo Banco do Brasil. (da Agência Brasil, Wellton Máximo)



Últimas

2020/10/22 » Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos
2020/10/22 » Opas: América Latina não deve relaxar enfrentamento à pandemia
2020/10/22 » Faturamento do setor de turismo no Brasil tem redução de 33,6% em 2020
2020/10/21 » Setor mineral brasileiro tem resultado positivo no 3º trimestre
2020/10/21 » Decreto inclui Linha 2 do metrô de BH em programa de privatizações
2020/10/21 » Não investir no Brasil será um grande erro, afirma ministro
2020/10/21 » Inflação do aluguel sobe de 18,20% para 20,56% em 12 meses
2020/10/20 » Pacote comercial abre caminho para acordo mais amplo, diz governo
2020/10/20 » SP:acordo da ANTT permite investimento de R$ 6 bi em malha ferroviária
2020/10/20 » Como fazer a amortização do FGTS pelo celular
2020/10/19 » Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens
2020/10/19 » Doria apresenta plano de retomada econômica de São Paulo
2020/10/19 » Produção brasileira de aço cresce 7,5% em setembro
2020/10/16 » Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro
2020/10/16 » Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central
2020/10/16 » Rebanho bovino cresce em 2019, influenciado pelo cenário externo
2020/10/15 » Produção de motocicletas aumenta 13,1% em setembro
2020/10/15 » Ministério entrega à Presidência projeto de privatização dos Correios
2020/10/15 » Programa de suspensão de contrato e redução de jornada é prorrogado
2020/10/14 » Guedes defende reformas e rigor fiscal pós-pandemia a comitê do FMI

Ver mais »