Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
BNDES anuncia lucro líquido de R$ 3,2 bilhões no primeiro semestre 15/08/2013

Rio de Janeiro – O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) registrou lucro líquido de R$ 3,261 bilhões entre janeiro e junho de 2013, 20,4% superior ao do mesmo período do ano passado (R$ 2,709 bilhões). Ao divulgar ontem (14) os resultados de desempenho do banco, o presidente Luciano Coutinho, disse que a maior contribuição para o crescimento veio dos financiamentos a projetos de investimentos.

“Mesmo com taxas mais baixas e spreads mais baixos, tivemos um bom resultado”, disse Coutinho ao citar três fatores que contribuíram para o bom resultado: o aumento das operações de crédito, a melhoria do resultado BNDESPar (setor do banco de participação de empresas) e o bom resultado da gestão financeira.

O lucro líquido é calculado com a soma dos resultados de renda fixa, renda variável e tesouraria, subtraído das despesas operacionais, que totalizaram R$ 3,959 bilhões no semestre. Os ativos totais do banco somaram R$ 729 bilhões. O patrimônio líquido de referência ficou em R$ 96,021 bilhões, acima, portanto, dos R$ 89,598 bilhões obtidos em 31 de dezembro de 2012.

Outro fator positivo para o banco foi a queda da inadimplência para 0,02% no semestre, a taxa mais baixa em cinco anos.

Coutinho também fez um panorama da economia mundial no período e ressaltou sinais de melhora nos países desenvolvidos. “A recuperação da economia americana é uma boa notícia. É um fato positivo para a economia mundial e para o Brasil”, comentou.

Sobre a macroeconomia brasileira, Coutinho disse que o BNDES trabalha com cenário de inflação em trajetória de acomodação, continuidade do crescimento de investimentos e taxa de câmbio que incentive as exportações e a competitividade.

Coutinho destacou que a carteira dos bancos públicos (50,3%) superou a dos bancos privados (49,7%), o que não ocorria desde agosto de 2000. O aumento da inadimplência, que ficou em 7,3% em maio de 2013, teria sido um fator importante para esse panorama. Ele acredita, contudo, que os bancos privados estão observando a queda gradual do número de inadimplentes e vão voltar a oferecer de créditos, ao longo do segundo semestre. (da Agência Brasil, Flávia Villela)



Últimas

2020/07/03 » Com digitalização de salas de aula, pandemia acentua exclusão escolar
2020/07/03 » Conheça resultado do maior estudo sobre a covid-19 no Brasil
2020/07/03 » Rendimento médio de brasileiros cai a 82% em maio devido à covid-19
2020/07/02 » Califórnia fecha bares e restaurantes na maior parte do estado
2020/07/02 » Isolamento social pode agravar castigos e palmadas, diz pesquisa
2020/07/02 » Registro digital de veículo está disponível em todo o país
2020/07/01 » Crise causa impacto na indústria, que precisa de mudança, diz CNI
2020/07/01 » Câmara aprova concessão de crédito para pequenas empresas
2020/07/01 » Entregadores de apps fazem greve nacional nesta quarta-feira
2020/07/01 » Auxílio emergencial de R$ 600 é prorrogado por mais dois meses
2020/06/30 » Consumidores mantêm intenção de comprar veículos mesmo com a crise
2020/06/30 » Brasil registra retração de 331,9 mil postos de trabalho em maio
2020/06/30 » Programa de suspensão de contrato e redução de jornada será estendido
2020/06/30 » Programa de redução de salário preserva 11,7 milhões de empregos
2020/06/29 » Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior
2020/06/29 » Entenda como Selic baixa pode influenciar seu bolso
2020/06/29 » SP: faturamento de 30% dos lojistas cai 90% no início da reabertura
2020/06/26 » Conselho reúne dicas para entrega da declaração do Imposto de Renda
2020/06/26 » Pesquisa mostra que solidariedade é maior entre moradores de favelas
2020/06/26 » Dia do Diabetes reforça importância de hábitos saudáveis na pandemia

Ver mais »