Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Custo de transporte contribui para recuo da inflação oficial em janeiro 07/02/2014

A queda do custo de transporte foi o principal motivo para o recuo da taxa de inflação oficial em janeiro deste ano. Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) fechou janeiro em 0,55%, taxa inferior à registrada em dezembro (0,92%).

A queda de 0,37 ponto percentual na taxa do IPCA pode ser explicada em grande parte pela deflação (queda de preços) no item transportes, que passou de 1,85%, em dezembro de 2013, para -0,03% em janeiro deste ano.

O principal responsável pela queda do custo de transportes foi a redução de 15,88% no preço das passagens aéreas. “Não temos como afirmar sobre o que provocou a queda do preço das passagens aéreas, mas sabemos que esse não é um comportamento comum em janeiro. Uma hipótese talvez seja o fato de o carnaval cair em março neste ano e não houve tanta pressão para emendar as férias com o carnaval, que normalmente cai em fevereiro”, disse a coordenadora de Índices de Preços do IBGE, Eulina Nunes dos Santos.

Nuevos vuelos para el Mundial

Contrariando a tendência de anos anteriores, o preço das passagens aéreas caiu em janeiro de 2014Foto de Arquivo/Agência Brasil

Outros itens que tiveram impacto na inflação dos transportes em dezembro apresentaram taxas menores em janeiro - como a gasolina, cuja taxa passou de 4,04% em dezembro para 0,6% em janeiro. O etanol também teve um aumento de preço mais moderado, ao passar de uma taxa de inflação de 4,83% para 1,43% no primeiro mês do ano.

O custo com vestuário também caiu em janeiro (-0,15%), ajudando a frear a inflação. Em dezembro, esse grupo de despesas havia registrado inflação de 0,8%.

O item alimentos também impactou, de maneira menos relevante, a queda do IPCA em janeiro. Segundo Eulina Nunes dos Santos, a inflação dos alimentos em janeiro (0,84%) ainda pesa no bolso do consumidor. A taxa, no entanto, é menor do que a observada em dezembro (0,89%).

Por outro lado, as despesas pessoais tiveram inflação de 1,72% em janeiro, ante variação de 1% em dezembro, o que evitou uma queda maior da inflação. Entre os itens que registraram aumento de preços em janeiro estão cigarros (7,79%) e empregados domésticos (1,03%). (da Agência Brasil, Vitor Abdala)



Últimas

2020/08/12 » Conselho do FGTS aprova distribuição de R$ 7,5 bi para trabalhadores
2020/08/12 » Guedes diz que não apoia eventual tentativa de furar teto de gastos
2020/08/12 » Produção industrial cresce em 14 locais em junho, diz IBGE
2020/08/11 » Vendas para China preveniram choque nas exportações, diz Guedes
2020/08/11 » Débitos de difícil recuperação com o Simples podem ser parcelados
2020/08/11 » Auxílio emergencial manteve economia ativa em municípios mais pobres
2020/08/10 » Sem título
2020/08/10 » SP ultrapassa 25,1 mil mortes causadas por covid-19
2020/08/10 » Como é feita média móvel de casos de covid-19
2020/08/07 » MP destina R$ 1,99 bilhão para viabilizar vacina contra covid-19
2020/08/07 » Cursos de qualificação profissional têm alta demanda na pandemia
2020/08/07 » Senai ensina indústrias a produzirem EPI contra novo coronavírus
2020/08/06 » Bolsonaro sanciona lei de negociação de dívidas das micro empresas
2020/08/06 » Baixa inflação permitiu corte nos juros, avaliam entidades
2020/08/06 » Copom reduz juros básicos da economia para 2% ao ano
2020/08/05 » Dezenas de empresas aderem à Semana Brasil 2020
2020/08/05 » Semana Brasil terá edição 2020 e deve ajudar na retomada da economia
2020/08/05 » Governo de Osaka planeja estudar eficácia de gargarejo no combate ao coronavírus
2020/08/04 » BNDES seleciona fundos de crédito não bancário para pequenas empresas
2020/08/04 » Balança comercial tem superávit recorde de US$ 8,06 bilhões em julho

Ver mais »