Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Queda no emprego industrial, reflete retração no maior parque fabril do país 13/05/2014

A retração de 1,9% no nível do emprego industrial em março deste ano, frente a março do ano passado, reflete a redução no contingente de trabalhadores em dez dos 14 locais pesquisados, com destaque para São Paulo – o maior parque fabril do país, que exerceu o principal impacto negativo na taxa global ao recuar 2,8%, pressionado pela redução de pessoal em 13 das 18 atividades da Pesquisa Industrial Mensal: Emprego e Salário.

Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os destaques em São Paulo ficaram com as indústrias de produtos de metal (-12,4%), máquinas e equipamentos (-7,8%), calçados e couro (-12,3%), produtos têxteis (-6,3%) e refino de petróleo e produção de álcool (-9,5%).

O recúo de 2% no índice acumulado do primeiro trimestre deste ano no emprego industrial mostra taxas negativas em 11 dos 14 locais e em 14 dos 18 setores investigados. São Paulo (-3,1%) registrou o principal impacto negativo, seguido pelo Rio Grande do Sul, Paraná e Minas Gerais.

Setorialmente, as contribuições negativas mais relevantes vieram de máquinas e equipamentos (-5,4%), produtos de metal (-6,2%), calçados e couro (-7,3%), máquinas e aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (-6,1%), produtos têxteis (-4,6%), meios de transporte (-2,1%) e refino de petróleo e produção de álcool (-7,1%). Os principais impactos positivos foram em alimentos e bebidas (1,5%) e produtos químicos (2,2%).

Sobre o pagamento aos trabalhadores, a pesquisa do IBGE revela que o valor da folha de pagamento real caiu 2,1% em março, na comparação com fevereiro. Na comparação trimestral, o valor da folha cresceu 0,5% no período janeiro-março de 2014, em relação ao trimestre anterior. Já na comparação com março de 2013, o valor da folha de pagamento real cresceu 0,5% em março deste ano - terceiro resultado positivo consecutivo nesse tipo de confronto, com resultados positivos em nove dos 14 locais investigados.

O número de horas pagas na indústria brasileira registrou queda de 0,3% em março deste ano, em relação a fevereiro. Na comparação trimestral, o número de horas pagas na indústria no primeiro trimestre deste ano acumula variação negativa de 0,4%, ante o registrado no período de janeiro a março de 2013. (da Agência Brasil, Nielmar de Oliveira)



Últimas

2020/02/21 » Polícia Rodoviária Federal inicia Operação Carnaval nesta sexta-feira
2020/02/21 » Escolas de samba movimentam economia durante todo ano no Rio
2020/02/20 » Banco Central injeta R$ 135 bilhões na economia
2020/02/20 » Programa para fazer Declaração do Imposto de Renda já está disponível
2020/02/20 » Prévia da inflação oficial fica em 0,22% em fevereiro
2020/02/19 » Comissão Europeia quer criar mercado único de dados
2020/02/19 » Confiança da indústria cai em fevereiro depois de 3 altas seguidas
2020/02/19 » Confiança da indústria cresce 0,7 ponto na prévia de fevereiro
2020/02/18 » Economia segue em processo de recuperação gradual, diz BC
2020/02/18 » FGV: economia brasileira cresceu 1,2% em 2019
2020/02/18 » Rodovias terão estabelecimentos regulamentados para motoristas
2020/02/17 » Associação alerta motoristas sobre riscos no trânsito durante carnaval
2020/02/17 » Estimativa do mercado financeiro para inflação cai para 3,22%
2020/02/17 » Começam a valer medidas da Caixa para estimular construção civil
2020/02/14 » Atividade econômica cresce 0,89% em 2019
2020/02/14 » Cerca de 25% dos desempregados procuram emprego há mais de dois anos
2020/02/14 » Taxa de desemprego cai em 16 estados, revela IBGE
2020/02/13 » Abate de bovinos cai e o de suínos e frangos sobe no último trimestre
2020/02/13 » Setor de Serviços fecha 2019 com crescimento de 1%
2020/02/13 » Coronavírus: subida exponencial de mortes e casos. O que mudou?

Ver mais »