Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Cenário de TIC no Brasil é promissor, mas é preciso planejamento, diz empresário 14/05/2014

O cenário da tecnologia da informação e comunicação (TIC) no Brasil não poderia ser mais promissor, mas é preciso ter uma visão de mais longo prazo, disse ontem (13), à Agência Brasil, o  conselheiro e ex-presidente da Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), Antônio Gil. Ele participou do painel sobre “O Brasil como Potência de Inovação e Tecnologia”, no 26º Fórum Nacional, promovido pelo Instituto Nacional de Altos Estudos, no Rio de Janeiro.

O mercado de negócios no Brasil está crescendo a taxas de 10% ao ano, em dólar, e de 15%, em reais, informou Gil.  “Tirando a China, é o país que mais cresce, mais do que a Índia, mais do que o dobro da média mundial”. No ano passado,  o volume de negócios do setor atingiu em torno de US$ 233 bilhões, o que manteve o país na quarta posição, no mundo.

Apesar desse cenário positivo, Gil assegurou que não está tudo bem no Brasil. Ele disse que existem áreas criticas  em que o país não está usando tecnologia da informação, como a educação. Outros exemplos são as pequenas e médias empresas. O empresário também destacou que é possível melhorar o uso das TICs em processos governamentais e também nas empresas privadas.

“É preciso que se olhe essas questões. E é preciso que se olhe, mais do que nunca, no longo prazo, porque a tecnologia se altera com velocidade extraordinária e nós não estamos enxergando além do nariz”. Ele indicou a necessidade de se estudar o cenário para, pelo menos, até 2050, “nós nos prepararmos e fazermos ajustes”. Países como Coreia já estão trabalhando nesse sentido, advertiu.

A Brasscom  está propondo ao governo que crie um grupo de trabalho e  patrocine um estudo para discutir essas matérias. Outra sugestão é a criação do cargo de diretor digital, que se reportaria diretamente à presidenta da República e coordenaria tudo que o Brasil está fazendo nesse campo.

Antônio Gil salientou, ainda, que o Brasil precisa de grandes empresas na área de tecnologia da informação. ”Nós somos o quarto maior mercado do mundo e a nossa  maior empresa fatura US$ 1 bilhão, quando a Índia tem cinco empresas faturando US$ 10 bilhões”. 

Na área de recursos humanos, o Brasil tem funcionado, embora sempre haja espaço para evoluir, avaliou Gil. Um dos problemas, destacou, é que não existe uma distribuição uniforme de profissionais de TIC nas várias regiões do país. Ou seja, pode estar sobrando profissionais especializados em São Paulo, por exemplo, mas faltando no Ceará. “Isso cria distorções”, afirmou. (da Agência Brasil, Alana Gandra)



Últimas

2019/11/22 » Utilização da capacidade da indústria atinge maior nível desde 2014
2019/11/22 » Decreto libera recursos do Orçamento contingenciados
2019/11/22 » Energia nuclear é prioridade para o Brasil, diz Bento Albuquerque
2019/11/22 » Bancos divulgam condições de mutirão de renegociação de dívidas
2019/11/21 » BC organiza mutirão de renegociação de dívidas antes do Natal
2019/11/21 » América Móvil prevê investimentos de R$ 30 bilhões no Brasil
2019/11/21 » Guedes diz que abertura da economia será gradual
2019/11/19 » Petrobras reajusta gasolina em 2,8% nas refinarias
2019/11/19 » Setor de infraestrutura tem feito "mais com menos", diz secretário
2019/11/19 » Déficit primário encerrará o ano abaixo de R$ 80 bilhões, diz Guedes
2019/11/18 » Instituições financeiras elevam expectativa de inflação para 3,33%
2019/11/18 » Com Selic em queda, poupança pode passar a render menos que a inflação
2019/11/14 » Atividade econômica cresce 0,91% no terceiro trimestre
2019/11/14 » Caixa e BB iniciam quinta fase de pagamento de abono do PIS/Pasep
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/13 » Privatização da Eletrobras deve reduzir tarifas para os consumidores
2019/11/13 » Caixa reduz para 4,99% a taxa de juros do cheque especial
2019/11/13 » Ministro diz que reforma da Previdência já atrai investidores
2019/11/12 » Setor de serviços cresce 1,2% em setembro, aponta IBGE

Ver mais »