Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
SP: vagas na indústria de transformação da região metropolitana crescem 2,4% 25/09/2014

A indústria da transformação foi o setor que mais abriu postos de trabalho na região metropolitana de São Paulo (SP) em agosto deste ano, na comparação com o mês anterior. O nível de ocupação na área aumentou 2,4%, com a geração de 39 mil novas vagas, revela a Pesquisa de Emprego e Desemprego do Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socieconômicos (Dieese) e da Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

De acordo com a pesquisa, o setor de serviços manteve-se relativamente estável, com criação de 11 mil postos. Houve redução na construção, com eliminação de 20 mil vagas; e no comércio, que deixou de ofertar 9 mil vagas.

“A indústria é que mais vem sofrendo com essa semiestagnação da economia brasileira. O futuro ainda é meio incerto, mas, de qualquer forma, houve forte redução [da empregabilidade] no primeiro trimestre, seguida por relativa estabilidade e por importante recuperação de julho para agosto, que repete o movimento das curvas dos anos anteriores”, disse o economista Alexandre Loloian, coordenador de Análise da pesquisa.

Para ele, o crescimento pode estar relacionado às medidas de estímulo ao retorno do crédito anunciadas pelo governo federal. A indústria emprega 1,632 milhão de pessoas na região metropolitana de São Paulo.

Em termos gerais, a pesquisa mostra que a taxa de desemprego manteve-se em relativa estabilidade em São Paulo no mês de agosto, variando de 11,4% em julho para 11,3%. O total de desempregados passou de 1,257 milhão para 1,245 milhão. Na comparação com agosto do ano passado, o número de desempregados estava em 1,131 milhão. É o quinto mês em que a taxa se mantém estável.

Loloian estima que o número de desocupados deve diminuir no último trimestre do ano. “É sazonal, a redução da taxa a partir do segundo semestre. Esse movimento [de queda] está atrasado, mas vamos esperar que a partir de setembro, a taxa volte a ter esse comportamento que é comum.”

O número de assalariados aumentou 1% no último mês. No setor privado, houve crescimento de 0,9% no número de pessoas com carteira assinada no setor privado. O contingente de  trabalhadores que não têm registro ficou estável. Quanto ao rendimento médio real dos ocupados, que inclui também os que não têm vínculo empregatício, houve queda de 0,6%, na comparação entre junho e julho. Considerando-se apenas os assalariados, o rendimento aumentou 0,9%, representando um valor de R$ 1.904. (da Agência Brasil, Camila Maciel)



Últimas

2019/11/14 » Atividade econômica cresce 0,91% no terceiro trimestre
2019/11/14 » Caixa e BB iniciam quinta fase de pagamento de abono do PIS/Pasep
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/13 » Privatização da Eletrobras deve reduzir tarifas para os consumidores
2019/11/13 » Caixa reduz para 4,99% a taxa de juros do cheque especial
2019/11/13 » Ministro diz que reforma da Previdência já atrai investidores
2019/11/12 » Setor de serviços cresce 1,2% em setembro, aponta IBGE
2019/11/12 » Cresce apoio do BNDES a projetos de micro, pequenas e médias empresas
2019/11/12 » Países do Brics buscam investimentos privados para infraestrutura
2019/11/12 » Faturamento do mercado de seguros cresceu 18,6% em setembro
2019/11/11 » Brics fomenta cooperação entre economias emergentes há 13 anos
2019/11/11 » Impostos dificultam pequenos e médios negócios, dizem empresários
2019/11/11 » IBGE revisa PIB de 2017 de 1% para 1,3%
2019/11/08 » Indicador da FGV mostra dificuldade de reação do mercado de trabalho
2019/11/08 » Petrobras recebe oferta de R$ 3,7 bilhões por Liquigás Distribuidora
2019/11/08 » Governo aumenta projeção de crescimento do PIB para 0,90%
2019/11/07 » Inflação de outubro é a menor para o mês desde 1998
2019/11/07 » Índice que serve de base para reajuste salarial tem variação de 2,76%
2019/11/07 » Seis em cada 10 empresários querem investir, mostra pesquisa do Sebrae

Ver mais »