Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Participação de estrangeiro na dívida interna bate recorde e ultrapassa 20% 26/11/2014

Apesar da volatilidade do mercado financeiro nos últimos meses, os estrangeiros continuam interessados nos títulos do Tesouro Nacional. A participação de não residentes na dívida interna bateu recorde no mês passado. Em outubro, os investidores internacionais detinham R$ 417,87 bilhões em papéis do governo, 20,38% do total da dívida pública mobiliária (em títulos) interna.

Pela primeira vez, a participação de estrangeiros superou a marca de 20%. De acordo com o coordenador-geral de Operações da Dívida Pública, Fernando Garrido, isso demonstra a tranquilidade dos investidores externos em relação à economia brasileira. “Em outubro, não se observaram dificuldades nem problemas de rolagem. Isso se deu, em parte, por causa da participação dos estrangeiros”, declarou.

Segundo o coordenador, os aplicadores estrangeiros preferem papéis prefixados de médio e de longo prazos. No mês passado, 44,5% dos investimentos internacionais em títulos da dívida interna concentravam-se em papéis a partir de três anos. Quanto maior o prazo dos títulos comprados, maior a confiança dos investidores de que o emissor, o Tesouro Nacional, conseguirá honrar os compromissos.

Apesar de a demanda dos investidores estrangeiros não ter sido abalada, os juros dos títulos da dívida interna refletiram a instabilidade na economia doméstica nos últimos meses. As Letras do Tesouro Nacional com vencimento em outubro de 2018, papéis atualmente mais vendidos no mercado, pagaram 12,86% ao ano de juros em 20 de novembro. No leilão de 2 de outubro, a taxa estava em 12,58% ao ano.

O coordenador evitou associar o aumento da taxa às expectativas em torno da equipe econômica no segundo mandato da presidenta Dilma Rousseff. No entanto, reconheceu que o mercado financeiro atravessa um período de instabilidade. “Os juros [dos títulos públicos] são basicamente um reflexo das expectativas dos agentes econômicos. A conjuntura e diversos fatores econômicos interferem na formação das taxas”, declarou. (da Agência Brasil, Wellton Máximo)



Últimas

2021/04/20 » Governo destinará até R$ 15 bi para relançar BEm e Pronampe
2021/04/20 » Atividade econômica cresce 1,7% em fevereiro, diz BC
2021/04/20 » Mercado financeiro prevê inflação em 4,92% neste ano
2021/04/19 » O que é Ibovespa
2021/04/19 » Setor energético terá investimentos de R$ 3 tri até 2030, diz ministro
2021/04/19 » Banco Central altera norma para segunda fase do open banking
2021/04/16 » Serviços registram crescimento de 3,7% em fevereiro, diz IBGE
2021/04/16 » LDO de 2022 destravará gastos com obras em caso de atraso no Orçamento
2021/04/16 » Projeto da LDO prevê crescimento de 2,5% para o próximo ano
2021/04/16 » Governo propõe salário mínimo de R$ 1.147 em 2022, sem aumento real
2021/04/16 » Petrobras aumenta preços do diesel e da gasolina nas refinarias
2021/04/16 » IGP-10 acumula inflação de 31,74% em 12 meses, diz FGV
2021/04/15 » Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa
2021/04/15 » Indicador Antecedente tem queda de 2,2% em março, revela FGV
2021/04/15 » Vendas nos supermercados têm alta de 5,18% em fevereiro
2021/04/15 » Economia abre consulta pública para debater nova Lei de Licitações
2021/04/15 » Impacto da pandemia é maior para trabalhadores jovens, diz Ipea
2021/04/15 » Confiança do empresário cai pelo quarto mês seguido, diz CNI
2021/04/14 » Mais de 620 mil micro e pequenas empresas foram abertas em 2020
2021/04/14 » Inflação acelera para todas as faixas de renda em março, diz Ipea

Ver mais »