Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Comércio tem menor crescimento para o primeiro semestre desde 2002, diz Serasa 07/07/2015

O comércio teve o menor crescimento no primeiro semestre do ano desde 2002, segundo levantamento divulgado hoje (7) pela Serasa Experian. O movimento do varejo registrou expansão de 2,6% de janeiro a junho de 2015, em comparação com o mesmo período do ano passado. “É resultado da conjuntura econômica que começou a se deteriorar no ano passado, com aumento de inflação, de taxa de juros e, agora, mais recentemente, aumento de desemprego”, enfatizou o economista da consultoria, Luiz Rabi.

O setor de veículos teve o pior resultado no acumulado do primeiro semestre, com retração de 12,5%. Em seguida, vem o ramo de material de construção, que teve queda de 7,1% no movimento. De acordo com Rabi, o consumidor está “menos propenso a comprar veículos e materiais de construção, que são gastos de médio prazo, normalmente financiados”.

Impactados pela inflação dos alimentos, os supermercados também tiveram desempenho fraco de janeiro a junho (2% de crescimento). “Tivemos uma inflação de alimentos muito forte nesse início de ano. O que acaba atingindo o desempenho do setor”, enfatizou o economista.

Os melhores resultados foram dos setores de vestuário, com expansão de 5,8%, e móveis e eletroeletrônicos (5,2%). “No setor de vestuário, o desempenho positivo é um pouco o deslocamento de consumo. As pessoas, em vez de gastar com material de construção ou prestação de carros, estão deslocando o consumo para outros segmentos”, explicou Rabi.

Para os próximos meses, o economista acredita que o desempenho do varejo ainda está sujeito a uma ligeira piora. “Acho que não chega a ficar negativo, como foi em 2002. Naquela época estávamos no auge da crise do apagão”, disse, sobre a queda de 6,9% que o comércio registrou no primeiro semestre.

Porém, com inflação alta e desemprego aumentando, Rabi avalia que o resultado do segundo semestre será um pouco menor do que o verificado nos últimos seis meses. “O aumento do dólar e da energia, combinado com o choque dos alimentos, ainda continuam produzindo efeitos na inflação que vão demorar para se dissiparem”, ressaltou. (da Agência Brasil, Daniel Mello)



Últimas

2020/02/21 » Polícia Rodoviária Federal inicia Operação Carnaval nesta sexta-feira
2020/02/21 » Escolas de samba movimentam economia durante todo ano no Rio
2020/02/20 » Banco Central injeta R$ 135 bilhões na economia
2020/02/20 » Programa para fazer Declaração do Imposto de Renda já está disponível
2020/02/20 » Prévia da inflação oficial fica em 0,22% em fevereiro
2020/02/19 » Comissão Europeia quer criar mercado único de dados
2020/02/19 » Confiança da indústria cai em fevereiro depois de 3 altas seguidas
2020/02/19 » Confiança da indústria cresce 0,7 ponto na prévia de fevereiro
2020/02/18 » Economia segue em processo de recuperação gradual, diz BC
2020/02/18 » FGV: economia brasileira cresceu 1,2% em 2019
2020/02/18 » Rodovias terão estabelecimentos regulamentados para motoristas
2020/02/17 » Associação alerta motoristas sobre riscos no trânsito durante carnaval
2020/02/17 » Estimativa do mercado financeiro para inflação cai para 3,22%
2020/02/17 » Começam a valer medidas da Caixa para estimular construção civil
2020/02/14 » Atividade econômica cresce 0,89% em 2019
2020/02/14 » Cerca de 25% dos desempregados procuram emprego há mais de dois anos
2020/02/14 » Taxa de desemprego cai em 16 estados, revela IBGE
2020/02/13 » Abate de bovinos cai e o de suínos e frangos sobe no último trimestre
2020/02/13 » Setor de Serviços fecha 2019 com crescimento de 1%
2020/02/13 » Coronavírus: subida exponencial de mortes e casos. O que mudou?

Ver mais »