Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Venda de imóveis residenciais na capital paulista cai 1,6% de abril para maio 15/07/2015

O número de imóveis residenciais vendidos na cidade de São Paulo chegou a 2.149 em maio, uma queda de 1,6% na comparação com o mês anterior, de acordo com a Pesquisa do Mercado Imobiliário, do Departamento de Economia e Estatística do Sindicato da Habitação (Secovi-SP). Em relação a maio do ano passado, quando foram comercializadas 2.080 unidades, houve aumento de 3,3%.

O maior volume de vendas foi o de imóveis com dois dormitórios (1.432 unidades), que representaram 67% do total comercializado no mês. Nesse caso, o valor médio das unidades é R$ 294 mil. O segmento de um dormitório teve participação de 16% (349 unidades) nas vendas, seguido pelos de três quartos, com 14% (310 unidades). Os imóveis de quatro ou mais dormitórios contribuíram com 3% (58 unidades) do total comercializado.

A cidade de São Paulo encerrou o mês de maio com uma oferta de 28.118 unidades disponíveis para venda, entre imóveis na planta, em construção e prontos, lançados nos últimos 36 meses.

Segundo dados da Empresa Brasileira de Estudos de Patrimônio (Embraesp), em maio, foram lançados 2.403 imóveis residenciais na capital paulista, o que representa uma queda de 20,5% em relação ao mês de abril (3.023 unidades) e de 6,9% em relação a maio de 2014 (2.582).

Na avaliação do economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci, o resultado de maio é praticamente uma estabilidade, o que confirma que a demanda se mantém mesmo em épocas de ajustes da economia. Segundo ele, no entanto, é difícil ajustar os produtos ao mercado consumidor. "A perda de atratividade dos recursos da caderneta de poupança e o seu consequente esvaziamento, aliados à proposta em tramitação no Congresso Nacional de mudança de remuneração das contas vinculadas ao FGTS [Fundo de Garantia do Tempo de Serviço] e à demora do governo em anunciar a fase três do Minha Casa Minha Vida, têm prejudicado o lançamento e a produção de novos empreendimentos. Esses problemas podem ser potencializados com o aumento do desemprego na construção civil".

O presidente da entidade, Claudio Bernardes, ressaltou que ainda não percebeu a retomada da confiança dos investidores no país, mesmo após a aprovação de medidas da política de ajustes fiscais. “Isso desanima os incorporadores a fazer novos lançamentos e os consumidores ainda estão inseguros com os rumos da economia. Mesmo assim, o mercado imobiliário de São Paulo se comportou razoavelmente bem nos últimos três meses", avaliou. (da Agência Brasil, Flávia Albuquerque)



Últimas

2019/11/19 » Petrobras reajusta gasolina em 2,8% nas refinarias
2019/11/19 » Setor de infraestrutura tem feito "mais com menos", diz secretário
2019/11/19 » Déficit primário encerrará o ano abaixo de R$ 80 bilhões, diz Guedes
2019/11/18 » Instituições financeiras elevam expectativa de inflação para 3,33%
2019/11/18 » Com Selic em queda, poupança pode passar a render menos que a inflação
2019/11/14 » Atividade econômica cresce 0,91% no terceiro trimestre
2019/11/14 » Caixa e BB iniciam quinta fase de pagamento de abono do PIS/Pasep
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/13 » Privatização da Eletrobras deve reduzir tarifas para os consumidores
2019/11/13 » Caixa reduz para 4,99% a taxa de juros do cheque especial
2019/11/13 » Ministro diz que reforma da Previdência já atrai investidores
2019/11/12 » Setor de serviços cresce 1,2% em setembro, aponta IBGE
2019/11/12 » Cresce apoio do BNDES a projetos de micro, pequenas e médias empresas
2019/11/12 » Países do Brics buscam investimentos privados para infraestrutura
2019/11/12 » Faturamento do mercado de seguros cresceu 18,6% em setembro
2019/11/11 » Brics fomenta cooperação entre economias emergentes há 13 anos
2019/11/11 » Impostos dificultam pequenos e médios negócios, dizem empresários
2019/11/11 » IBGE revisa PIB de 2017 de 1% para 1,3%
2019/11/08 » Indicador da FGV mostra dificuldade de reação do mercado de trabalho

Ver mais »