Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
AEB prevê queda de 15% nas exportações brasileiras este ano 17/07/2015

As exportações brasileiras deverão fechar o ano com queda de 15%, em relação ao ano passado, alcançando US$ 191,331 bilhões. Para as importações, espera-se queda de 20%, somando US$ 183,267 bilhões. Os dados constam da revisão da balança comercial, divulgada ontem (16) no Rio de Janeiro, pela Associação de Comércio Exterior do Brasil (AEB).

Anteriormente, o setor tinha projetado superávit de US$ 8,140 bilhões, mas, com a revisão, a projeção caiu para US$ 8,064 bilhões. A estimativa é classificada pelo presidente da AEB, José Augusto de Castro, como um “superávit negativo”, uma vez que o resultado não é gerado pelo crescimento das vendas externas. Em 2014, a balança fechou com déficit de US$ 3,959 bilhões.

A previsão anterior da AEB para 2015, divulgada em dezembro de 2014, indicava exportações de US$ 215,360 bilhões e importações de US$ 207,220 bilhões.

“O que gera atividade econômica é a corrente de comércio, que é o somatório de exportação e importação. O superávit é apenas o efeito desses dois números”, destacou Castro. Os dados da AEB sinalizam para uma piora da balança nacional este ano. De acordo com a AEB, o Brasil chegou a ter, em 2011, 1,41% de participação no mercado internacional e deve cair este ano para 1%, “e até um pouquinho abaixo”, disse Castro.

Commodities

Outro ponto negativo é que as exportações brasileiras continuam lideradas por commodities (produtos agrícolas e minerais comercializados no mercado externo) e não por produtos de maior valor agregado. “Este ano, os dez principais produtos exportados são commodities. Apenas o décimo-primeiro produto [aviões] é manufaturado. Com as commodities, nós somos dependentes de fatores externos, sobre os quais não temos nenhum controle”, explicou o presidente da AEB.

Segundo Castro, a melhoria da taxa de câmbio ajuda os manufaturados. “Só que essa melhoria vai ocorrer apenas com as exportações para os Estados Unidos”, disse. As exportações totais do Brasil para o mercado americano tiveram queda no acumulado deste ano de 6,3%, enquanto as exportações de manufaturados para os Estados Unidos aumentaram, até o momento, 5,94%. “O câmbio está ajudando a ter um crescimento das exportações de manufaturados porque, sobre as commodities, o câmbio não tem nenhuma influência.”

Castro afirmou que o cenário interno de enfraquecimento da economia também não ajuda, porque as empresas não investem em tecnologia e inovação e, por isso, não têm como reduzir custos. “É um cenário ruim que não estimula a gente a ter uma perspectiva melhor em 2016”. Com o atual cenário, a AEB acredita que o próximo ano tende a ser igual a 2015, com pequenas variações nos números.

Em junho, o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior previu que a balança comercial deve encerrar o ano com superávit entre US$ 5 bilhões a US$ 8 bilhões. (da Agência Brasil, Alana Gandra)



Últimas

2019/11/12 » Setor de serviços cresce 1,2% em setembro, aponta IBGE
2019/11/12 » Cresce apoio do BNDES a projetos de micro, pequenas e médias empresas
2019/11/12 » Países do Brics buscam investimentos privados para infraestrutura
2019/11/12 » Faturamento do mercado de seguros cresceu 18,6% em setembro
2019/11/11 » Brics fomenta cooperação entre economias emergentes há 13 anos
2019/11/11 » Impostos dificultam pequenos e médios negócios, dizem empresários
2019/11/11 » IBGE revisa PIB de 2017 de 1% para 1,3%
2019/11/08 » Indicador da FGV mostra dificuldade de reação do mercado de trabalho
2019/11/08 » Petrobras recebe oferta de R$ 3,7 bilhões por Liquigás Distribuidora
2019/11/08 » Governo aumenta projeção de crescimento do PIB para 0,90%
2019/11/07 » Inflação de outubro é a menor para o mês desde 1998
2019/11/07 » Índice que serve de base para reajuste salarial tem variação de 2,76%
2019/11/07 » Seis em cada 10 empresários querem investir, mostra pesquisa do Sebrae
2019/11/07 » Poupança tem menor retirada líquida para outubro em cinco anos
2019/11/05 » Índice de Preços ao Produtor fica em 0,45% em setembro
2019/11/05 » Copom espera crescimento da economia brasileira no terceiro trimestre
2019/11/05 » Bolsa volta a bater recorde e aproxima-se dos 109 mil pontos
2019/11/05 » Índice-chave da Bolsa de Valores de Tóquio registra maior nível do ano
2019/11/05 » Premiês japonês e chinês preparam visita oficial do presidente da China ao Japão
2019/11/05 » Países do RCEP discutem futuro do acordo sem a Índia

Ver mais »