Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Endividamento das famílias fica praticamente estável em julho, mostra CNC 23/07/2015

O total das famílias endividadas em julho ficou em 61,9%, com queda de 0,1 ponto percentual em relação aos 62% de junho. Em julho de 2014, a taxa era de 63%. Os dados constam da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada ontem (22) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Esta é a segunda queda consecutiva este ano. 

Na avaliação da entidade, “apesar da moderação no crescimento do crédito, a alta das taxas de juros, a persistência inflacionária e a queda na renda real do trabalhador provocaram impactos negativos nos indicadores de inadimplência”, que aumentou em todas as bases de comparação de junho para julho. 

“Apesar dos recuos registrados em julho no percentual de famílias com dívidas em atraso, houve aumento, tanto na comparação mensal quanto na anual, no percentual de famílias com contas ou dívidas em atraso e entre aquelas que relataram não ter condições de pagar suas contas atrasadas”, diz o relatório.

Os dados da CNC indicam que a proporção de famílias com dívidas ou contas em atraso alcançou 21,5% em julho, comparativamente aos 21,3% de junho e 18,9% de julho de 2014. O percentual daquelas que permanecerão inadimplentes atingiu 8,1% em julho – alta registrada na comparação com junho (7,9%) e julho do ano passado (6,6%). “Esse foi o maior patamar já registrado desde outubro de 2011”, afirmou a entidade.  

A proporção de famílias brasileiras que se declararam muito endividadas aumentou nas comparações mensal e anual, alcançando 12,9% do total. O tempo médio de adiamento do pagamento de contas ou dívidas em atraso foi 59,8 dias em julho – abaixo dos 61,3 registrados no mesmo período do ano passado. 

O período médio de comprometimento de renda com as dívidas foi 7,1 meses, sendo que 33,7% dos entrevistados informaram que o prazo é superior a um ano. Segundo a CNC, o cartão de crédito é  o principal motivo de débito para 77,4% das famílias endividadas, seguido de carnês (16,3%) e de financiamento de carro (13,5%). 

A Peic é apurada mensalmente pela CNC desde janeiro de 2010. Os dados são coletados em todas as capitais e no Distrito Federal, com cerca de 18 mil consumidores. (da Agência Brasil, Nielmar de Oliveira Silva)



Últimas

2019/11/21 » BC organiza mutirão de renegociação de dívidas antes do Natal
2019/11/21 » América Móvil prevê investimentos de R$ 30 bilhões no Brasil
2019/11/21 » Guedes diz que abertura da economia será gradual
2019/11/19 » Petrobras reajusta gasolina em 2,8% nas refinarias
2019/11/19 » Setor de infraestrutura tem feito "mais com menos", diz secretário
2019/11/19 » Déficit primário encerrará o ano abaixo de R$ 80 bilhões, diz Guedes
2019/11/18 » Instituições financeiras elevam expectativa de inflação para 3,33%
2019/11/18 » Com Selic em queda, poupança pode passar a render menos que a inflação
2019/11/14 » Atividade econômica cresce 0,91% no terceiro trimestre
2019/11/14 » Caixa e BB iniciam quinta fase de pagamento de abono do PIS/Pasep
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/13 » Privatização da Eletrobras deve reduzir tarifas para os consumidores
2019/11/13 » Caixa reduz para 4,99% a taxa de juros do cheque especial
2019/11/13 » Ministro diz que reforma da Previdência já atrai investidores
2019/11/12 » Setor de serviços cresce 1,2% em setembro, aponta IBGE
2019/11/12 » Cresce apoio do BNDES a projetos de micro, pequenas e médias empresas
2019/11/12 » Países do Brics buscam investimentos privados para infraestrutura
2019/11/12 » Faturamento do mercado de seguros cresceu 18,6% em setembro
2019/11/11 » Brics fomenta cooperação entre economias emergentes há 13 anos

Ver mais »