Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Endividamento das famílias fica praticamente estável em julho, mostra CNC 23/07/2015

O total das famílias endividadas em julho ficou em 61,9%, com queda de 0,1 ponto percentual em relação aos 62% de junho. Em julho de 2014, a taxa era de 63%. Os dados constam da Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), divulgada ontem (22) pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Esta é a segunda queda consecutiva este ano. 

Na avaliação da entidade, “apesar da moderação no crescimento do crédito, a alta das taxas de juros, a persistência inflacionária e a queda na renda real do trabalhador provocaram impactos negativos nos indicadores de inadimplência”, que aumentou em todas as bases de comparação de junho para julho. 

“Apesar dos recuos registrados em julho no percentual de famílias com dívidas em atraso, houve aumento, tanto na comparação mensal quanto na anual, no percentual de famílias com contas ou dívidas em atraso e entre aquelas que relataram não ter condições de pagar suas contas atrasadas”, diz o relatório.

Os dados da CNC indicam que a proporção de famílias com dívidas ou contas em atraso alcançou 21,5% em julho, comparativamente aos 21,3% de junho e 18,9% de julho de 2014. O percentual daquelas que permanecerão inadimplentes atingiu 8,1% em julho – alta registrada na comparação com junho (7,9%) e julho do ano passado (6,6%). “Esse foi o maior patamar já registrado desde outubro de 2011”, afirmou a entidade.  

A proporção de famílias brasileiras que se declararam muito endividadas aumentou nas comparações mensal e anual, alcançando 12,9% do total. O tempo médio de adiamento do pagamento de contas ou dívidas em atraso foi 59,8 dias em julho – abaixo dos 61,3 registrados no mesmo período do ano passado. 

O período médio de comprometimento de renda com as dívidas foi 7,1 meses, sendo que 33,7% dos entrevistados informaram que o prazo é superior a um ano. Segundo a CNC, o cartão de crédito é  o principal motivo de débito para 77,4% das famílias endividadas, seguido de carnês (16,3%) e de financiamento de carro (13,5%). 

A Peic é apurada mensalmente pela CNC desde janeiro de 2010. Os dados são coletados em todas as capitais e no Distrito Federal, com cerca de 18 mil consumidores. (da Agência Brasil, Nielmar de Oliveira Silva)



Últimas

2020/07/16 » Covid-19: 80% dos executivos no país esperam queda na receita em 2020
2020/07/16 » Cartórios passam a monitorar violência patrimonial contra idosos
2020/07/16 » Saiba como fazer o teste diagnóstico de covid-19 pelo plano de saúde
2020/07/14 » Parcela de petróleo da União por contratos de partilha cresce 50%
2020/07/14 » UFMG faz campanha para ampliar acesso de alunos a aulas remotas
2020/07/14 » Setor de segurança tem alta de 40% na busca por tecnologia inteligente
2020/07/13 » Saiba como funciona o ITBI
2020/07/13 » Estatuto da Criança e do Adolescente completa 30 anos
2020/07/13 » Caixa inclui custo com cartório e ITBI em financiamento imobiliário
2020/07/10 » Covid-19: pessoas com sintomas devem procurar atendimento imediato
2020/07/10 » ONU pede fim do financiamento ao carvão e apoio à energia renovável
2020/07/10 » OMS quer mais evidências sobre transmissão da covid-19 pelo ar
2020/07/09 » Novo site simplifica adesão ao acordo dos planos econômicos
2020/07/09 » Sebrae: cresce interesse por cursos a distância para empreender
2020/07/09 » Pandemia causou impacto em 57% das companhias exportadoras, revela CNI
2020/07/09 » Estimativa de junho prevê safra recorde de 247,4 milhões de toneladas
2020/07/09 » MEC anuncia que Enem será em 17 e 24 de janeiro de 2021
2020/07/08 » Confira pagamentos e tributos adiados ou suspensos durante pandemia
2020/07/08 » Câmara aprova MP que suspende cumprimento mínimo de dias letivos
2020/07/08 » Câmara aprova MP que permite reembolso de passagem aérea em até um ano

Ver mais »