Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Comentário — Perspectivas do mercado financeiro do Japão em 2016 11/01/2016

O índice Nikkei — dos 225 principais papéis negociados na Bolsa de Valores de Tóquio — encerrou a semana inicial do ano em queda pelo quinto dia consecutivo em relação à margem de 19.000 pontos que havia atingido no pregão do dia 4, o primeiro do ano. Desde o reinício das transações após o fim da 2ª Guerra Mundial, era inédita a perda de valor do Nikkei por cinco dias seguidos em relação ao primeiro pregão anual. Na semana passada, o índice caiu mais de 1.300 pontos. E a moeda japonesa permanece valorizada em relação ao dólar no mercado de câmbio.

Neste Comentário, Koji Takeuchi, economista sênior do Instituto de Pesquisa Mizuho, fala sobre o mercado financeiro do Japão neste cenário com ações em queda e valorização crescente do iene desde o início de 2016.

“Penso que as ações caíram continuamente enquanto agentes do mercado e investidores acompanhavam os movimentos dos mercados de capitais estrangeiros ou fatores de risco associados com o exterior. Na China, em particular, as transações com papéis foram interrompidas várias vezes desde o início do ano. As interrupções causaram um abrupto senso de cautela entre agentes do mercado e investidores no que diz respeito à economia chinesa. Outros fatores em jogo foram as disputas entre a Arábia Saudita e o Irã, e as questões nucleares da Coreia do Norte.

O governo chinês parece ter a intenção de deter uma piora drástica da economia. Pequim ainda conta com certa folga para tomar novas medidas de estímulo econômico. Além disso, começaram a surgir no mercado sinais de interrupção de uma desvalorização adicional do iuane. Permanece sem clareza o grau de gravidade da deterioração da economia chinesa. É de esperar, porém, que os mercados se estabilizem gradualmente.

Os ganhos das empresas japonesas são hoje os mais altos da história. Até agora, no entanto, não se tem tirado pleno proveito desse desempenho para impulsionar a economia do Japão. Espera-se um aumento gradual tanto nos investimentos de capital como nos gastos dos consumidores. Nesse sentido, é mais provável que as ações retomem o curso de altas e não o contrário. É de esperar ainda que o iene venha a se desvalorizar eventualmente. Assim, o cenário mais provável será o de que a economia e as ações no Japão avancem para um caminho de recuperação.” (da NHK World)



Últimas

2020/07/10 » Covid-19: pessoas com sintomas devem procurar atendimento imediato
2020/07/10 » ONU pede fim do financiamento ao carvão e apoio à energia renovável
2020/07/10 » OMS quer mais evidências sobre transmissão da covid-19 pelo ar
2020/07/09 » Novo site simplifica adesão ao acordo dos planos econômicos
2020/07/09 » Sebrae: cresce interesse por cursos a distância para empreender
2020/07/09 » Pandemia causou impacto em 57% das companhias exportadoras, revela CNI
2020/07/09 » Estimativa de junho prevê safra recorde de 247,4 milhões de toneladas
2020/07/09 » MEC anuncia que Enem será em 17 e 24 de janeiro de 2021
2020/07/08 » Confira pagamentos e tributos adiados ou suspensos durante pandemia
2020/07/08 » Câmara aprova MP que suspende cumprimento mínimo de dias letivos
2020/07/08 » Câmara aprova MP que permite reembolso de passagem aérea em até um ano
2020/07/08 » Covid-19: Senado aprova indenização a profissional afetado pela doença
2020/07/07 » Bolsonaro sanciona MP que criou programa de manutenção do emprego
2020/07/07 » Tecnologias da Embrapa ajudam Ceará a dobrar produção de algodão
2020/07/07 » Com aumento de mortes, Miami volta a fechar restaurantes
2020/07/06 » Saiba como estão os planos de retomada econômica em cada estado
2020/07/06 » Saiba como funcionam os testes para detectar a covid-19
2020/07/06 » Caixa deposita saque emergencial do FGTS para nascidos em fevereiro
2020/07/03 » Com digitalização de salas de aula, pandemia acentua exclusão escolar
2020/07/03 » Conheça resultado do maior estudo sobre a covid-19 no Brasil

Ver mais »