Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
IGP-10 cai 0,74 ponto percentual em fevereiro e fica em 0,14% 15/02/2017

A inflação medida pelo Índice Geral de Preços–10 (IGP-10) registrou desaceleração de janeiro para fevereiro, recuando 0,74 ponto percentual e fechando o mês em 0,14%, depois de registrar alta, em janeiro, de 0,88% frente a dezembro do ano passado. Em fevereiro de 2016, a variação foi de 1,55%.

Os dados relativos ao IGP-10 foram divulgados hoje (15), pelo Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getulio Vargas (Ibre/FGV). Com o resultado de fevereiro, a taxa acumulada nos dois primeiros meses do ano ficou em 1,02%; enquanto a acumulada nos últimos 12 meses registrou alta de 5,67%.

O IGP-10 é calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência. O resultado de fevereiro foi influenciado pelo Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA), que tem peso de 60% na composição do índice e fechou o mês com deflação.

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), que tem peso de 30%, ficou estável entre um mês e outro. Já o Índice Nacional do Custo da Construção (INCC), que tem peso de 10% na composição do IGP, registrou pequena variação.

Preços ao produtor

Segundo os dados divulgados pela FGV, o Índice de Preços ao Produtor Amplo (IPA) fechou o mês de fevereiro com deflação de 0,03%, depois de ter registrado inflação de 1,08% em janeiro.

Os índices dos grupos Bens Finais e Matérias-Primas Brutas fecharam com inflação negativa, enquanto Bens Intermediários registrou pequena elevação. No caso dos Bens Finais, depois de ter fechado janeiro com alta de 0,53%, o grupo registrou forte desaceleração em fevereiro, fechando com inflação negativa de 0,81%. O principal responsável por este movimento foi o subgrupo alimentos processados, cuja taxa passou de 0,5% para -1,33%.

No caso dos preços do grupo Matérias-Primas Brutas a variação foi de –0,56%, depois de ter fechado janeiro, com alta de 1,55%. Contribuíram para a desaceleração do grupo os itens: minério de ferro (17,02% para 2,3%), aves (-1,60% para -8,82%) e milho em grão (-3,25% para -7,04%).

Único dos grupos do IPA a fechar em alta, Bens Intermediários registrou variação de 1,32%, contra 1,24% em janeiro. Apenas o subgrupo materiais e componentes para a manufatura registrou aceleração: a taxa variou de 0,42% para 1,33%. (da Agência Brasil, Nielmar de Oliveira)



Últimas

2020/08/13 » Soros produzidos por cavalos têm anticorpos potentes para covid-19
2020/08/13 » Instituto alemão diz que vacina pode estar disponível logo
2020/08/13 » Lucro líquido da Eletrobras chega a R$ 4,6 bilhões no trimestre
2020/08/12 » Conselho do FGTS aprova distribuição de R$ 7,5 bi para trabalhadores
2020/08/12 » Guedes diz que não apoia eventual tentativa de furar teto de gastos
2020/08/12 » Produção industrial cresce em 14 locais em junho, diz IBGE
2020/08/11 » Vendas para China preveniram choque nas exportações, diz Guedes
2020/08/11 » Débitos de difícil recuperação com o Simples podem ser parcelados
2020/08/11 » Auxílio emergencial manteve economia ativa em municípios mais pobres
2020/08/10 » Sem título
2020/08/10 » SP ultrapassa 25,1 mil mortes causadas por covid-19
2020/08/10 » Como é feita média móvel de casos de covid-19
2020/08/07 » MP destina R$ 1,99 bilhão para viabilizar vacina contra covid-19
2020/08/07 » Cursos de qualificação profissional têm alta demanda na pandemia
2020/08/07 » Senai ensina indústrias a produzirem EPI contra novo coronavírus
2020/08/06 » Bolsonaro sanciona lei de negociação de dívidas das micro empresas
2020/08/06 » Baixa inflação permitiu corte nos juros, avaliam entidades
2020/08/06 » Copom reduz juros básicos da economia para 2% ao ano
2020/08/05 » Dezenas de empresas aderem à Semana Brasil 2020
2020/08/05 » Semana Brasil terá edição 2020 e deve ajudar na retomada da economia

Ver mais »