Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Entidades sindicais e patronais concordam que Selic deve ter queda maior 23/02/2017

A Força Sindical considerou a redução da taxa Selic em 0,75 ponto percentual, de 13% ao ano para 12,25% ao ano, uma “queda tímida e frustrante”. Segundo a entidade, a taxa básica de juros ainda está em “patamares proibitivos” e prejudica a retomada da geração de empregos.

“O governo precisa entender que a taxa de juros estratosférica, além de encarecer o crédito para consumo e para investimentos, causa mais desemprego, queda de renda e piora o cenário de recessão da economia. É importante destacar que esta política de juros altos derruba a atividade econômica e diminui a capacidade de consumo das famílias. E ainda reduz a confiança e os investimentos, o que compromete ainda mais a capacidade de crescimento econômico futuro”, analisou a Força Sindical, em nota.

O presidente da entidade, deputado Paulinho da Força (SD-SP) defendeu a imediata redução da taxa de juros a níveis mais baixos e a implementação de políticas que priorizem a retomada do investimento, o crescimento da economia, a geração de empregos, a redução da desigualdade social, o combate à pobreza e a distribuição de renda.

Para o presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp), Paulo Skaf, a redução da Selic para 12,25% ao ano “ainda não é o bastante, pois existe espaço para recuos maiores” da taxa.

“O Brasil tem pressa para retomar a rota do crescimento econômico e da geração de emprego. Para isso, é urgente a redução mais rápida dos juros. É preciso aumentar a oferta de crédito e diminuir a intervenção do Banco Central no mercado de swaps cambiais, que está tornando o dólar artificialmente barato”, afirmou Skaf, em nota.

Já a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP) avaliou que o Banco Central acertou na decisão de reduzir taxa de juros em 0,75 ponto porcentual, mas disse esperar novas quedas nas próximas reuniões do Comitê de Política Monetária (Copom).

“A entidade acredita que o movimento de corte de juros poderia ter começado um pouco antes, e pondera que ao menos se acelerou um pouco neste início de ciclo, diante de uma situação recessiva sem precedentes no país. Para a FecomercioSP, a forte recessão dos últimos dois anos, a queda do IPCA [Índice de Preços ao Consumidor Amplo] recente, a valorização do real frente a outras moedas e a melhoria do quadro político abrem espaço para, pela primeira vez em anos, o Banco Central trazer a Selic para um dígito sem que seja de forma artificial”, avaliou. (da Agência Brasil, Camila Boehm)



Últimas

2020/02/21 » Polícia Rodoviária Federal inicia Operação Carnaval nesta sexta-feira
2020/02/21 » Escolas de samba movimentam economia durante todo ano no Rio
2020/02/20 » Banco Central injeta R$ 135 bilhões na economia
2020/02/20 » Programa para fazer Declaração do Imposto de Renda já está disponível
2020/02/20 » Prévia da inflação oficial fica em 0,22% em fevereiro
2020/02/19 » Comissão Europeia quer criar mercado único de dados
2020/02/19 » Confiança da indústria cai em fevereiro depois de 3 altas seguidas
2020/02/19 » Confiança da indústria cresce 0,7 ponto na prévia de fevereiro
2020/02/18 » Economia segue em processo de recuperação gradual, diz BC
2020/02/18 » FGV: economia brasileira cresceu 1,2% em 2019
2020/02/18 » Rodovias terão estabelecimentos regulamentados para motoristas
2020/02/17 » Associação alerta motoristas sobre riscos no trânsito durante carnaval
2020/02/17 » Estimativa do mercado financeiro para inflação cai para 3,22%
2020/02/17 » Começam a valer medidas da Caixa para estimular construção civil
2020/02/14 » Atividade econômica cresce 0,89% em 2019
2020/02/14 » Cerca de 25% dos desempregados procuram emprego há mais de dois anos
2020/02/14 » Taxa de desemprego cai em 16 estados, revela IBGE
2020/02/13 » Abate de bovinos cai e o de suínos e frangos sobe no último trimestre
2020/02/13 » Setor de Serviços fecha 2019 com crescimento de 1%
2020/02/13 » Coronavírus: subida exponencial de mortes e casos. O que mudou?

Ver mais »