Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Reforma da Previdência poderá ser mais profunda no próximo governo, diz relator 12/03/2018

O deputado federal Arthur Maia (PPS-BA), relator da Reforma da Previdência na Câmara, disse hoje (12) acreditar que o próximo governo terá capital político suficiente para aprovar a reforma, mas previu que ela será mais profunda do que a que está em discussão. Maia participou do seminário Reforma da Previdência: uma reflexão necessária, na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro.

Na opinião do parlamentar, o próximo governo terá condições políticas de fazer uma reforma mais dura e aprovará um projeto diferente do que consta no parecer em discussão na Câmara dos Deputados, assinado por ele. "Certamente, se fará outra reforma. Ao meu ver, será uma reforma mais dura e muito mais profunda", disse ele, que acrescentou: "O novo presidente eleito entra com todo o capital político para adotar as medidas que sejam necessárias. Não importa qual seja o viés ideológico de quem se eleja, tenho convicção de que será uma reforma muito mais profunda que a que consta no meu parecer."

A legislação determina que, em função da intervenção federal na segurança pública do estado do Rio, o Congresso não pode promver alteração à Constituição, como é o caso da Reforma da Previdência. Maia afirmou que não tratou da possibilidade de suspensão da intervenção para votar a reforma com ninguém e foi enfático ao apontar que o governo não tem os 308 votos necessários para aprovar a reforma na Câmara.

"Não temos votos. Não adianta. O governo não tem os 308 votos. Já fiz essa conta de baixo pra cima, de cima pra baixo, de norte para sul e de leste para oeste. Não temos votos", disse o deputado, que não descartou a possibilidade de o cenário mudar após as eleições: "Depois da eleição é outro planeta. Será outra realidade totalmente diferente".

À noite o secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, fará uma palestra no mesmo seminário. Durante a manhã, Caetano conversou com jornalistas e enfatizou que, apesar da intervenção, a reforma permanece como uma pauta prioritária para o governo.

Ele disse que uma possível suspensão da intervenção federal antes de 31 de dezembro, prazo estipulado pelo decreto, não está em discussão no governo. "Não está (sendo conversado). O prazo que existe hoje no decreto é 31 de dezembro de 2018. Se, porventura, esse decreto for revogado, o debate retorna".

Para o secretário, o tema ocupará uma posição relevante no debate entre os postulantes ao Palácio do Planalto e a velocidade com que pode avançar no governo seguinte dependerá do presidente e dos parlamentares que forem eleitos. (da Agência Brasil, Vinícius Lisboa)



Últimas

2018/12/17 » Temer inaugura primeira etapa do Satélite Geoestacionário de Defesa
2018/12/17 » Embraer e Boeing firmam parceria para acelerar crescimento
2018/12/17 » BC anuncia que atividade econômica cresce 0,02% em outubro
2018/12/17 » Mercado mantém estimativa de inflação em 3,71% este ano
2018/12/14 » Participação de cidades de SP e RJ no PIB nacional cai para 16,2%
2018/12/14 » China é principal destino das exportações brasileiras em novembro
2018/12/14 » Setor de serviços cresce 0,1% em outubro, diz IBGE
2018/12/13 » Varejo tem queda de 0,4% de setembro para outubro, diz IBGE
2018/12/13 » Veja repercussão da decisão do Copom de manter Selic em 6,5% ao ano
2018/12/13 » Copom mantém Selic em 6,5% ao ano pela sexta vez seguida
2018/12/12 » Multinacionais têm até dia 31 para informar dados cadastrais à Receita
2018/12/12 » Pesquisa revela que 43% dos idosos respondem pelo sustento da casa
2018/12/12 » Efeito estufa: transporte responde por 25% das emissões globais
2018/12/11 » Produção de motocicletas tem alta de 19% no acumulado até novembro
2018/12/11 » IBGE prevê safra de grãos 1,7% maior no próximo ano
2018/12/11 » IBGE estima queda de 5,5% na safra de grãos deste ano
2018/12/11 » Índice usado em contratos de aluguel acumula taxa de 7,45% em 12 meses
2018/12/10 » Demanda por bens industriais cresce 0,3% em outubro
2018/12/10 » Mercado reduz estimativa de inflação pela sétima vez
2018/12/10 » Intenção de investimentos da indústria cresce 4,4 pontos

Ver mais »