Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Reforma da Previdência poderá ser mais profunda no próximo governo, diz relator 12/03/2018

O deputado federal Arthur Maia (PPS-BA), relator da Reforma da Previdência na Câmara, disse hoje (12) acreditar que o próximo governo terá capital político suficiente para aprovar a reforma, mas previu que ela será mais profunda do que a que está em discussão. Maia participou do seminário Reforma da Previdência: uma reflexão necessária, na Fundação Getúlio Vargas, no Rio de Janeiro.

Na opinião do parlamentar, o próximo governo terá condições políticas de fazer uma reforma mais dura e aprovará um projeto diferente do que consta no parecer em discussão na Câmara dos Deputados, assinado por ele. "Certamente, se fará outra reforma. Ao meu ver, será uma reforma mais dura e muito mais profunda", disse ele, que acrescentou: "O novo presidente eleito entra com todo o capital político para adotar as medidas que sejam necessárias. Não importa qual seja o viés ideológico de quem se eleja, tenho convicção de que será uma reforma muito mais profunda que a que consta no meu parecer."

A legislação determina que, em função da intervenção federal na segurança pública do estado do Rio, o Congresso não pode promver alteração à Constituição, como é o caso da Reforma da Previdência. Maia afirmou que não tratou da possibilidade de suspensão da intervenção para votar a reforma com ninguém e foi enfático ao apontar que o governo não tem os 308 votos necessários para aprovar a reforma na Câmara.

"Não temos votos. Não adianta. O governo não tem os 308 votos. Já fiz essa conta de baixo pra cima, de cima pra baixo, de norte para sul e de leste para oeste. Não temos votos", disse o deputado, que não descartou a possibilidade de o cenário mudar após as eleições: "Depois da eleição é outro planeta. Será outra realidade totalmente diferente".

À noite o secretário de Previdência do Ministério da Fazenda, Marcelo Caetano, fará uma palestra no mesmo seminário. Durante a manhã, Caetano conversou com jornalistas e enfatizou que, apesar da intervenção, a reforma permanece como uma pauta prioritária para o governo.

Ele disse que uma possível suspensão da intervenção federal antes de 31 de dezembro, prazo estipulado pelo decreto, não está em discussão no governo. "Não está (sendo conversado). O prazo que existe hoje no decreto é 31 de dezembro de 2018. Se, porventura, esse decreto for revogado, o debate retorna".

Para o secretário, o tema ocupará uma posição relevante no debate entre os postulantes ao Palácio do Planalto e a velocidade com que pode avançar no governo seguinte dependerá do presidente e dos parlamentares que forem eleitos. (da Agência Brasil, Vinícius Lisboa)



Últimas

2018/06/22 » Estatais registram lucro 44,8% maior no primeiro trimestre de 2018
2018/06/22 » Bancos terão expediente hoje na parte da tarde
2018/06/22 » Entidades defendem aprovação do cadastro positivo para reduzir juros
2018/06/20 » CNI: confiança do empresário industrial tem maior queda desde 2010
2018/06/20 » Associação médica alerta para riscos de tratamento contra varizes
2018/06/20 » Aneel regulamenta recarga de veículos elétricos
2018/06/20 » Brasil pode se tornar grande exportador de petróleo, diz executivo
2018/06/19 » Anac prevê leilão de mais 13 aeroportos até o fim do ano
2018/06/19 » Obesidade atinge quase 20% da população brasileira, mostra pesquisa
2018/06/19 » Temer sanciona lei que permite venda direta do óleo do pré-sal
2018/06/18 » Petrobras reduz em 1,24% o preço da gasolina nas refinarias
2018/06/18 » Mercado financeiro espera por manutenção da Selic em 6,50% esta semana
2018/06/18 » Saques do PIS/Pasep colocarão R$ 34,3 bilhões na economia
2018/06/18 » Brasil deixou de arrecadar R$ 354,7 bi com renúncias fiscais em 2017
2018/06/15 » Indústria paulista fecha 3,5 mil postos de trabalho em maio
2018/06/15 » Receita paga primeiro lote de restituição do Imposto de Renda 2018
2018/06/15 » Atividade econômica cresce 0,46% em abril
2018/06/15 » Privatização de distribuidoras da Eletrobras está prevista para julho
2018/06/15 » Por 6 votos a 5, STF impede conduções coercitivas para interrogatório
2018/06/13 » Acordo União Europeia-Mercosul deve sair até as eleições, diz ministro

Ver mais »