Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Governo mantém em R$ 139 bilhões a meta de déficit primário para 2019 13/04/2018

Apesar da melhoria na arrecadação da economia nos últimos meses, a equipe econômica manteve em R$ 139 bilhões a meta de déficit primário para o próximo ano. O valor consta da proposta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) de 2019, enviada nesta quinta-feira (12) ao Congresso Nacional.

O déficit primário é o resultado negativo nas contas do governo sem o pagamento dos juros da dívida pública. A LDO de 2018 estipulava uma meta de déficit primário de R$ 139 bilhões para o Governo Central – Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central. Isso ocorre porque a LDO de um ano traz previsões para os três anos seguintes.

Há dois dias, o novo ministro do Planejamento, Esteves Colnago, tinha confirmado que o governo estudava a redução da meta de déficit primário para 2019 por causa da melhoria da arrecadação nos últimos meses. O governo, no entanto, recuou e decidiu manter a meta no valor estipulado.

“A ideia é não criar restrições desnecessárias para o próximo presidente”, disse Colnago hoje, ao explicar a decisão de não mudar o valor da meta fiscal.

Apesar de não ter alterado a meta de déficit para o Governo Central, a proposta da LDO aumentará a meta de superávit primário (resultado positivo desconsiderando os juros da dívida pública) dos estados e dos municípios de R$ 4,7 bilhões (valor da LDO de 2018) para R$ 10,5 bilhões na proposta da LDO para 2019. A meta das empresas estatais federais foi mantida em déficit de R$ 3,5 bilhões.

O texto da LDO prevê déficit primário de R$ 110 bilhões para o Governo Central em 2020 e de R$ 70 bilhões para 2021. Originalmente, a LDO de 2018 estipulava déficit de R$ 65 bilhões para 2020. O valor para 2021 é inédito.

A LDO define os parâmetros e as metas fiscais para a elaboração do Orçamento do ano seguinte. Pela legislação, o governo deve enviar o projeto até 15 de abril de cada ano. Caso os parlamentares não consigam aprovar a LDO até o fim do semestre legislativo, em 17 de julho, o Congresso não pode entrar em recesso. (da Agência Brasil, Wellton Máximo e Paulo Victor Chagas)



Últimas

2018/04/24 » Arrecadação cresce 3,95%, melhor resultado para março em 3 anos
2018/04/24 » Redução de peso pode evitar 15 mil casos de câncer por ano no Brasil
2018/04/24 » Contratações por salário menor fazem cair arrecadação da Previdência
2018/04/23 » Mercado reduz pela quarta vez a projeção de crescimento da economia
2018/04/23 » Pacote com medidas contra corrupção pode ser consultado até o dia 30
2018/04/23 » Vacinação contra a gripe começa hoje em todo o país
2018/04/23 » Exportação e reserva internacional mantêm risco país em níveis baixos
2018/04/20 » Mortes de ciclistas aumentam 17,8% no estado de São Paulo
2018/04/20 » Anatel aprova redução na tarifa de telefonia fixa da Telefônica
2018/04/20 » Simplificação do PIS/Cofins deve ir ao Congresso em maio, diz ministro
2018/04/19 » União Europeia embarga 20 frigoríficos de frango do Brasil
2018/04/19 » Brasil precisa continuar reformas, diz chefe do FMI
2018/04/19 » Brasil avança no controle contra lavagem de dinheiro, diz relatório
2018/04/19 » Entra em vigor pena maior para motorista bêbado que mata em acidente
2018/04/19 » Confiança do empresário recua pela primeira vez após oito meses
2018/04/18 » Estações do Metrô em SP oferecem vacina contra febre amarela
2018/04/18 » Campanha de vacinação contra gripe começa no dia 23 de abril
2018/04/18 » Brasil só terá superávit primário daqui a quatro anos, diz FMI
2018/04/18 » Economia mundial dá sinais favoráveis de crescimento, diz FMI
2018/04/18 » Sobe percentual de homens que fazem tarefas domésticas, diz IBGE

Ver mais »