Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Mercado prevê alta de 1,94% no PIB e inflação de 3,82% em 2018 11/06/2018

As informação estão no Boletim Focus, divulgado hoje (11) pelo BC

A estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia continua em queda, enquanto a projeção para a inflação sobe. De acordo com o Boletim Focus, publicação divulgada na internet todas as semanas pelo Banco Central (BC), a projeção para a expansão do Produto Interno Bruto (PIB) – a soma de todos os bens e serviços produzidos no país – passou de 2,18% para 1,94%. Essa foi a sexta redução seguida.

Até a previsão de crescimento do PIB para 2019, que permanecia inalterada há 18 semanas seguidas, foi ajustada de 3% para 2,80%, no boletim divulgado hoje (11).

A estimativa para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) subiu de 3,65% para 3,82% este ano, no quarto aumento seguido. Para 2019, a projeção foi ajustada de 4,01% para 4,07%.

Mesmo assim, a expectativa para a inflação permanece abaixo da meta, que é 4,5%, com limite inferior de 3% e superior de 6%. Para 2019, a meta é 4,25%, com intervalo de tolerância entre 2,75% e 5,75%.

SELIC
Para alcançar a meta, o BC usa como principal instrumento a taxa básica de juros, a Selic, atualmente em 6,50% ao ano. Quando o Comitê de Política Monetária (Copom) do BC aumenta a Selic, o objetivo é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança.

Quando o Copom diminui os juros básicos, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação.

A manutenção da Selic, como prevê o mercado financeiro, indica que o Copom considera suficientes para chegar à meta as alterações anteriores.

Para o mercado, a Selic deve permanecer em 6,50% ao ano até o fim de 2018 e subir ao longo de 2019, encerrando o período em 8% ao ano.

Na semana passada, com a disparada dos juros futuros e do dólar, que chegou a superar R$ 3,90, investidores consideraram a possibilidade de o Copom elevar a taxa Selic, mesmo com a inflação abaixo do centro da meta e a economia em recuperação. Entretanto, o presidente do BC, Ilan Goldfajn, descartou a possibilidade de usar a Selic para interferir no câmbio, mas apenas para controlar a inflação. “Na próxima reunião, o comitê analisará essas condições com foco como sempre nas projeções e expectativas de inflação e o seu balanço de riscos”, disse.

Na quinta-feira passada (7), o BC anunciou uma intervenção mais forte no mercado de câmbio. Com isso, o dólar comercial fechou a sexta-feira (8) cotado a R$ 3,706, queda de 5,59%. O movimento interrompeu três altas seguidas ao longo da semana, e ocorreu um dia depois de a moeda norte-americana ter fechado o pregão ao valor R$ 3,926 – a maior cotação desde março de 2016.

A previsão do mercado financeiro para a cotação do dólar permanece em R$ 3,50, tanto para o fim deste ano quanto para o final de 2019. (da Agência Brasil, Kelly Oliveira)



Últimas

2018/10/17 » Atividade econômica registra terceiro mês seguido de crescimento
2018/10/17 » Indústria paulista gera 500 vagas de emprego em setembro
2018/10/17 » STF decide que imóveis de programa habitacional não pagam tributos
2018/10/16 » Setor de serviços cresce 1,2% de julho para agosto
2018/10/16 » Consumidores não acham que produção de alimento ameace o meio ambiente
2018/10/16 » Trocas de operadora de telefonia chegam a 1,6 milhão em três meses
2018/10/15 » Bancos já podem receber boletos vencidos acima de R$ 100
2018/10/15 » ANP autoriza dez empresas para oferta permanente de petróleo
2018/10/15 » Estimativa de inflação sobe pela quinta vez e vai para 4,43% este ano
2018/10/11 » Commodities aumentam participação nas exportações brasileiras, diz FGV
2018/10/11 » IBGE reduz estimativa de queda da safra para 6% neste ano
2018/10/11 » CNI reduz de 1,6% para 1,3% projeção de expansão da economia este ano
2018/10/11 » Com 238,5 milhões de toneladas, Conab estima recorde da safra de grãos
2018/10/11 » Comércio varejista cresce 1,3%, diz pesquisa do IBGE
2018/10/10 » Índice usado em contratos de aluguel acumula alta de 10,99%
2018/10/10 » Combustíveis e transportes têm maiores altas em setembro
2018/10/10 » Começa hoje segunda fase do eSocial para empresas de médio porte
2018/10/09 » Produção de motocicletas cresce 5,2% em setembro, diz Abraciclo
2018/10/09 » Greve dos caminhoneiros diminuiu produtividade da indústria, diz CNI
2018/10/09 » ANP: fiscalização a postos aumenta em 2018; autos de infração diminuem

Ver mais »