Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Mercado aumenta projeção para taxa básica de juros em 2021 18/02/2021

Expectativa é que a Selic encerre o ano em 3,75%  

A expectativa do mercado financeiro é que a taxa básica de juros, a Selic, suba em 2021 e encerre o ano em 3,75%. Na semana passada, essa estimativa era de 3,50%, de acordo com o boletim Focus desta quarta-feira (17), pesquisa divulgada semanalmente pelo Banco Central (BC), com a projeção para os principais indicadores econômicos.

Para o fim de 2022, a estimativa é que a taxa básica fique em 5%. E para o fim de 2023 e 2024, a previsão é 6% ao ano. A Selic, estabelecida atualmente em 2% ao ano pelo Comitê de Política Monetária (Copom), é o principal instrumento utilizado pelo BC para alcançar a meta de inflação.

Quando o Copom aumenta a taxa básica de juros, a finalidade é conter a demanda aquecida, e isso causa reflexos nos preços porque os juros mais altos encarecem o crédito e estimulam a poupança. Entretanto, os bancos consideram outros fatores na hora de definir os juros cobrados dos consumidores, como risco de inadimplência, lucro e despesas administrativas.

Quando o Copom reduz a Selic, a tendência é que o crédito fique mais barato, com incentivo à produção e ao consumo, reduzindo o controle da inflação e estimulando a atividade econômica.

Inflação 

A previsão das instituições financeiras para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA - a inflação oficial do país) variou de 3,60% para 3,62%. Para 2022, a estimativa de inflação é de 3,49%. Tanto para 2023 como para 2024 as projeções são de 3,25%.

O cálculo para 2021 está abaixo da meta de inflação que deve ser perseguida pelo BC. A meta, definida pelo Conselho Monetário Nacional, é de 3,75% para este ano, com intervalo de tolerância de 1,5 ponto percentual para cima ou para baixo. Ou seja, o limite inferior é 2,25% e o superior, 5,25%.

PIB e dólar 

Já a estimativa do mercado financeiro para o crescimento da economia caiu de 3,47% para 3,43% em 2021. Para o próximo ano, a expectativa para Produto Interno Bruto (PIB) - a soma de todos os bens e serviços produzidos no país - é de crescimento de 2,50%, a mesma previsão há 147 semanas consecutivas. Em 2023 e 2024, o mercado financeiro também continua projetando expansão do PIB em 2,50%.

A expectativa para a cotação do dólar permanece em R$ 5,01, ao final deste ano. Para o fim de 2022, a previsão é que a moeda americana fique em R$ 5. (da Agência Brasil, Andreia Verdélio)  



Últimas

2021/04/14 » Mais de 620 mil micro e pequenas empresas foram abertas em 2020
2021/04/14 » Inflação acelera para todas as faixas de renda em março, diz Ipea
2021/04/14 » Taxa de empréstimo pessoal tem pequena alta em abril, aponta Procon-SP
2021/04/14 » Comércio varejista cresce 0,6% em fevereiro, diz IBGE
2021/04/13 » Calendário de restituições não muda com novo prazo do Imposto de Renda
2021/04/13 » Mercado financeiro eleva projeção da inflação para 4,85% este ano
2021/04/13 » Inflação para idosos acumula taxa de 6,2% em 12 meses
2021/04/12 » Cadastro de imóveis rurais será completamente digitalizado
2021/04/12 » Confaz aprova parte da regulamentação da nova Lei do Gás
2021/04/12 » CNI defende rápida regulamentação da Lei do Gás
2021/04/12 » Indicador econômico global mantém trajetória de recuperação, diz FGV
2021/04/09 » As principais mudanças do Marco Legal do Gás
2021/04/09 » Inflação foi de 0,93% em março, maior alta para o mês desde 2015
2021/04/09 » Mais de 70% das indústrias têm dificuldades em conseguir matéria-prima
2021/04/09 » Custo da construção sobe 1,45% em março, diz IBGE
2021/04/09 » Crédito imobiliário da Caixa bate recorde no primeiro trimestre
2021/04/09 » Um quarto das pequenas empresas fechou em fevereiro, revela pesquisa
2021/04/09 » BNDES lança nova modalidade de crédito para a área rural
2021/04/09 » Dieese: custo da cesta básica cai em 12 capitais em março
2021/04/09 » Trabalhadores autônomos foram mais prejudicados por pandemia em 2020

Ver mais »