Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Analistas financeiros reduzem novamente previsão de crescimento do PIB em 2006 18/12/2006

Brasília, 18/12/2006 - Analistas do mercado e de instituições financeiras ouvidos pelo Banco Central (BC) na pesquisa boletim Focus reduziram ainda mais a projeção de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB, a soma de todas as riquezas produzidas no país) em 2006.

Segundo o relatório, divulgado hoje (18), a previsão caiu dos 2,8% estimados na semana passada para 2,76%. Na semana anterior a estimativa já tinha caído, passando de 2,86% para 2,8%.

Às vésperas do anúncio de uma série de medidas para promover o crescimento econômico, os analistas mantiveram a previsão de crescimento de 3,5% em 2007.

A projeção para a produção industrial também ficou estável: 3,09% em 2006 e 4% no próximo ano.

O boletim Focus, divulgado a cada segunda-feira, mantém em 50,10% a relação entre a dívida líquida do setor público e o PIB. Para o encerramento de 2007, a projeção cai para 49%.

A taxa básica de juros da economia (Selic), que fecha 2006 em 13,25% ao ano, deve ter nova redução em janeiro do próximo ano, quando ocorre a primeira reunião do Comitê de Política Monetária (Copom). Segundo os economistas, a taxa deve cair 0,25% ponto percentual no próximo encontro do Copom, chegando ao final de 2007 a 12% ao ano.

Para a balança comercial, a previsão dos analistas aponta para superávit (quando as exportações superam as importações) de US$ 45 bilhões em 2006.

No próximo ano, os economistas estimam que a balança continuará positiva, mas em US$ 38 bilhões. Essa projeção vai de encontro à expectativa do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Luiz Fernando Furlan, que prevê  um crescimento das importações, provocado pelo aquecimento da produção nacional.

Na semana passada, ao fazer um balanço de sua atuação nos quatro anos de governo Lula, o minsitro não arriscou números, mas comentou que se o superávit ficar ao redor de US$ 40 bilhões no ano que vem será um movimento saudável para a economia brasileira.

 

 

 

 

 

Agência Brasil - Edla Lula

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Últimas

2019/10/16 » PIB tem alta de 0,6% no trimestre encerrado em agosto, diz FGV
2019/10/16 » Dia Mundial da Alimentação destaca valor da refeição saudável
2019/10/16 » Mais de 1 milhão de estudantes já visualizaram o cartão do Enem
2019/10/15 » Publicado decreto que regulamenta o trabalho temporário
2019/10/15 » Governo libera R$ 7,27 bi do Orçamento com recursos do petróleo
2019/10/15 » Nova cota para compras em free shops começa em 2020, diz presidente
2019/10/14 » Atividade econômica cresce 0,07% em agosto no Brasil
2019/10/14 » Nobel de Economia premia trio pelo combate à pobreza no mundo
2019/10/14 » Mercado financeiro reduz estimativa de inflação para 3,28% em 2019
2019/10/11 » BC dá aval para Cadastro Positivo começar a funcionar
2019/10/11 » CNI diz que PIB crescerá 0,9% este ano
2019/10/11 » Tratamento de médicos da USP faz desaparecer células de linfoma
2019/10/11 » Setor de serviços recua 0,2% de julho para agosto
2019/10/11 » Governo vai dobrar limite de compras em free shops
2019/10/11 » Dia mundial chama atenção para o estigma da obesidade
2019/10/10 » 16ª Rodada da ANP inclui áreas de elevado potencial e nova fronteira
2019/10/10 » Safra de grãos deve crescer 6,3% e fechar com recorde em 2019
2019/10/10 » Vendas do varejo sobem 0,1% de julho para agosto
2019/10/10 » IGP-M acumula inflação de 3,16% em 12 meses
2019/10/09 » Proposta de reforma do serviço público deve ser concluída este mês

Ver mais »