Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Corte dos gastos públicos é fundamental para garantir crescimento do país, afirma presidente da CNI 19/12/2006

Brasília, 19/12/2006 - A aceleração do ritmo de crescimento da economia brasileira depende da redução dos gastos públicos. O alerta está no estudo Economia Brasileira Desempenho e Perspectivas apresentado nesta terça-feira, 19 de dezembro, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). "O que impossibilita o melhor desempenho da economia é o gasto público que cresce extraordinariamente, ocupando o espaço que deveria ser dos investimentos", afirmou o presidente da CNI, Armando Monteiro Neto.

Ele destacou que o país precisa de uma agenda que controle os gastos públicos, melhore a qualidade dos gastos e crie incentivos aos investimentos privados no país. "O que nós temos hoje é um quadro onde o estado investe pouco porque os recursos são consumidos pela despesa corrente. Então, para estimular o investimento público é preciso colocar um freio nos gastos e estimular o setor privado por meio de marcos regulatórios claros, regras previsíveis e segurança jurídica”, disse.

A desoneração fiscal e a redução da carga tributária e a reforma tributária são apontadas pelo documento como fundamentais para garantir o desenvolvimento sustentável. "Se não encaixarmos isso na agenda ficaremos a cada ano compartilhando frustração. Além disso, os spreads bancários ainda são uma grande trava porque a queda da taxa Selic não foi acompanhada de uma redução na taxa nominal", destacou Monteiro Neto. Segundo ele, existe a consciência de que a agenda é complexa, densa e envolve um conjunto de iniciativas interligadas.

 “Sabemos que de maneira isolada não é possível produzir o espetáculo do crescimento. Os juros no Brasil não estão declinando e não estão compatíveis com a nova realidade de inflação. Os spreads bancários e margens de intermediação financeira são absolutamente incompatíveis com as necessidades do país”, afirmou.

Sobre o pacote de medidas econômicas que o governo federal anunciará ainda essa semana, Monteiro Neto afirmou que as medidas cogitadas estão na direção correta porque contemplam o controle de gastos, no entanto, é preciso saber se serão medidas eficientes. “A expectativa é maior com relação a área fiscal. Precisamos saber qual é o alcance no controle e redução do gasto público.”

 

 

 

 

 

Agência CNI

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Últimas

2020/09/18 » Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor
2020/09/18 » Confiança do empresário do comércio tem alta recorde em setembro
2020/09/18 » IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto
2020/09/18 » CNI apresenta propostas para retomada da economia
2020/09/18 » Abertura de empresas cresce, enquanto fechamento recua em 8 meses
2020/09/18 » Governo já desembolsou R$ 197 bilhões em auxílio emergencial
2020/09/17 » Entidades elogiam decisão do Copom de manter a Selic
2020/09/17 » Prefeitura de São Paulo adota home office permanente
2020/09/17 » PIB tem queda de 4% no trimestre encerrado em julho, aponta FGV
2020/09/16 » Petrobras quer vender mais ativos de exploração e produção
2020/09/16 » Saques no comércio com Pix começam no 2º trimestre de 2021
2020/09/16 » Concessionária da Malha Paulista e Norte-Sul antecipa outorgas
2020/09/15 » Confiança do empresário industrial cresce pelo quinto mês consecutivo
2020/09/15 » União pode quebrar se forem criados novos fundos, diz Guedes
2020/09/15 » Medidas de ajuste fiscal podem gerar economia de R$ 816 bi em dez anos
2020/09/14 » Governo federal qualifica rodovias e portos no PPI
2020/09/14 » Indicador de Atividade Econômica aponta crescimento de 2,8% em julho
2020/09/14 » ANP: empresas tem até dia 21 para se inscrever na oferta permanente
2020/09/14 » Inflação do acesso à internet superou índice geral em agosto
2020/09/11 » Demanda interna por bens industriais aumentou 5% em julho

Ver mais »