Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
IPCA-E fecha ano em 2,96%, com IPCA-15 de dezembro em 0,35% 20/12/2006
Rio de Janeiro, 20/12/2006 - O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) teve variação de 0,35% em dezembro, muito próxima à de 0,37% de novembro. Com isso, o IPCA-E (Índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial) fechou o ano em 2,96%, bem abaixo dos 5,88% de 2005. Para o cálculo do IPCA-15, os preços foram coletados no período de 14 de novembro a 11 de dezembro e comparados com aqueles vigentes de 12 de outubro a 13 de novembro. O indicador refere-se às famílias com rendimento de 1 a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia. A metodologia utilizada é a mesma do IPCA; a diferença está no período de coleta dos preços. Já o IPCA-E, é o IPCA-15 acumulado em períodos.No IPCA-15 de dezembro, a variação do grupo alimentação e bebidas foi de 0,48%, bem menor do que a de novembro (1,35%). O destaque foi o fim dos aumentos que vinham sendo praticados nos preços das carnes (de 4,23% em novembro para -0,07% em dezembro) e do frango (de 13,03% para -0,96%). No entanto, mesmo com o forte recuo na taxa dos alimentos, a alta em itens de consumo importantes levou ao equilíbrio do índice de um mês para o outro.Um deles foi o vestuário, que, com a proximidade das festas de final de ano, apresentou elevação de 1,02% (0,45% em novembro). Os preços das roupas masculinas chegaram a subir 1,69%, e o das femininas, 1,57%.Outro item com alta foi o cigarro, que apresentou variação de 4,66% (1,94% em novembro) tendo em vista aumentos nas regiões metropolitanas de São Paulo (7,92%), Porto Alegre ( 8,13%) e Curitiba (9,69%).Mas o principal impacto (0,07 ponto percentual) foi exercido pelos ônibus urbanos, cujas tarifas aumentaram 2,01%, após a estabilidade de novembro. O resultado dos ônibus foi fortemente influenciado pelo reajuste de 15,00% de São Paulo, em vigor em a partir do dia 30 de novembro, trazendo, no mês, uma variação de 6,50% no item daquela região metropolitana. Também no Rio de Janeiro ocorreu reajuste nos ônibus urbanos, de 5,26% a partir do dia 4 de dezembro, trazendo uma variação de 1,58% no mês no item da região.Subiram também as tarifas dos ônibus intermunicipais (de 0,29% para 1,63%), por causa dos aumentos ocorridos nas regiões metropolitanas de São Paulo (5,57%), Salvador (4,39%) e Fortaleza (1,65%).

Dentre os índices regionais, o maior resultado foi registrado em Goiânia (0,71%), onde os alimentos tiveram alta de 1,16%. Os menores ficaram com o Rio de Janeiro (0,13%) e Porto Alegre (0,14%).

 


Últimas

2020/01/22 » CNC: intenção de consumo das famílias tem melhor janeiro desde 2015
2020/01/22 » Confiança da indústria cresce 1,1 ponto na prévia de janeiro
2020/01/22 » Brasil cria centro para indústria 4.0 no Fórum Econômico Mundial
2020/01/21 » Brasil passou para quarto destino de investimentos no mundo em 2019
2020/01/21 » Inflação dos aluguéis acumula taxa de 7,91% em 12 meses, diz FGV
2020/01/21 » Guedes conversa com ministros suíços e CEOs de empresas em Davos
2020/01/20 » Mercado financeiro reduz estimativa de inflação este ano para 3,56%
2020/01/20 » Agência Brasil explica: quem pode ser um microempreendedor individual?
2020/01/17 » Varejo de SP espera crescimento de 5% em vendas de materiais escolares
2020/01/17 » Confiança do empresário do comércio tem melhor janeiro desde 2013
2020/01/17 » Dólar fecha acima de R$ 4,19, no maior valor desde início de dezembro
2020/01/17 » Atividade econômica cresce 0,18%, diz Banco Central
2020/01/16 » Dataprev é incluída no Programa Nacional de Desestatização
2020/01/16 » Ipea: alíquota de novo imposto proposto em PECs deve ficar em 27%
2020/01/16 » Inflação pelo Índice Geral de Preços–10 cai de 1,69% para 1,07%
2020/01/15 » Governo quer vender R$ 150 bi em participações em empresas em 2020
2020/01/15 » Novo reajuste do mínimo pode ter impacto de R$ 2,13 bi no Orçamento
2020/01/15 » Mochilas pesadas na infância podem acarretar problemas na fase adulta
2020/01/14 » Consumidor espera saldões para comprar com desconto produto mais caro
2020/01/14 » IR: contribuinte não poderá deduzir gasto com previdência de doméstica

Ver mais »