Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Alimentos puxam inflação medida pelo IGP-M em janeiro 30/01/2007

 

Rio de Janeiro, 30/01/2007 - A inflação medida pelo Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), da Fundação Getúlio Vargas, subiu 0,50% em janeiro, revelando alta de  0,18 ponto percentual em relação à variação observada em dezembro do ano passado (0,32%). O IGP-M é composto de outros três indices (Índice de Preços por Atacado, Índice de Preços ao Consumidor e o Índice Nacional de Custo da Construção) e mede variação de preços de famílias do Rio e São Paulo que recebem de um a 33 salários mínimos.

A maior pressão no sentido do aumento da taxa foi exercida pelo grupo Alimentação, dentro do Índice de Preços ao Consumidor (IPC),  que passou de -0,11% em dezembro para 1,43% em janeiro. A maior influência nesse grupo foi observada em alimentos in natura, devido à elevação registrada no item hortaliças e legumes, que evoluiu de -2,38% para 8,24% positivos. Por produto, tomate, com elevação de 45,07% no atacado e 19,82% no varejo, foi o destaque, após deflação em dezembro de 23,35%, dentro de Índice de Preços por Atacado (IPA) e 14,28% para o consumidor.

O IPC em janeiro variou 0,81%, contra 0,39% em dezembro. Ainda em nível de varejo, a FGV destacou, já no sentido de baixa, o grupo Transportes, cuja taxa caiu de 2,30% para 1,42%, em função do impacto decrescente do reajuste da tarifa de ônibus urbano, que caiu de 5,92% para 2,85%.

Acompanhando a tendência de alta, o IPA variou 0,40% no primeiro mês de 2007, contra 0,29% no mês anterior. Tanto os produtos agrícolas como os industriais tiveram incremento, passando de 0,30% e 0,29% para 0,59% e 0,33%, respectivamente.

Do mesmo modo, o Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) subiu 0,45% em janeiro, contra 0,30% em dezembro. Mão-de-obra foi o grupo que mostrou a maior alta (0,50%) em relação a dezembro (0,11%), por conta de reajustes salariais. Materiais e Serviços, ao contrário, apresentaram retração, caindo de um patamar de 0,47% para 0,40%.

O IGP-M é calculado com base nos preços coletados entre os dias 21 do mês anterior e 20 do mês de referência e serve como base para o reajuste de aluguéis.  Nos últimos 12 meses, a inflação apurada é de 3,40%.

 

 

 

 

Agência Brasil - Alana Gandra

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Últimas

2021/04/19 » O que é Ibovespa
2021/04/19 » Setor energético terá investimentos de R$ 3 tri até 2030, diz ministro
2021/04/19 » Banco Central altera norma para segunda fase do open banking
2021/04/16 » Serviços registram crescimento de 3,7% em fevereiro, diz IBGE
2021/04/16 » LDO de 2022 destravará gastos com obras em caso de atraso no Orçamento
2021/04/16 » Projeto da LDO prevê crescimento de 2,5% para o próximo ano
2021/04/16 » Governo propõe salário mínimo de R$ 1.147 em 2022, sem aumento real
2021/04/16 » Petrobras aumenta preços do diesel e da gasolina nas refinarias
2021/04/16 » IGP-10 acumula inflação de 31,74% em 12 meses, diz FGV
2021/04/15 » Abertura de empresas bate recorde em 2020, diz Serasa
2021/04/15 » Indicador Antecedente tem queda de 2,2% em março, revela FGV
2021/04/15 » Vendas nos supermercados têm alta de 5,18% em fevereiro
2021/04/15 » Economia abre consulta pública para debater nova Lei de Licitações
2021/04/15 » Impacto da pandemia é maior para trabalhadores jovens, diz Ipea
2021/04/15 » Confiança do empresário cai pelo quarto mês seguido, diz CNI
2021/04/14 » Mais de 620 mil micro e pequenas empresas foram abertas em 2020
2021/04/14 » Inflação acelera para todas as faixas de renda em março, diz Ipea
2021/04/14 » Taxa de empréstimo pessoal tem pequena alta em abril, aponta Procon-SP
2021/04/14 » Comércio varejista cresce 0,6% em fevereiro, diz IBGE
2021/04/13 » Calendário de restituições não muda com novo prazo do Imposto de Renda

Ver mais »