Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Doenças de trabalho vão deixar de ser ocultadas em bancos, avalia sindicato 14/02/2007

 

Brasília, 14/02/2007 - Vinte mil bancários já tiveram que pedir afastamento do trabalho. A maioria, segundo o sindicato da categoria, por sofrer de Lesão por Esforço Repetitivo (LER) e Distúrbio Osteomuscular Relacionado ao Trabalho (DORT). Os números fazem da categoria uma das mais atingidas por acidentes de trabalho. Com a publicação de decreto, hoje (13), esses trabalhadores não terão mais que esperar a empresa reconhecer que houve uma doença ocupacional para ter acesso ao benefício do Instituto Nacional de Seguro Social (INSS).

Essa mudança, vai dificultar que as doenças ocupacionais sejam ocultadas, na opinião do diretor do Sindicato dos Bancários de Brasília, Eduardo Araújo de Souza. "As doenças ocupacionais não apareciam estatisticamente. Agora, a gente acredita que vai melhorar essa estatística e também as empresas vão ter que tomar atitudes mais voltadas para a prevenção das doenças, porque elas podem pagar mais caro por isso”, avalia o diretor.

Menos de 60% das pessoas que entram com pedido de licença médica têm a demanda atendida, segundo Araújo. "Nós temos que entrar na justiça em praticamente 40% dos casos porque a empresa ou peritos não reconhecem como doença".

Desde 1990, a categoria luta para que LER e DORT sejam reconhecidas como doença do trabalho. "Facilita para que os bancários que apresentam  esses sintomas sejam reabilitados ou transferidos para outra função, sem que sejam demitidos, porque se não for reconhecido como doença de trabalho fatalmente a empresa pode demiti-lo assim que acabar a licença saúde”, diz.

Ele explica que, a partir da mudança do decreto, quando um médico do INSS atender um trabalhador e verificar que ele possui uma doença cuja incidência esteja acima da média da população normal, dentro daquela categoria de trabalhadores, já poderá caracterizar a situação como acidente de trabalho.

O diretor do sindicato defende que os bancos façam um trabalho médico-preventivo para evitar que os empregados tenham que se afastar do trabalho. “O sistema bancário é um dos que têm mais lucro no país, mas trabalha com uma quantidade muito pequena de pessoas. O excesso da carga de trabalho poderia ser minimizado com a contratação de novos empregados, mas eles só querem o lucro. Não querem gastar em engenharia e medicina do trabalho”.

Atualmente, o sindicato está realizado uma pesquisa sobre a saúde mental dos bancários e espera que em breve, doenças relacionadas a esse aspecto também sejam reconhecidas. “Com esse decreto a gente acredita que logo, logo, vamos conseguir incluir essa questão da saúde mental para os trabalhadores bancários”.

 

 

 

 

Agência Brasil - Érica Santana

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Últimas

2020/12/04 » Receita Federal e Banco do Brasil iniciam arrecadação com Pix
2020/12/04 » Desentendimento político interrompe reforma tributária, diz Guedes
2020/12/04 » Pix tem 100 milhões de chaves registradas
2020/12/03 » Concessões de aeroportos, rodovias, portos e ferrovias entram no PPI
2020/12/03 » PPI tem 115 ativos para leilões e projetos de concessão em 2021
2020/12/03 » Venda de veículos automotores aumenta 0,45% de outubro para novembro
2020/12/03 » Produção industrial cresceu 1,1% em outubro, diz IBGE
2020/12/02 » CNI: produtividade do trabalho na indústria cresce 8% no 3º trimestre
2020/12/02 » Balança comercial registra superávit de US$ 3,73 bi em novembro
2020/12/02 » CNA prevê aumento da produção do agronegócio no próximo ano
2020/12/02 » População desocupada atinge 13,76 milhões em outubro
2020/12/01 » Ipea: investimentos têm alta de 3,5% em setembro
2020/12/01 » Contas públicas registram saldo positivo após oito meses de déficit
2020/12/01 » Estimativa do mercado financeiro para a inflação sobe para 3,54%
2020/11/30 » ANP retoma a 17ª Rodada de Licitações
2020/11/30 » Corretoras poderão atuar com pagamentos de boletos a partir de janeiro
2020/11/30 » Confiança da indústria atinge maior valor em dez anos, diz FGV
2020/11/30 » Fiscalização do Procon-SP registra infração em 70% de lojas visitadas
2020/11/30 » Taxa de desemprego passa de 13,3% para 14,6% no terceiro trimestre
2020/11/30 » Inflação do aluguel sobe e acumula 24,52% em 12 meses

Ver mais »