Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Emprego na indústria volta a crescer depois de três meses de queda 16/03/2007

 

Rio de Janeiro, 16/03/2007 - Após registrar queda por três meses consecutivos e acumular 0,6% de recuo, o emprego na indústria voltou a crescer e fechou o mês de janeiro com expansão de 0,3%. Já em relação ao mesmo período de 2006, o emprego industrial cresceu 0,9% e registrou a maior taxa neste tipo de comparação desde julho de 2005.

Os dados fazem parte da Pesquisa Industrial Mensal de Emprego e Salário (Pimes), divulgada hoje (16) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Para o economista da coordenação da indústria, André Luiz Macedo, o resultado de janeiro aponta uma estabilidade do emprego no setor.

“É uma avaliação positiva importante porque reverte três meses de recuo, porém a leitura ainda é de estabilidade no emprego industrial”, afirmou.

Na comparação entre os meses de janeiro dos dois anos, a pesquisa do IBGE aponta que houve um predomínio de resultados positivos tanto de locais como de setores. Nove dos 14 locais pesquisados e 10 dos 18 segmentos investigados apresentaram expansão.

O número de contratações foi maior nas indústrias de alimentos e bebidas (6,9%), produtos de metal (3,4%) e refino de petróleo e produção de álcool (14,1%). Já os setores que mais demitiram foram os de calçados e artigos de couro (-9,4%), vestuário (-5,9%) e borracha e plástico (-2,3%).

O emprego industrial apresentou taxas de crescimento mais relevantes em São Paulo (1,7%), na região Norte e Centro-Oeste (4,3%) e Nordeste (2,6%).

A folha de pagamento da indústria também abriu o ano em expansão. A renda do trabalhador do setor cresceu 9% em janeiro na passagem de um mês para o outro. De acordo com Macedo, no entanto, esse resultado deve ser relativizado, uma vez que recupera perdas observadas nos dois meses anteriores e é inchado por pagamentos extras típicos do mês.

“Essa expansão de 9% vem depois de quedas que acumularam 7,4%. Além disso, no mês de janeiro há um maior pagamento de lucros e benefícios, como décimo terceiro salário e férias”, explicou o economista.

Também houve expansão do poder de compra do trabalhador da indústria em relação ao mês de janeiro do ano passado. Nesta base de comparação, a folha cresceu 3,9% e acumula em 12 meses alta de 1,7%.

 

 

 

 

 

Agência Brasil - Thaís Leitão

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Últimas

2020/12/04 » Receita Federal e Banco do Brasil iniciam arrecadação com Pix
2020/12/04 » Desentendimento político interrompe reforma tributária, diz Guedes
2020/12/04 » Pix tem 100 milhões de chaves registradas
2020/12/03 » Concessões de aeroportos, rodovias, portos e ferrovias entram no PPI
2020/12/03 » PPI tem 115 ativos para leilões e projetos de concessão em 2021
2020/12/03 » Venda de veículos automotores aumenta 0,45% de outubro para novembro
2020/12/03 » Produção industrial cresceu 1,1% em outubro, diz IBGE
2020/12/02 » CNI: produtividade do trabalho na indústria cresce 8% no 3º trimestre
2020/12/02 » Balança comercial registra superávit de US$ 3,73 bi em novembro
2020/12/02 » CNA prevê aumento da produção do agronegócio no próximo ano
2020/12/02 » População desocupada atinge 13,76 milhões em outubro
2020/12/01 » Ipea: investimentos têm alta de 3,5% em setembro
2020/12/01 » Contas públicas registram saldo positivo após oito meses de déficit
2020/12/01 » Estimativa do mercado financeiro para a inflação sobe para 3,54%
2020/11/30 » ANP retoma a 17ª Rodada de Licitações
2020/11/30 » Corretoras poderão atuar com pagamentos de boletos a partir de janeiro
2020/11/30 » Confiança da indústria atinge maior valor em dez anos, diz FGV
2020/11/30 » Fiscalização do Procon-SP registra infração em 70% de lojas visitadas
2020/11/30 » Taxa de desemprego passa de 13,3% para 14,6% no terceiro trimestre
2020/11/30 » Inflação do aluguel sobe e acumula 24,52% em 12 meses

Ver mais »