Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Real valorizado reflete bons resultados da economia, defende Mantega 05/04/2007

 

Brasília, 5/04/2007 - A valorização do real frente ao dólar reflete os bons resultados da economia brasileira, na opinião do ministro da Fazenda, Guido Mantega. Segundo ele, a queda do dólar está sendo influenciada pelo resultado positivo da balança comercial e pela crescente solidez da economia brasileira. A alta cotação do real foi criticada, em entrevista à imprensa, pelo então secretário de Política Econômica Júlio Sergio Gomes de Almeida. Ele deixou o cargo ontem (4), alegando motivos pessoais.

“A economia brasileira hoje é aberta e as importações estão crescendo, o que eu acho bom, pois pode diminuir o saldo comercial, que não precisa ser tão expressivo”, disse Mantega ao chegar ao Ministério da Fazenda, onde se reuniu com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Miguel Jorge.

Ontem, o dólar foi cotado, na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) a R$ 2,03. Quando o presidente Luiz Inácio Lula da Silva assumiu, em 2003, a cotação estava acima de R$ 3. Industriais e alguns economistas criticam a baixa, afirmando que seria necessário controlar a queda do dólar, para evitar aumento das importações. O Instituto de Estudos para o Desenvolvimento Industrial (Iedi) culpa a alta do dólar pelo baixo crescimento da indústria no país. Com o real valendo mais em relação ao dólar, o estrangeiro paga mais caro pelo produto brasileiro. Na opinião do Iedi, isso está prejudicando as exportações brasileiras.

Alegando que as importações estão crescendo de forma expressiva e que não há nada que impeça um aumento ainda maior, o ministro descartou a necessidade do governo incentivar às importações como forma de equilibrar o saldo comercial e impedir que o dólar caia ainda mais, o que prejudica setores exportadores, como o automobilístico, calçadista e têxtil. Segundo Mantega, a própria desvalorização do dólar torna desnecessária a redução dos impostos cobrados dos produtos importados.

“Esse câmbio significa que nós estamos barateando os produtos importados. Isso compensa qualquer alíquota. Se você tem uma alíquota de 12% e o câmbio se desvaloriza, por exemplo, 20%, acabou a alíquota. Ela foi compensada pela valorização do real”. Mantega também admitiu que a Selic, uma das taxas de juros mais altas do mundo, influencia na cotação do real. "Claro que a taxa de juros também influencia porque você oferece rendimentos maiores na aplicação aqui [no Brasil] do que em relação à aplicações em dólares”.

 

 

 

 

Agência Brasil - Alex Rodrigues

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Últimas

2020/09/24 » Custos industriais caem 1,5% no segundo trimestre
2020/09/24 » Ministro da Economia diz que reforma deve ter tributos alternativos
2020/09/24 » Contas externas têm saldo positivo de US$ 3,7 bilhões
2020/09/23 » Conab avalia que Brasil terá segunda maior safra de café em 2020
2020/09/23 » CNI: atividade industrial segue em recuperação com alta do emprego
2020/09/23 » Indicadores recentes sugerem recuperação parcial da economia, diz BC
2020/09/22 » Brasil terá cota adicional na exportação de açúcar aos EUA
2020/09/22 » Estudo brasileiro aponta que covid-19 pode causar danos cerebrais
2020/09/22 » Mercado financeiro reduz projeção de queda da economia para 5,05%
2020/09/21 » Turismo: metade das operadoras vende viagens para novembro e dezembro
2020/09/21 » Covid-19: maioria dos estados segue sem aulas presenciais
2020/09/21 » O que é o Sistema S?
2020/09/18 » Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor
2020/09/18 » Confiança do empresário do comércio tem alta recorde em setembro
2020/09/18 » IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto
2020/09/18 » CNI apresenta propostas para retomada da economia
2020/09/18 » Abertura de empresas cresce, enquanto fechamento recua em 8 meses
2020/09/18 » Governo já desembolsou R$ 197 bilhões em auxílio emergencial
2020/09/17 » Entidades elogiam decisão do Copom de manter a Selic
2020/09/17 » Prefeitura de São Paulo adota home office permanente

Ver mais »