Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Produção industrial tem maior crescimento em quase dois anos 05/06/2007

 

Brasília, 5/06/2007 - A produção industrial brasileira em abril teve crescimento de 6% em relação ao mesmo mês do ano passado, segundo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). É o melhor resultado desde junho de 2005. Em relação ao mês anterior, a produção de abril caiu 0,1%.

Com o resultado, a indústria acumula alta de 4,3% no nos quatro primeiros meses deste ano, contra 3,8% no ano passado. Em abril, a principal alta foi no setor de bens de capital, principalmente máquinas para empresas, computadores e tratores. Na comparação com abril do ano passado, bens de capital apresentou um aumento de 17,4%, contra a média industrial de 6%.

De acordo com o IBGE, a taxa de –0,1% em abril "é resultado de um equilíbrio entre os 23 setores com séries ajustadas sazonalmente”. Doze deles expandiram sua produção e onze apresentaram queda. Entre as indústrias que tiveram resultados negativos, o principal impacto veio de alimentos (-1,9%). Segundo o economista André Macedo, um dos coordenadores da pesquisa, apesar desse impacto negativo, o setor de alimentos vem de cinco resultados positivos, que possibilitaram um ganho de 4,8% nesses cinco meses anteriores.

“Vale destacar aqueles alimentos que têm um viés para o mercado externo, como os derivados da soja e o açúcar, que estão favorecidos pela sua alta de seus preços no mercado internacional. E também alguns alimentos voltados para o mercado interno, beneficiados pela massa de salários nos últimos meses”, explicou Macedo.

Entre os outros produtos que foram prejudicados, estão perfumaria, sabões e produtos de limpeza (-5,7%), material eletrônicos e equipamentos de comunicação (- 3,4%) e refino e produção de álcool (–1,2%). Por outro lado, as maiores pressões positivas ficaram por conta de produtos químicos (2,3%) e bebidas (4,3%). “Esses dois setores assinalam resultados positivos, com claro destaque para o setor de produtos químicos, principalmente ligados ao setor agrícola, como adubos e fertilizantes”, avaliou o economista.

Ainda na comparação com março de 2007, três das quatro categorias de uso apresentaram queda na produção: bens de consumo duráveis (-1,4%), bens de capital (-1,2%) e bens intermediários, como minério e petróleo, (-0,6%).

 

 

 

 

Agência Brasil - Aline Beckstein

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Últimas

2020/10/20 » Pacote comercial abre caminho para acordo mais amplo, diz governo
2020/10/20 » SP:acordo da ANTT permite investimento de R$ 6 bi em malha ferroviária
2020/10/20 » Como fazer a amortização do FGTS pelo celular
2020/10/19 » Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens
2020/10/19 » Doria apresenta plano de retomada econômica de São Paulo
2020/10/19 » Produção brasileira de aço cresce 7,5% em setembro
2020/10/16 » Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro
2020/10/16 » Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central
2020/10/16 » Rebanho bovino cresce em 2019, influenciado pelo cenário externo
2020/10/15 » Produção de motocicletas aumenta 13,1% em setembro
2020/10/15 » Ministério entrega à Presidência projeto de privatização dos Correios
2020/10/15 » Programa de suspensão de contrato e redução de jornada é prorrogado
2020/10/14 » Guedes defende reformas e rigor fiscal pós-pandemia a comitê do FMI
2020/10/14 » Caixa amplia margem do empréstimo consignado para 35%
2020/10/14 » Mercado eleva projeções para inflação e vê câmbio desvalorizado
2020/10/13 » FMI: mudança climática é ameaça significativa ao crescimento global
2020/10/13 » ONU pede que bancos deixem de financiar projetos de combustível fóssil
2020/10/13 » Custo da construção civil sobe 1,44% em setembro
2020/10/13 » Inflação oficial sobe para 0,64% em setembro
2020/10/09 » Conab prevê produção recorde de grãos na safra 2020/2021

Ver mais »