Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Simplificação do sistema tributário reduzirá custos de empresas, afirma economista da CNI 21/08/2007

 

Cuiabá, 21/08/2007 - A simplificação do sistema tributário brasileiro, com a diminuição do número de impostos e da burocracia, vai melhorar o recolhimento de tributos e, no futuro, proporcionar a redução da carga paga pelas empresas e pessoas físicas, afirmou hoje o gerente-executivo da Unidade de Política Econômica da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Flávio Castelo Branco, em Cuiabá. A reforma tributária é o tema do encontro que a CNI promove hoje na capital mato-grossense com governadores, secretários estaduais e empresários de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Tocantins e Distrito Federal.

Segundo Castelo Branco, o principal exemplo da complexidade do sistema tributário brasileiro é o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), que tem uma legislação para cada estado e para cada produto. "Com a simplificação de cinco ou seis impostos sobre a circulação de bens, é possível adotar um grande imposto que seja compartilhado entre estados, municípios, Distrito Federal e o governo central. A proposta de criação do IVA, imposto sobre valor adicionado, não unifica mas simplifica, promovendo ganhos como redução de alíquotas dos tributos cobrados", disse Castelo Branco.

A simplificação do sistema também proporcionará mais competitividade para as empresas, que hoje são obrigadas a manter departamentos inteiros responsáveis pelo recolhimento de tributos e acompanhamento da legislação.  "O custo do tributo não representa apenas o pagamento do imposto, mas todo o esforço para acompanhar as mudanças de legislação, atender às normas e especificidades regionais. Por exemplo, uma empresa que atua em várias regiões tem maiores custos financeiros e administrativos", explicou o economista.

Castelo Branco lembrou que nos dois primeiros encontros entre governadores e empresários promovidos pela CNI, em Brasília e em Manaus, houve consenso de que a grande dificuldade hoje para discutir a reforma tributária vem do pacto federativo, que precisa ser rediscutido. "Os estados adotaram políticas próprias de desenvolvimento regional porque a União deixou de fazer isso. É preciso que o país adote um sistema tributário que viabilize o aproveitamento de oportunidades e leve o desenvolvimento a todas as regiões", afirmou Castelo Branco. "Junto com a reforma tributária é necessário reativar uma política nacional de desenvolvimento regional", destacou o economista.

 

 

 

 

Agência CNI

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Últimas

2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020
2021/01/13 » BNDES define consórcio que apoiará programa de aceleração de startups
2021/01/13 » Inflação da construção civil atinge 10,16% em 2020
2021/01/13 » Inflação para famílias com menor renda fecha 2020 com alta de 5,45%
2021/01/13 » Inflação oficial fecha 2020 em 4,52%, diz IBGE
2021/01/12 » Ministério pede avanço de reformas para manter fábricas no país
2021/01/12 » Preço da cesta básica aumentou em todas as capitais em 2020
2021/01/12 » Plataforma promove compartilhamento de materiais na economia
2021/01/11 » Como entrar em 2021 com as contas no azul
2021/01/11 » Digitalização de serviços públicos gera economia de R$ 2 bi por ano
2021/01/11 » Banco do Brasil renegocia R$ 40 milhões em dívidas por WhatsApp
2021/01/11 » Vendas de veículos caem 26,2% em 2020, diz Anfavea
2021/01/11 » Enem terá regras para evitar contágio pelo novo coronavírus
2021/01/08 » ANP: 17ª Rodada de Licitações oferece 92 blocos em bacias marítimas

Ver mais »