Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Alimentos mantêm alta em 15 capitais, aponta pesquisa de janeiro do Dieese 12/02/2008

 

São Paulo, 11/02/2008 - O preço da cesta básica dos alimentos continuou a subir em janeiro em 15 das 16 capitais do país incluídas na pesquisa mensal do Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos (Dieese), divulgada hoje (11). E quatro itens se destacaram nessas altas: tomate, feijão, óleo de soja e banana. Em contrapartida, caíram em 11 capitais os preços da carne, que é o item de maior valor em todas as cestas básicas.

Em entrevista à Agência Brasil, o coordenador da pesquisa, economista José Maurício Soares, disse que a queda nos preços da carne se deve ao aumento do abate, por ser período de chuvas e pastos fartos.

Em janeiro, a cesta em São Paulo registrou o maior valor do país pelo terceiro mês consecutivo, com R$ 229,09. A mais barata no mês foi a de João Pessoa (R$ 159,80) e, na avaliação de Soares, este é o dado mais supreendente dessa pesquisa: "São Paulo deu um pulo de custo em relação a Porto Alegre, com quem tradicionalmente rivaliza [em ter a cesta mais cara]. E Belo Horizonte ultrapassou Porto Alegre.”

O preço da cesta ficou em R$ 216,78 na capital mineira e em R$ 214,27 na capital gaúcha.

O documento divulgado pelo Dieese destaca que “em janeiro, o custo da cesta básica na capital paulista isolou-se em relação às demais localidades pesquisadas, cujo preço encontra-se em patamar bem mais baixo – a alta no mês chegou a 6,74%, enquanto em 12 meses o aumento atingiu 24,02%”.

Soares explicou que a composição da cesta não é a mesma em todo o país. A cesta gaúcha prevê um consumo mensal de 6,6  quilos, contra 6 quilos para São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, Vitória e Brasília, e 4,5 quilos para as capitais da Região Nordeste e Belém. Neste último grupo, também a quantidade de leite prevista é menor e a cesta é a única a ter 12 e não 13 itens, por não incluir a batata, de custo sempre significativo.

"Esta é uma das razões para as cestas da região tenderem a ser mais baratas", disse o economista, para quem a razão da alta em São Paulo não foi a carne. “Na lista detalhada, vemos que a carne caiu 0,74% em Porto Alegre e 0,18% em São Paulo. A diferença entre a cesta paulistana e a de Belo Horizonte é de mais de R$ 12”, acentuou o coordenador.

O alimento com as maiores altas percentuais foi o tomate, que subiu em 15 das capitais pesquisadas, com taxas superiores a 40% em nove capitais e um pico de 75,91% no Rio de Janeiro. Apesar disso, no acumulado de fevereiro de 2007 a janeiro deste ano, apenas tomate e açúcar registraram queda de preços.

De acordo com o Dieese, em seis das 16 capitais o poder aquisitivo do trabalhador que recebe o salário mínimo permitia adquirir duas cestas básicas.

 

 

 

 

 

Agência Brasil - Paulo Montoia

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Últimas

2020/10/22 » Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos
2020/10/22 » Opas: América Latina não deve relaxar enfrentamento à pandemia
2020/10/22 » Faturamento do setor de turismo no Brasil tem redução de 33,6% em 2020
2020/10/21 » Setor mineral brasileiro tem resultado positivo no 3º trimestre
2020/10/21 » Decreto inclui Linha 2 do metrô de BH em programa de privatizações
2020/10/21 » Não investir no Brasil será um grande erro, afirma ministro
2020/10/21 » Inflação do aluguel sobe de 18,20% para 20,56% em 12 meses
2020/10/20 » Pacote comercial abre caminho para acordo mais amplo, diz governo
2020/10/20 » SP:acordo da ANTT permite investimento de R$ 6 bi em malha ferroviária
2020/10/20 » Como fazer a amortização do FGTS pelo celular
2020/10/19 » Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens
2020/10/19 » Doria apresenta plano de retomada econômica de São Paulo
2020/10/19 » Produção brasileira de aço cresce 7,5% em setembro
2020/10/16 » Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro
2020/10/16 » Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central
2020/10/16 » Rebanho bovino cresce em 2019, influenciado pelo cenário externo
2020/10/15 » Produção de motocicletas aumenta 13,1% em setembro
2020/10/15 » Ministério entrega à Presidência projeto de privatização dos Correios
2020/10/15 » Programa de suspensão de contrato e redução de jornada é prorrogado
2020/10/14 » Guedes defende reformas e rigor fiscal pós-pandemia a comitê do FMI

Ver mais »