Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Brasil liderou entrada de investimentos estrangeiros na América Latina em 2007 08/05/2008

 

Brasília, 8/05/2008 - O Brasil foi o país da América Latina que mais se beneficiou do fluxo recorde de investimentos estrangeiros diretos (IED) que ingressaram na região em 2007. De acordo com relatório divulgado hoje (8) pela Comissão Econômica para a América Latina e o Caribe (Cepal), entraram no país US$ 34,585 bilhões dos US$ 106 bilhões investidos nos países pesquisados.

Além do Brasil, os países com os maiores investimentos estrangeiros foram México, com US$ 23,23 bilhões, Chile (US$ 14,457 bilhões) e Colômbia (US$ 9,028 bilhões). A Argentina ficou em quinto lugar, com US$ 5,72 bilhões.

O relatório revelou que, pela primeira vez, os investimentos estrangeiros diretos na América Latina superaram os US$ 100 bilhões em 2007. Esse valor é 46% a mais que em 2006 e superior ao recorde de US$ 89 bilhões, registrado em 1999, quando, de acordo com a Cepal, os investimentos estavam impulsionados pelas privatizações na região.

Segundo a entidade, o aumento do interesse dos estrangeiros nos países latino-americanos ocorreu por causa do crescimento econômico da região e do aquecimento da demanda mundial por recursos naturais, como minérios e produtos agrícolas.

No Brasil, o IED cresceu 84% no ano passado em relação a 2006, quando o país tinha recebido US$ 18,782 bilhões. O documento ressaltou que o perfil dos investimentos no Brasil se diferencia em relação a vários países da região.

“Destaca-se o caso do Brasil, onde o setor de serviços foi o principal receptor”, informou a Cepal no documento. “No Chile, na Colômbia e no Equador, o maior fluxo de IED deu-se no setor de recursos naturais, enquanto no México o setor manufatureiro [industrial] foi o dominante.”

Os principais investidores na América Latina foram Estados Unidos, Holanda e Espanha. A desaceleração na economia norte-americana, de acordo com o relatório, não chegou a influenciar o fluxo de IED para a região, mas a entidade advertiu que a crise na maior economia mundial pode afetar o interesse dos estrangeiros neste ano.

“O desempenho da região como receptora de investimentos estrangeiros em 2007 não foi afetado significativamente pela desaceleração econômica dos Estados Unidos, já que os problemas começaram a se manifestar no quarto trimestre do ano. No entanto, seu efeito [da desaceleração] pode ser relevante nos fluxos de investimentos para 2008”, concluiu o comunicado da Cepal.

Ao contrário do investimento de curto prazo, que busca se beneficiar da diferença de juros entre os países em desenvolvimento e os desenvolvidos e volta para o país de origem, o IED gera empregos e amplia a capacidade produtiva, informa o documento da Cepal.

 

 

 

 

 

Agência Brasil - Wellton Máximo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Últimas

2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020
2021/01/13 » BNDES define consórcio que apoiará programa de aceleração de startups
2021/01/13 » Inflação da construção civil atinge 10,16% em 2020
2021/01/13 » Inflação para famílias com menor renda fecha 2020 com alta de 5,45%
2021/01/13 » Inflação oficial fecha 2020 em 4,52%, diz IBGE
2021/01/12 » Ministério pede avanço de reformas para manter fábricas no país
2021/01/12 » Preço da cesta básica aumentou em todas as capitais em 2020
2021/01/12 » Plataforma promove compartilhamento de materiais na economia
2021/01/11 » Como entrar em 2021 com as contas no azul
2021/01/11 » Digitalização de serviços públicos gera economia de R$ 2 bi por ano
2021/01/11 » Banco do Brasil renegocia R$ 40 milhões em dívidas por WhatsApp
2021/01/11 » Vendas de veículos caem 26,2% em 2020, diz Anfavea
2021/01/11 » Enem terá regras para evitar contágio pelo novo coronavírus
2021/01/08 » ANP: 17ª Rodada de Licitações oferece 92 blocos em bacias marítimas

Ver mais »