Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Preço dos alimentos cai no primeiro decêndio de maio, constata FGV 09/05/2008

 

Rio de Janeiro, 9/05/2008 - O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), um dos três índices que forma o Índice Geral de Preços de Mercado (IGP-M), medido pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), indicou que houve redução no preço dos alimentos no primeiro decêndio de maio, em relação ao primeiro decêndio de abril.

O IPC ficou 0,27% em maio, contra 0,40% no primeiro decêndio de abril, registrando desaceleração no grupo Alimentação. A taxa referente à inflação dos alimentos caiu de 0,84% em abril para 0,35% maio. A FGV divulgou, hoje (9), pela manhã, que o IGP-M do primeiro decêndio de maio ficou quatro vezes maior que o primeiro decêndio de abril.


Mesmo com a redução da variação dos alimentos, o coordenador de análises econômicas da FGV, Salomão Quadros, acredita que ainda não é possível esperar diminuição nos preços dos alimentos para as próximas análises. Ele explicou que o IPC de maio apresentou redução porque abrange alimentos em queda e em alta.
“Nos preços ao consumidor temos, além dos produtos industrializados, lacticínios, macarrão e carne, que subiram, e os alimentos in natura, como as hortaliças e frutas, que caíram de preço”, revelou Quadros. As hortaliças tiveram variação de 5,41% em abril e, em maio, a variação em maio foi de –1,77%.
O economista explica também que o IPC do próximo período deve refletir a inflação de matérias-primas, medida pelo Índice de Preços por Atacado (IPCA) - outro componente do IGPM. A taxa do IPCA de maio ficou em 1,82%, sete vezes maior do que a registrada no mesmo período de abril.
“Os itens derivados do campo e da indústria continuam subindo”, disse. “O grande impacto desse índice foram as matérias-primas. Nelas, temos produtos agrícolas com grande impacto, como o arroz [variação de -1,24% em abril para 32,76 em maio] e isso já está sendo repassado para o varejo”, completou.

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), também formador do IGP-M, ficou em 0,79% em maio ante 0,59% registrado em abril. Nesse índice, subiram os grupos Materiais e Serviços (de 0,71% para 0,80%) e Custo de Mão-de-Obra (de 0,46% para 0,79%).

O primeiro decêndio de maio refere-se à pesquisa de preços dos dias 21 a 30 de abril.

 

 

 

 

 

Agência Brasil - Isabela Vieira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 



Últimas

2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
2021/01/20 » Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro, diz CNC
2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
2021/01/19 » Atividade industrial desacelera em novembro de 2020
2021/01/18 » Saiba o que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
2021/01/18 » China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
2021/01/18 » Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões
2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020

Ver mais »