Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Força Sindical e Fecomercio criticam manutenção da taxa de juros pelo Copom 11/12/2008

 

São Paulo, 10/12/2008 - A Força Sindical e a Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio) criticaram hoje (10) a manutenção da taxa de juros em 13,75%, sem viés. Em nota, a Força Sindical diz que o anúncio do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) “é um desastre para a economia brasileira” e “um banho de água fria no crescimento da economia” para o primeiro semestre de 2009.

“O governo não pode continuar com esta política que privilegia os especuladores em detrimento da produção e o emprego. A somatória da crise econômica com os juros em patamares estratosféricos vai prejudicar os trabalhadores que lutam para manter seus empregos”, disse o presidente da entidade, Paulo Pereira da Silva.

Para a Fecomércio, a decisão do Copom está “dissociada da realidade econômica mundial”. “Pode-se dizer que mesmo parada, a Selic subiu até 2% nos últimos meses, na comparação com os juros vigentes nos EUA e na Europa, que têm sido drasticamente reduzidos pelos respectivos bancos centrais. Enquanto isso o nosso BC ignora o risco do contágio pela recessão mundial e se preocupa com o perigo mais imaginário do que real da inflação”, disse o presidente Abram Szajman.

Já o Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes considerou a decisão do Copom “desastrosa”. Em nota assinada, o presidente do sindicato Miguel Torres afirma que a decisão “só serve para impedir o acesso ao crédito e permitir que os bancos continuem alimentando-se de taxas abusivas”.

“Enquanto o resto do mundo reduz suas taxas para aliviar os encargos para os seus cidadãos e afastar os efeitos nocivos da crise financeira, no Brasil, os senhores da economia dão as costas aos problemas da população e dos trabalhadores ameaçados de perderem os seus empregos, e mantêm os juros nas alturas”, disse. (Agência Brasil - Elaine Patrícia Cruz)



Últimas

2021/03/05 » BC: produtos básicos impulsionam exportações na pandemia
2021/03/05 » Faturamento da indústria cresce 8,7% em janeiro, diz CNI
2021/03/05 » Estudo revela tamanho da desigualdade de gênero no mercado de trabalho
2021/03/04 » Com queda do PIB, economia chega ao patamar do início de 2019
2021/03/04 » Pequenas empresas veem oportunidades geradas pela crise
2021/03/04 » PIB de 2020 fecha com queda de 4,1%, revela pesquisa do IBGE
2021/03/04 » Setor de petróleo impulsionou investimentos no 4º trimestre de 2020
2021/03/03 » Relatório da OCDE orienta gestão de estatais brasileiras
2021/03/03 » Preços de produtos industrializados sobem 3,36% em janeiro
2021/03/03 » Emplacamento de automóveis e de veículos leves tem queda de 17,85%
2021/03/03 » Produção de petróleo cresce 5,4% de dezembro para janeiro, diz ANP
2021/03/02 » BC iguala limite do Pix ao das transferências eletrônicas
2021/03/02 » Firjan sugere normas de proteção de dados para pequenas empresas
2021/03/02 » Balança comercial tem superávit de US$ 1,152 bilhão em fevereiro
2021/03/02 » Governo reabre programa de renegociação de dívidas com a União
2021/03/02 » Setor portuário movimentou 1,152 bilhão de toneladas em 2020
2021/03/02 » Petrobras anuncia nova alta nos preços da gasolina, diesel e gás
2021/03/01 » Banco Central tem lucro recorde de R$ 469,6 bilhões em 2020
2021/03/01 » Auxílio emergencial e criptomoedas deverão ser declarados no IR
2021/03/01 » Prazo para entregar declaração do Imposto de Renda começa hoje

Ver mais »