Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Emprego na indústria sobe em 11 setores avaliados pelo IBGE, comparado a novembro de 2007 13/01/2009

 

Rio de Janeiro, 13/01/2009 - As contratações superaram as demissões em novembro de 2008 na comparação com igual período do ano anterior em 11 dos 18 setores da indústria pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os setores que apresentaram as maiores expansões no nível de emprego foram máquinas e equipamentos (6,3%), alimentos e bebidas (1,9%), minerais não-metálicos (7,5%), meios de transporte (4,1%) e máquinas, aparelhos eletroeletrônicos e de comunicações (4,9%).

De acordo com dados divulgados hoje (13), pelo IBGE, na comparação entre os meses de novembro dos dois anos, o emprego industrial teve aumento de 0,4%, embora tenha reduzido o ritmo de crescimento observado nos últimos meses. Já na passagem de outubro para novembro, o nível de emprego na indústria brasileira teve queda de 0,6%, a maior desde outubro de 2003 (0,7%).

Na análise regional, o levantamento aponta que houve expansão do nível de emprego em oito das 14 áreas pesquisadas ainda na comparação entre os meses de novembro dos dois anos. Os impactos mais significativos foram observados em São Paulo (0,7%), resultado influenciado pelo desempenho das indústrias de alimentos e bebidas (7,7%) e metalurgia básica (8,7%); e em Minas Gerais (2,9%), com destaque para os ramos de meios de transporte (3,9%) e alimentos e bebidas (3,0%).

Por outro lado, as indústrias de Santa Catarina (-2,8%) e do Paraná (-1,6%) exerceram os principais impactos negativos, ambos pressionados pelas quedas verificadas nos setores de vestuário (-14,8% e -19,0%, respectivamente) e de madeira (-11,2% e -16,6%).

Ainda de acordo com o levantamento do IBGE, a folha de pagamento dos trabalhadores da indústria teve expansão em 13 dos 14 locais pesquisados também na comparação entre novembro de 2008 e novembro de 2007. Apenas na Bahia os salários recuaram, apresentando queda de 0,8%. As principais contribuições foram verificadas em São Paulo (4%), Minas Gerais (10,6%) e Paraná (5,1%).

No mesmo tipo de comparação houve incremento da folha de pagamento em 12 dos 18 ramos investigados. Os principais destaques foram as indústrias de produtos de metal (13,5%), minerais não-metálicos (19,6%), metalurgia básica (14%) e meios de transporte (4%). (Agência Brasil - Thaís Leitão)



Últimas

2020/08/10 » Sem título
2020/08/10 » SP ultrapassa 25,1 mil mortes causadas por covid-19
2020/08/10 » Como é feita média móvel de casos de covid-19
2020/08/07 » MP destina R$ 1,99 bilhão para viabilizar vacina contra covid-19
2020/08/07 » Cursos de qualificação profissional têm alta demanda na pandemia
2020/08/07 » Senai ensina indústrias a produzirem EPI contra novo coronavírus
2020/08/06 » Bolsonaro sanciona lei de negociação de dívidas das micro empresas
2020/08/06 » Baixa inflação permitiu corte nos juros, avaliam entidades
2020/08/06 » Copom reduz juros básicos da economia para 2% ao ano
2020/08/05 » Dezenas de empresas aderem à Semana Brasil 2020
2020/08/05 » Semana Brasil terá edição 2020 e deve ajudar na retomada da economia
2020/08/05 » Governo de Osaka planeja estudar eficácia de gargarejo no combate ao coronavírus
2020/08/04 » BNDES seleciona fundos de crédito não bancário para pequenas empresas
2020/08/04 » Balança comercial tem superávit recorde de US$ 8,06 bilhões em julho
2020/08/04 » Governo economiza R$ 466 milhões com a máquina pública na pandemia
2020/08/03 » Japonesa Seven & i Holdings pagará US$ 21 bilhões pela rede americana Speedway
2020/08/03 » Fábricas de veículos no Japão retornam gradualmente à produção normal
2020/08/03 » Covid-19: OMS prevê que pandemia durará muito tempo
2020/08/03 » Confira pagamentos e tributos adiados ou suspensos durante a pandemia
2020/07/31 » Auxílio emergencial elevou em 24% renda pré-pandemia, mostra pesquisa

Ver mais »