Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Relação política entre Estados Unidos e América Latina deve mudar com Obama, diz Lula 19/01/2009

 

Brasília, 19/01/2009 - O novo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que toma posse amanhã (20), deve mudar o relacionamento do país com a América Latina. A avaliação é do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que acredita que o momento político americano é também uma oportunidade para o fim do bloqueio econômico a Cuba.

“Os Estados Unidos, durante muito tempo, tiveram uma política equivocada para a América Latina”, afirmou em seu programa semanal de rádio Café com o Presidente, ao citar a interferência norte-americana na instalação de regimes autoritários no continente na década 1960.

Para Lula, o “olhar” de Obama sobre a América Latina deve ser “democrático e desenvolvimentista”, principalmente para os países da América Central e do Caribe. O presidente disse ainda que não há “nenhuma explicação científica” para o embargo a Cuba.

“É importante que Obama faça um sinal para Cuba. É importante que o bloqueio seja desobstruído para que Cuba possa ter uma vida normal como todos os países, tendo relação com todos os países”, apontou.

Na avaliação de Lula, a crise financeira internacional, “que nasceu dentro dos Estados Unidos”, a busca de um acordo na Rodada Doha, da Organização Mundial do Comércio (OMC), e a negociação pela paz no Oriente Médio são os principais desafios de Obama.

" O dado concreto é que o acordo no Oriente Médio depende muito da política americana. Esse é um problema que o Obama vai ter que dizer com muita competência se quer efetivamente a paz no Oriente Médio, ou não".

Durante o programa, o presidente afirmou que a relação entre Brasil e Estados Unidos pode ser “aprimorada”.

“Vamos continuar com a boa política que temos com os Estados Unidos. Ela é histórica e eu penso que o Obama, se quiser, pode aprimorar essa relação com o Brasil, aperfeiçoar porque se os Estados Unidos são o país mais importante do mundo, o Brasil é o país mais importante da América Latina”, comparou. (Agência Brasil - Luana Lourenço)



Últimas

2021/01/27 » Pandemia e fim dos auxílios podem reverter retomada econômica
2021/01/27 » Confiança na construção civil recua depois de seis altas, diz FGV
2021/01/27 » Confiança do consumidor cai pelo quarto mês consecutivo
2021/01/27 » Custo da construção sobe 0,93% em janeiro, anuncia a FGV
2021/01/26 » Micro e pequenas empresas têm até sexta-feira para aderir ao Simples
2021/01/26 » Queda na arrecadação foi “resultado excelente”, diz Guedes
2021/01/26 » Confaz divulga nova tabela de preços médios de combustíveis
2021/01/25 » Pendências com o Simples atingem quase dois terços das empresas
2021/01/25 » Cepal: exportações da América Latina e do Caribe caíram 13% em 2020
2021/01/25 » Brasileiros acreditam que inflação será de 5,2% nos próximos 12 meses
2021/01/25 » Como contribuir para o INSS por conta própria
2021/01/25 » Como contribuir para o INSS por conta própria
2021/01/22 » Emprego cresce na indústria em um movimento atípico para dezembro
2021/01/22 » Monitor do PIB aponta alta de 1,1% na atividade econômica em novembro
2021/01/22 » Pesquisa da Conab indica queda na produção nacional de café em 2021
2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC

Ver mais »