Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Lula afirma que tornar o país independente na produção de gás é prioridade 06/03/2009

 

Linhares (ES), 6/03/2009 - Em discurso na inauguração da Unidade de Tratamento de Gás de Cacimbas, em Linhares (ES), o presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse hoje (6) que tornar o país independente na produção de gás natural foi uma decisão de governo tomada em reuniões com a Petrobras, mesmo em meio à crise financeira internacional.

Lula também anunciou que o mega-campo de Tupi, na região do pré-sal, começará a produzir o seu primeiro óleo em 1º de maio, com o início do Teste de Longa Duração (TLD).

Anunciado no final de 2007 pela Petrobras, o campo de Tupi foi a primeira descoberta significativa anunciada pela estatal no pré-sal e tem reservas estimadas entre 5 milhões a 8 bilhões de metros cúbicos de petróleo equivalente, óleo e gás.

"Nós estaremos lá em Tupi em 1º de maio para tirar o primeiro óleo. É muito importante o que vai acontecer porque nós vamos tirar os primeiros barris de petróleo a seis mil metros de profundidade", disse.

O presidente Lula admitiu que a Petrobras chegou a pensar em adiar os investimentos previstos em seu Plano de Negócios em função da crise financeira internacional e da dificuldade de crédito, mas que partiu do próprio governo a determinação de investir o necessário para tocar os projetos em andamento.

"Quando estourou a crise, a Petrobras chegou a pensar em não investir o que estava previsto no PAC [Programa de Aceleração do Crescimento], pensou em adiar investimento. Nós chamamos o Gabrielli [Sergio Gabrielli, presidente da Petrobras] e determinamos: não tem chororô, nós vamos investir cada centavo para que a gente possa dinamizar a economia brasileira", disse o presidente.

Lula lembrou a crise com a Bolívia, a partir da estatização do setor petrolífero naquele país, e afirmou que o que parecia impossível para "muitos pessimistas" agora, com a inauguração da segunda fase de Cacimbas, já é uma realidade.

"Muita gente queria que nós abríssemos guerra com a Bolívia, mas eu não via como não entender a realidade da Bolívia e a justeza da atitude de estatização e de reivindicação de um preço justo para o seu gás exigido por Morales [Evo Morales, presidente da Bolívia]".

O presidente lembrou que foi convocada uma reunião, no Palácio do Planalto, para discutir o Plano de Antecipação da Produção de Gás (Plangás) e, a partir daí, ficou determinado que seria dada prioridade aos investimentos para tornar o país independente na produção de gás natural.

"Muita gente acha que é apenas sorte do governo Lula, mas se dependesse apenas de sorte o Corinthians seria campeão todo o ano. As descobertas são fruto de muito investimento e a Petrobras é hoje, talvez, mesmo na crise, a empresa de petróleo que mais investe em todo o mundo", disse Lula.

Ele afirmou que os investimentos da Petrobras em seu governo aumentaram, somente no Espírito Santo, mais de 10 vezes. "Eles gastavam R$ 500 milhões por ano e, hoje, nós gastamos R$ 2,5 bilhões por ano. É por isso que nos estamos descobrindo mais. Não estamos de braços cruzados chorando a crise. Nós estamos trabalhando e investindo."

O presidente disse que prefere errar por tomar decisões, muitas vezes por assumir riscos e ousar, do que por omissão. "E essa planta é o resultado da ousadia, da teimosia, porque você não governa nem a sua casa com medo, governar é tomar decisões e eu sou daqueles que prefere errar por ação que por omissão. E foi por essa determinação de investir na busca pelo gás que precisamos que chegará o dia em que direi para o Morales: olha meu amigo, agora você é livre para vender o gás para quem quiser."

Lula, no entanto, descartou a possibilidade de deixar de comprar o insumo daquele país. "Mas é lógico que nós continuaremos a comprar o gás boliviano, até porque não queremos vizinhos pobres. Mas direi isto para que ele saiba que as relações entre os países são feitas com cooperação e respeito. Aí, o Brasil e a Bolívia descobrirão que quanto mais em paz nós estivermos melhor será para os dois".

Sobre os planos de independência na produção de gás, Lula relembrou uma frase dita quando assumiu o governo: "Primeiro faremos o necessário, depois o possível e, quando menos esperarmos, estaremos fazendo o impossível. E esta obra [o Pólo de Cacimbas] é uma das coisas impossíveis de que estou falando." (Agência Brasil - Nielmar de Oliveira)



Últimas

2021/01/22 » Emprego cresce na indústria em um movimento atípico para dezembro
2021/01/22 » Monitor do PIB aponta alta de 1,1% na atividade econômica em novembro
2021/01/22 » Pesquisa da Conab indica queda na produção nacional de café em 2021
2021/01/21 » Entidades consideram acertada manutenção da Selic em 2% ao ano
2021/01/21 » Copom mantém juros básicos da economia em 2% ao ano
2021/01/21 » Governo federal lança sistema para simplificar a abertura de empresas
2021/01/20 » ANP regulamenta indicação de áreas para exploração de petróleo e gás
2021/01/20 » Bancos Inter, Itaú e Caixa lideram ranking de reclamações ao BC
2021/01/20 » Confiança do empresário do comércio cai 2,2% em janeiro, diz CNC
2021/01/19 » CNI: faturamento da indústria cai pela primeira vez em sete meses
2021/01/19 » Produção de aço caiu 4,9% em 2020, informa o Instituto Aço Brasil
2021/01/19 » Atividade econômica tem alta de 0,59% em novembro, diz Banco Central
2021/01/19 » Atividade industrial desacelera em novembro de 2020
2021/01/18 » Saiba o que é a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO)
2021/01/18 » China contribuiu com mais da metade do superávit comercial do Brasil
2021/01/18 » Produção agropecuária de 2020 alcança R$ 871 bilhões
2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020

Ver mais »