Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Brasil capta US$ 750 milhões no exterior com o segundo menor juro da história 07/05/2009

 

Brasília, 7/05/2009 - O Tesouro Nacional conseguiu captar US$ 750 milhões de investidores norte-americanos e europeus. O dinheiro veio da emissão de títulos soberanos da dívida externa com vencimento em janeiro de 2019 realizada hoje (7).

A captação teve taxa de retorno para o investidor de 5,80% ao ano. Esse é o segundo menor juro da história para títulos com prazo de dez anos.

Por meio do lançamento de títulos da dívida externa, o governo pega dinheiro emprestado dos investidores internacionais com o compromisso de devolver os recursos com juros. Taxas menores indicam menor grau de desconfiança dos investidores de que o Brasil não conseguirá pagar a dívida.

A menor taxa já registrada para títulos externos com prazo de dez anos tinha sido de 5,299% ao ano. Esses juros foram obtidos com a captação de US$ 525 milhões em títulos da dívida externa, em maio do ano passado. Essa emissão ocorreu poucas semanas depois de o Brasil conquistar o grau de investimento – garantia das agências de classificação de risco de que o país não dará calote.

A emissão de hoje é a segunda após o agravamento da crise financeira internacional. Em janeiro, o país realizou outra emissão de títulos com vencimento em 2019. Na ocasião, o Tesouro captou um valor maior (US$ 1,025 bilhão), mas os juros também foram mais altos (6,127% ao ano).

Segundo o Tesouro Nacional, a demanda pelos papéis brasileiros permitiu ao governo conseguir juros mais baixos no mercado. A procura, informou o governo, foi maior que a oferta de títulos, mas os técnicos não divulgaram o valor exato.

De acordo com o Tesouro, a emissão de hoje foi qualitativa porque o governo já tem quase todos os dólares de que precisa para pagar os vencimentos da dívida externa neste ano, estimados em cerca de R$ 16,1 bilhões. O lançamento do título com vencimento em dez anos, segundo o Ministério da Fazenda, serviu para aproveitar as melhores condições do mercado para reduzir o custo e melhorar o perfil da dívida externa.

O Tesouro informou, ainda, que o Brasil teve desempenho melhor que outros países emergentes, ao conseguir captar recursos com custos menores. Em meados de abril, a Colômbia captou US$ 1 bilhão por meio de títulos com vencimentos em dez anos, mas pagou juros de 7,375% ao ano. (Agência Brasil - Wellton Máximo)



Últimas

2020/04/03 » Governo zera impostos de produtos usados no combate ao coronavírus
2020/04/03 » Novo coronavírus traz novos desafios para cuidadores de idosos
2020/04/02 » Auxílio emergencial é publicado e governo abre crédito de R$ 98 bi
2020/04/02 » Medidas contra coronavírus custarão R$ 224,6 bi para o governo
2020/04/02 » Cientistas chineses anunciam descoberta contra covid-19
2020/04/02 » Covid-19: governo aprova medidas para área da assistência social
2020/04/02 » Senado aprova extensão de auxílio de R$ 600 a mais de 30 categorias
2020/04/02 » Bolsonaro sanciona MP da renda básica emergencial
2020/04/02 » Empresas têm 30 dias para se cadastrar na plataforma consumidor.gov.br
2020/04/02 » Governo prorroga prazo de entrega da declaração do IR por dois meses
2020/04/01 » Governo anuncia R$ 200 bilhões para socorrer trabalhadores e empresas
2020/04/01 » Governo reduz pela metade contribuições pagas ao Sistema S por 3 meses
2020/04/01 » Coronavírus: Câmara e Senado alteram tramitação de MPs
2020/03/31 » Líderes do Senado divulgam manifesto pelo isolamento social
2020/03/31 » Senado aprova benefício de R$ 600 a autônomos e informais
2020/03/31 » Senado aprova distribuição de merenda escolar aos estudantes sem aulas
2020/03/30 » Senado vota hoje auxílio de R$ 600 para autônomos e informais
2020/03/30 » Coronavírus: BNDES anuncia R$ 2 bilhões de crédito para área da saúde
2020/03/30 » Governo obtém do STF aval para adotar medidas contra o coronavírus
2020/03/27 » Governo anuncia linha de crédito a pequenas e médias empresas

Ver mais »