Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Brasil capta US$ 750 milhões no exterior com o segundo menor juro da história 07/05/2009

 

Brasília, 7/05/2009 - O Tesouro Nacional conseguiu captar US$ 750 milhões de investidores norte-americanos e europeus. O dinheiro veio da emissão de títulos soberanos da dívida externa com vencimento em janeiro de 2019 realizada hoje (7).

A captação teve taxa de retorno para o investidor de 5,80% ao ano. Esse é o segundo menor juro da história para títulos com prazo de dez anos.

Por meio do lançamento de títulos da dívida externa, o governo pega dinheiro emprestado dos investidores internacionais com o compromisso de devolver os recursos com juros. Taxas menores indicam menor grau de desconfiança dos investidores de que o Brasil não conseguirá pagar a dívida.

A menor taxa já registrada para títulos externos com prazo de dez anos tinha sido de 5,299% ao ano. Esses juros foram obtidos com a captação de US$ 525 milhões em títulos da dívida externa, em maio do ano passado. Essa emissão ocorreu poucas semanas depois de o Brasil conquistar o grau de investimento – garantia das agências de classificação de risco de que o país não dará calote.

A emissão de hoje é a segunda após o agravamento da crise financeira internacional. Em janeiro, o país realizou outra emissão de títulos com vencimento em 2019. Na ocasião, o Tesouro captou um valor maior (US$ 1,025 bilhão), mas os juros também foram mais altos (6,127% ao ano).

Segundo o Tesouro Nacional, a demanda pelos papéis brasileiros permitiu ao governo conseguir juros mais baixos no mercado. A procura, informou o governo, foi maior que a oferta de títulos, mas os técnicos não divulgaram o valor exato.

De acordo com o Tesouro, a emissão de hoje foi qualitativa porque o governo já tem quase todos os dólares de que precisa para pagar os vencimentos da dívida externa neste ano, estimados em cerca de R$ 16,1 bilhões. O lançamento do título com vencimento em dez anos, segundo o Ministério da Fazenda, serviu para aproveitar as melhores condições do mercado para reduzir o custo e melhorar o perfil da dívida externa.

O Tesouro informou, ainda, que o Brasil teve desempenho melhor que outros países emergentes, ao conseguir captar recursos com custos menores. Em meados de abril, a Colômbia captou US$ 1 bilhão por meio de títulos com vencimentos em dez anos, mas pagou juros de 7,375% ao ano. (Agência Brasil - Wellton Máximo)



Últimas

2021/01/15 » MPT abre inquéritos para avaliar danos sociais do fechamento da Ford
2021/01/15 » BNDES financia segunda usina termelétrica no Porto do Açu
2021/01/15 » IBGE: indústria cresce em dez dos 15 locais pesquisados em novembro
2021/01/14 » Balança comercial do agronegócio soma US$ 100,81 bilhões em 2020
2021/01/14 » Conab estima colheita de 264,8 milhões de toneladas de grãos
2021/01/14 » IBGE: safra de 2021 deve superar recorde de 2020
2021/01/14 » Veja o que pode e o que não pode no Enem 2020
2021/01/13 » BNDES define consórcio que apoiará programa de aceleração de startups
2021/01/13 » Inflação da construção civil atinge 10,16% em 2020
2021/01/13 » Inflação para famílias com menor renda fecha 2020 com alta de 5,45%
2021/01/13 » Inflação oficial fecha 2020 em 4,52%, diz IBGE
2021/01/12 » Ministério pede avanço de reformas para manter fábricas no país
2021/01/12 » Preço da cesta básica aumentou em todas as capitais em 2020
2021/01/12 » Plataforma promove compartilhamento de materiais na economia
2021/01/11 » Como entrar em 2021 com as contas no azul
2021/01/11 » Digitalização de serviços públicos gera economia de R$ 2 bi por ano
2021/01/11 » Banco do Brasil renegocia R$ 40 milhões em dívidas por WhatsApp
2021/01/11 » Vendas de veículos caem 26,2% em 2020, diz Anfavea
2021/01/11 » Enem terá regras para evitar contágio pelo novo coronavírus
2021/01/08 » ANP: 17ª Rodada de Licitações oferece 92 blocos em bacias marítimas

Ver mais »