Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Situação econômica é a pior em dez anos, mas pode melhorar em seis meses, dizem especialistas 19/05/2009

 

Rio de Janeiro, 19/05/2009 - A situação atual da economia brasileira é a pior dos últimos dez anos, na avaliação de economistas e empresários do país entrevistados pela Fundação Getulio Vargas (FGV). Segundo a pesquisa Sondagem Econômica da América Latina, divulgada hoje (19), o Índice de Situação Atual, que agrega a opinião de especialistas sobre a economia, chegou a 3,7 pontos (em um máximo de 9) em abril deste ano, inferior aos 4,7 registrados em janeiro e aos 7,3 de outubro de 2008.

A opinião dos especialistas brasileiros é a mesma de seus pares na América Latina e de outras regiões, que, de um modo geral, consideram ruim a situação da economia de seus países, apesar de acreditarem em melhoria nos próximos seis meses.

“Uma leitura possível é que talvez alguns especialistas achem que as economias chegaram ao fundo do poço. Hoje está a pior situação possível, mas está tão ruim, que lá para a frente vai melhorar. A situação atual está realmente muito ruim e as expectativas melhoraram, mas em poucos casos conseguiram ser consideradas boas ou satisfatórias”, disse a coordenadora de Projetos do Centro de Estudos do Setor Externo da FGV, Lia Valls.

O Índice de Situação Atual para a América Latina em abril foi de 2,5 pontos, contra 3,4 em janeiro, e, no mundo, de 2,1 em abril, contra 2,5 em janeiro. Já o Índice de Expectativas, que mostra a opinião dos especialistas sobre a economia nos próximos seis meses, melhorou no Brasil de 3,1 em janeiro para 5,4 em abril. Na América Latina, a melhora foi de 2,3 para 4,6 e, no mundo, de 3,1 para 5,1 pontos.

Como o Índice de Expectativas melhorou, o Índice de Clima Econômico (que é uma média entre os dois índices: Expectativas e Situação Atual) também melhorou, apesar da queda do Índice de Situação Atual. No Brasil, ele passou de 3,9 para 4,6. Na América Latina, a melhora foi de 2,9 para 3,6 e, no mundo, de 2,8 para 3,6.
 
Entre os fatores que mais preocupam os especialistas brasileiros na situação atual da economia estão o desemprego e a escassez de capital. Já a dívida externa e a inflação são os fatores que menos causam preocupação.

 

Para a pesquisa, foram ouvidos 136 especialistas de 16 países da América Latina. (Agência Brasil - Vitor Abdala)



Últimas

2020/09/25 » Projeto do Senai vai qualificar trabalhadores para a indústria 4.0
2020/09/25 » Primeiro leilão de imóveis públicos do Rio será em outubro
2020/09/25 » CMN amplia limite de renda para microcrédito a empresas
2020/09/24 » Custos industriais caem 1,5% no segundo trimestre
2020/09/24 » Ministro da Economia diz que reforma deve ter tributos alternativos
2020/09/24 » Contas externas têm saldo positivo de US$ 3,7 bilhões
2020/09/23 » Conab avalia que Brasil terá segunda maior safra de café em 2020
2020/09/23 » CNI: atividade industrial segue em recuperação com alta do emprego
2020/09/23 » Indicadores recentes sugerem recuperação parcial da economia, diz BC
2020/09/22 » Brasil terá cota adicional na exportação de açúcar aos EUA
2020/09/22 » Estudo brasileiro aponta que covid-19 pode causar danos cerebrais
2020/09/22 » Mercado financeiro reduz projeção de queda da economia para 5,05%
2020/09/21 » Turismo: metade das operadoras vende viagens para novembro e dezembro
2020/09/21 » Covid-19: maioria dos estados segue sem aulas presenciais
2020/09/21 » O que é o Sistema S?
2020/09/18 » Lei Geral de Proteção de Dados entra em vigor
2020/09/18 » Confiança do empresário do comércio tem alta recorde em setembro
2020/09/18 » IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto
2020/09/18 » CNI apresenta propostas para retomada da economia
2020/09/18 » Abertura de empresas cresce, enquanto fechamento recua em 8 meses

Ver mais »