Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Empresários e economistas projetam crescimento da economia em 0,3% neste ano 19/05/2009

 

Rio de Janeiro, 19/05/2009 - O Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, soma de todas as riquezas produzidas no país, pode encerrar o ano de 2009 com um crescimento de 0,3%, segundo opinião de empresários e economistas entrevistados pela Fundação Getulio Vargas (FGV), na pesquisa “Sondagem econômica da América Latina”.

O levantamento, divulgado hoje (19), mostra ainda que o crescimento médio da economia latinoamericana será negativo, de acordo com os especialistas: -0,4%.

Comparando cada país, o Brasil deverá ter, na expectativa dos especialistas, um crescimento maior que o da Argentina (-1,6%) e o do México (-1,8%), mas menor que o crescimento dos demais: Peru (3,6%), Bolívia (3%), Colômbia (1,1%), Equador (1,1%), Paraguai (1%) e Uruguai (0,9%).

Quanto à inflação, a expectativa é que o Brasil encerre 2009 com uma taxa de 4,5%, maior apenas que a do Chile (3,2%) e a do Peru (3,6%), e menor que a da Venezuela (32%), da Argentina (14%), da Bolívia (10%), do Uruguai (8,2%), do Equador (7%), do Paraguai (5,8%), do México (5,5%) e da Colômbia (5,3%).

Entre os países que compõem o Bric - grupo formado por Brasil, Rússia, Índia e China - o PIB brasileiro poderá ser menor que o da China (7,1%) e o da Índia (5,9%), mas maior que o da Rússia (-3,1%). Na comparação da inflação, o Brasil poderá ter taxas menores que as da Rússia (14%), mas maiores que as da Índia (3,6%) e da China (2,3%).

“O Brasil está melhor que a Rússia, mas, em relação à China e à Índia, a gente certamente está bem pior. A China, em qualquer projeção dos organismos internacionais, inclusive, ainda continua com uma expectativa de taxa de crescimento acima de 5%. A Índia também. E [nas expectativas de organismos internacionais] o Brasil varia, [com expectativas] às vezes um pouco negativas, em torno de 0%”, disse a coordenadora de Projetos do Centro de Estudos do Setor Externo da FGV, Lia Valls.

Segundo os empresários entrevistados pela FGV e pelo instituto alemão IFO, a economia mundial deverá crescer 2,7%. Para a União Europeia, a expectativa é de redução de 2,7% no PIB. Nos Estados Unidos, o decréscimo esperado é de 1,1% e no Japão, de 3,4%.

Para a pesquisa na América Latina, foram ouvidos 136 especialistas de 16 países da região. (Agência Brasil - Vitor Abdala)



Últimas

2020/10/20 » Pacote comercial abre caminho para acordo mais amplo, diz governo
2020/10/20 » SP:acordo da ANTT permite investimento de R$ 6 bi em malha ferroviária
2020/10/20 » Como fazer a amortização do FGTS pelo celular
2020/10/19 » Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens
2020/10/19 » Doria apresenta plano de retomada econômica de São Paulo
2020/10/19 » Produção brasileira de aço cresce 7,5% em setembro
2020/10/16 » Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro
2020/10/16 » Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central
2020/10/16 » Rebanho bovino cresce em 2019, influenciado pelo cenário externo
2020/10/15 » Produção de motocicletas aumenta 13,1% em setembro
2020/10/15 » Ministério entrega à Presidência projeto de privatização dos Correios
2020/10/15 » Programa de suspensão de contrato e redução de jornada é prorrogado
2020/10/14 » Guedes defende reformas e rigor fiscal pós-pandemia a comitê do FMI
2020/10/14 » Caixa amplia margem do empréstimo consignado para 35%
2020/10/14 » Mercado eleva projeções para inflação e vê câmbio desvalorizado
2020/10/13 » FMI: mudança climática é ameaça significativa ao crescimento global
2020/10/13 » ONU pede que bancos deixem de financiar projetos de combustível fóssil
2020/10/13 » Custo da construção civil sobe 1,44% em setembro
2020/10/13 » Inflação oficial sobe para 0,64% em setembro
2020/10/09 » Conab prevê produção recorde de grãos na safra 2020/2021

Ver mais »