Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
População tem expectativa positiva para a economia mesmo com a crise, diz pesquisa 09/06/2009

 

Brasília, 9/06/2009 - A expectativa da população para a economia brasileira este ano é positiva, de acordo com pesquisa Ibope divulgada hoje (9) pela Confederação Nacional da Indústria (CNI). Para 84% da população, o ano será muito bom ou bom – na pesquisa anterior, o índice ficou em 83%. O percentual dos que acreditam que o ano será ruim ou muito ruim se manteve em 12%.

Quanto à inflação, 51% disseram esperar alta nos índices nos próximos seis meses. Apesar disso, a expectativa de aumento é menor do que a registrada na última pesquisa, em março, que foi de 63%. Trinta e dois por cento acreditam que não haverá mudanças e 11% esperam que a inflação caia.

A expectativa sobre o desemprego também mostrou melhora em relação à última pesquisa. Em março, 68% disseram que o desemprego iria aumentar e em junho a expectativa é de que o aumento fique em 53%. Entre os que acham que a redução do desemprego será grande estão 21% dos entrevistados, contra 13% na pesquisa anterior.

Mesmo com a expectativa de que o desemprego aumente, 46% dos entrevistados disseram que sua renda não vai mudar e 35% esperam que aumente. Já o percentual dos que acreditam que sua renda vai cair ficou em 13%.

A pesquisa também mediu a percepção da população sobre a crise econômica internacional. Entre os entrevistados, 87% afirmaram que têm conhecimento da crise e 78% a consideram grave. Na comparação com a pesquisa anterior, pode-se dizer que o número dos que sabem da crise subiu. O índice anterior era de 81%. Contudo, o índice dos que consideram a crise grave caiu 5 pontos percentuais na comparação com a pesquisa anterior.

O diretor de Relações Institucionais da CNI, Marco Antonio Guarita, disse que a população já tinha dado mostras de aprovação às medidas tomadas pelo governo há alguns meses para conter a crise, mas agora a aprovação é maior. “Há uma percepção da população de que as medidas adotadas pelo governo para combater a crise já vinham sendo aprovadas. Agora, estão sendo aprovadas de maneira mais expressiva”, afirmou.

Guarita destacou que, entre as medidas com maior aceitação popular estão as voltadas para a aquisição de bens de consumo e da casa própria. “Podemos identificar que as medidas destinadas a facilitar a aquisição de geladeiras, fogões e automóveis e as voltadas para a compra da casa própria têm um grande índice de aprovação popular”, disse ele. (Agência Brasil - Roberta Lopes)



Últimas

2019/09/19 » Intenção de consumo das famílias cresce 0,3% em setembro, diz CNC
2019/09/19 » Confiança de empresário industrial fica estável em setembro
2019/09/19 » Copom reduz Selic para 5,5% ao ano
2019/09/16 » Brasil eleva em 9,5% comércio com EUA, mas diminui com outros países
2019/09/16 » IGP-10 tem inflação de 0,29% em setembro
2019/09/16 » Mercado financeiro espera por redução da Selic para 5,5% ao ano
2019/09/13 » Aprovada, reforma das telecomunicações depende agora de regulamentação
2019/09/13 » Dispositivos digitais abrem novas possibilidades na saúde
2019/09/13 » Você tem direito a sacar o FGTS? Teste seus conhecimentos
2019/09/13 » Agências da Caixa ampliam horário nesta sexta para saques do FGTS
2019/09/12 » Indicador mostra alta de 2,6% no consumo de bens da indústria em julho
2019/09/12 » Abate de bovinos e suínos cresce no segundo trimestre no país
2019/09/12 » Setor de serviços cresce 0,8% de junho para julho no país, diz IBGE
2019/09/11 » Comércio varejista cresce 1% em julho
2019/09/11 » Código do Consumidor completa 29 anos; teste seus conhecimentos
2019/09/11 » Novas tecnologias digitais auxiliam produção no campo
2019/09/10 » Safra de grãos deve fechar 2019 com crescimento de 5,9% , diz IBGE
2019/09/10 » ANP inicia 1º ciclo da oferta permanente de blocos de petróleo e gás
2019/09/10 » Produção industrial recua em oito dos 15 locais pesquisados em julho
2019/09/10 » Governo aumenta previsão de crescimento da economia para 0,85%

Ver mais »