Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Brasil tem elementos para atenuar efeitos da crise no mercado de trabalho, diz estudo 19/03/2009

 

Rio de Janeiro, 18/03/2009 - Estudo divulgado hoje (18) pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) afirma que o Brasil dispõe de elementos para reduzir os efeitos da crise internacional sobre o mercado de trabalho.

Segundo o economista Antonio Marcos Hoelz Ambrozio, da Área de Pesquisas Econômicas do BNDES, autor do estudo, a adoção do câmbio flutuante e a estruturação tecnológica das empresas funcionam como atenuantes do impacto da crise sobre o emprego. “Algum efeito adverso vai ocorrer, mas existem elementos estruturais no mercado de trabalho que podem funcionar como atenuantes ao impacto da crise.”

Isso não ocorreu nos anos 90, com as crises da Rússia e da Ásia, quando houve também aumento significativo na taxa de desemprego no Brasil, lembrou o economista. As condições da economia brasileira naquele período eram diferentes das de hoje. O câmbio era fixo e as empresas ainda se achavam em processo de ajuste à abertura econômica iniciada na década.

“Atualmente, o fato de já estar esgotado o processo de estruturação ao movimento de abertura econômica e a existência de um sistema de câmbio flexível podem dar proteção ao mercado de trabalho no caso de uma desaceleração do crescimento da economia mundial”. O estudo salienta que, mesmo com a queda do crescimento econômico, o impacto da crise será negativo, mas bem menor do que seria se mudanças estruturais não tivessem ocorrido no país.

No período de 2003 a 2008, a taxa de desemprego no Brasil recuou 4,4 pontos percentuais, caindo de 12,3% para 7,9%. Nos próximos meses, por conta da crise externa, entretanto, é possível que as condições do mercado de trabalho continuem piorando, com elevação na taxa de desemprego, diz o autor do estudo.

Segundo Ambrozio, o vetor principal do que vai acontecer na economia brasileira vai ser o desdobramento da crise internacional. Os sinais são de retomada do crescimento econômico a partir de 2010. E o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB), que é a soma das riquezas produzidas no país, deve ser acompanhado de um alívio do mercado de trabalho. São variáveis que andam juntas, completou o economista. (Agência Brasil - Alana Gandra)



Últimas

2019/08/23 » Confiança do Comércio cresce 3,2 pontos em agosto
2019/08/23 » Governo federal digitalizou 315 serviços em 2019
2019/08/23 » Entenda as principais mudanças da MP da Liberdade Econômica
2019/08/22 » Produção da indústria sobe 9,6 pontos, acima da média histórica
2019/08/22 » Novo PPI deve gerar investimentos de R$ 2 trilhões, diz Onyx
2019/08/22 » Senado aprova MP da Liberdade Econômica
2019/08/21 » Guedes: governo vai acelerar privatizações até final do ano
2019/08/21 » BB passa a oferecer financiamento imobiliário com taxas diferenciadas
2019/08/21 » Caixa anuncia financiamento habitacional corrigido pelo IPCA
2019/08/20 » MP que muda Coaf para o Banco Central é publicada no Diário Oficial
2019/08/20 » Conselho do FGTS aprova distribuição de 100% do lucro de 2018
2019/08/19 » CNI: governo avançou na pauta de comércio exterior em sete meses
2019/08/19 » Previsão de crescimento econômico aumenta; estimativa de inflação cai
2019/08/19 » Substância produzida pelo organismo tem potencial para tratar diabetes
2019/08/16 » Guedes: Brasil sai do Mercosul se Argentina frear abertura do bloco
2019/08/16 » Financiamentos imobiliários poderão ser indexados à inflação
2019/08/16 » PIS/Pasep: benefício para os nascidos em agosto já está liberado
2019/08/15 » Entenda as principais mudanças da MP da Liberdade Econômica
2019/08/15 » Bolsonaro reduz impostos sobre jogos eletrônicos
2019/08/15 » Empresas ampliam faturamento em até 15% com programa de capacitação

Ver mais »