Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Médicos dizem ser desnecessário o uso de álcool na higienização das mãos 01/09/2009

São Paulo - Um prática que deveria ser sempre seguida, mas ganhou maior difusão com a pandemia da influenza A (H1N1)- gripe suína, o ato de lavar as mãos não precisa mais do que água e sabão. É o que recomendam o Ministério da Saúde e médicos ouvidos pela Agência Brasil.

Mas a higienização das mãos com o álcool gel também se transformou num hábito do brasileiro, com o crescimento de casos da doença no país. Por causa disso, houve o aumento na procura pelo produto, que chegou a sumir das prateleiras de alguns pontos comerciais e a ter os preços elevados.

O  presidente da Associação Paulista de Medicina (APM), Jorge Carlos Machado Curi,desfaz a crença de que o álcool gel seja essencial na higienização das mãos para evitar a contaminação pelo vírus Influenza (H1N1). Ele disse que basta apenas lavar bem as mãos com água e sabão neutro, e alertou para os riscos do uso indiscriminado do produto.

“Apesar de não se espraiar da mesma forma que o álcool líquido, esse produto também incendeia com facilidade, favorecendo a ocorrência de  acidentes, principalmente,  com crianças e mesmo com adultos”, disse.

De acordo com Machado Curi, os profissionais da área médica de várias especialidades há algum tempo alertam, por meio de campanhas, para a necessidade de reduzir o uso do álcool líquido, uma ação que, na opinião dele poderia também ser aplicada no caso da versão na forma de gel.

Parceira da APM e de outras entidades nessas campanhas, a Associação Brasileira de Defesa do Consumidor defende a aprovação do Projeto de Lei 692/2007, que proíbe a venda do álcool líquido para fins domésticos. “É um produto muito perigoso, facilmente inflamável e responsável pela maior parte dos acidentes com queimaduras em nosso país”, informou por meio de um comunicado.

Embora as campanhas estejam voltadas para a restrição do uso do álcool líquido, Associação Brasileira de Defesa do Consumidor alega que as análises feitas pela entidade comprovaram que, mesmo na forma de gel, o perigo de acidentes existe e que, nestes casos, as crianças são sempre as maiores vítimas.

No setor de atendimento à pacientes com queimaduras no Hospital das Clínicas  de São Paulo, no entanto, não há o registro de casos frequentes de vítimas de queimaduras com álcool gel, segundo informou o médico responsável pelo departamento, David Gomes.

Ele revelou que entre 12 a 15% dos casos de queimaduras têm origem no uso de álcool líquido. Já os atendimentos causados pelo uso inadequado do produto na forma de gel são raros com apenas dois registros até hoje. O médico também concorda com os especialistas que para higienizar bem as mãos “bastam água e sabão”. (Agência Brasil - Marli Moreira)



Últimas

2019/11/19 » Petrobras reajusta gasolina em 2,8% nas refinarias
2019/11/19 » Setor de infraestrutura tem feito "mais com menos", diz secretário
2019/11/19 » Déficit primário encerrará o ano abaixo de R$ 80 bilhões, diz Guedes
2019/11/18 » Instituições financeiras elevam expectativa de inflação para 3,33%
2019/11/18 » Com Selic em queda, poupança pode passar a render menos que a inflação
2019/11/14 » Atividade econômica cresce 0,91% no terceiro trimestre
2019/11/14 » Caixa e BB iniciam quinta fase de pagamento de abono do PIS/Pasep
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/13 » Privatização da Eletrobras deve reduzir tarifas para os consumidores
2019/11/13 » Caixa reduz para 4,99% a taxa de juros do cheque especial
2019/11/13 » Ministro diz que reforma da Previdência já atrai investidores
2019/11/12 » Setor de serviços cresce 1,2% em setembro, aponta IBGE
2019/11/12 » Cresce apoio do BNDES a projetos de micro, pequenas e médias empresas
2019/11/12 » Países do Brics buscam investimentos privados para infraestrutura
2019/11/12 » Faturamento do mercado de seguros cresceu 18,6% em setembro
2019/11/11 » Brics fomenta cooperação entre economias emergentes há 13 anos
2019/11/11 » Impostos dificultam pequenos e médios negócios, dizem empresários
2019/11/11 » IBGE revisa PIB de 2017 de 1% para 1,3%
2019/11/08 » Indicador da FGV mostra dificuldade de reação do mercado de trabalho

Ver mais »