Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Inflação oficial é a menor desde agosto de 2006 10/09/2009

Rio de Janeiro - O Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), usado pelo governo para fixar as metas de inflação, ficou em 0,15% em agosto. O resultado é inferior ao registrado no mês de julho, quando a taxa havia sido de 0,24%, e alcançou o menor patamar desde agosto de 2006, quando a variação havia sido de 0,05%.

Em agosto de 2008, o IPCA havia ficado em 0,28%. Com os dados divulgados hoje (10) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o índice acumula no ano alta de 2,97%. Essa taxa é menor do que a observada no mesmo período do ano passado (4,48%).

O acumulado nos últimos 12 meses encerrados em agosto, 4,36%, também ficou abaixo do verificado nos 12 meses imediatamente anteriores (4,50%).

De acordo com o levantamento, a taxa dos alimentos permaneceu praticamente estável, passando de –0,01% em julho para –0,06% em agosto. O leite pasteurizado, que vinha pressionando o IPCA desde abril, reverteu a trajetória e passou de alta de 4,02% para queda de 6,61% no período. Este item foi o que apresentou a contribuição individual mais baixa do mês: -0,09 ponto percentual. O documento do IBGE destaca, que, apesar disso, no ano o leite pasteurizado continua em alta, acumulando variação de 25,21%.

Ainda no âmbito dos alimentos, o item frutas, com alta de 4,93%, foi o que exerceu a maior pressão em agosto. Com esses resultados, o grupo alimentação e bebidas acumula no ano alta de 2,56%, abaixo do verificado em igual período de 2008, quando a taxa havia sido de 9,58%.

Já os produtos não alimentícios tiveram alta de 0,20%, menos intensa do que em julho (0,33%). O grupo habitação (de 1,11% para 0,47%) apresentou redução no ritmo de aumento, influenciada pelas tarifas de energia elétrica (de 3,25% para 0,39%).

O IPCA foi pressionado pela taxa de água e esgoto (de 0,23% para 1,00%), puxada pelo reajuste de 6,0% ocorrido no início do mês no valor das tarifas do Rio de Janeiro e de 6,5% em Fortaleza, no fim de julho.

O grupo transportes (de 0,14% para –0,11%) teve queda, influenciada pelas passagens aéreas que ficaram mais baratas no período, passando de –6,81% para –10,97%, e por automóvel usado (de –1,66% para –1,55%). Também houve alta menos intensa em ônibus interestadual (de 5,80% para 0,60%), gasolina (de 0,68% para 0,16%) e álcool (de 2,47% para 1,44%).

O levantamento do IBGE destaca ainda que houve queda nos seguintes artigos de residência: mobiliário (de 1,15% para –1,06%), eletrodomésticos (de –0,41 % para –0,40%) e consertos e manutenção (de –0,86% para –0,26%).

Já o grupo educação teve alta de 0,83%, impulsionada pelos cursos (ensino formal), com elevação de 0,74%, e pelos cursos diversos (informática, idioma etc.), que variaram 1,95%. O mesmo movimento foi observado em vestuário (de –0,01% para 0,13%), refletindo o fim do período de liquidações.

Entre as regiões metropolitanas, Brasília foi a que apresentou a taxa mais elevada no mês de agosto (0,44%), influenciada principalmente pela alta nos preços dos cursos formais e diversos. Já o menor índice foi observado em Curitiba (5,01%), onde a gasolina e o álcool ficaram mais baratos.

Para o cálculo do IPCA, os preços foram coletados entre 29 de julho e 28 de agosto e comparados com os preços vigentes de 30 de junho a 28 de julho. O índice considera os gastos de famílias com rendimento mensal de até 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas de Porto Alegre, Belém, Curitiba, do Rio de Janeiro, de São Paulo, Belo Horizonte, Fortaleza, Recife e Salvador, além de Brasília e Goiânia. (Agência Brasil - Thaís Leitão)



Últimas

2019/11/19 » Petrobras reajusta gasolina em 2,8% nas refinarias
2019/11/19 » Setor de infraestrutura tem feito "mais com menos", diz secretário
2019/11/19 » Déficit primário encerrará o ano abaixo de R$ 80 bilhões, diz Guedes
2019/11/18 » Instituições financeiras elevam expectativa de inflação para 3,33%
2019/11/18 » Com Selic em queda, poupança pode passar a render menos que a inflação
2019/11/14 » Atividade econômica cresce 0,91% no terceiro trimestre
2019/11/14 » Caixa e BB iniciam quinta fase de pagamento de abono do PIS/Pasep
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/14 » Reformas vão tornar Brasil mais atrativo a negócios, diz Bolsonaro
2019/11/13 » Privatização da Eletrobras deve reduzir tarifas para os consumidores
2019/11/13 » Caixa reduz para 4,99% a taxa de juros do cheque especial
2019/11/13 » Ministro diz que reforma da Previdência já atrai investidores
2019/11/12 » Setor de serviços cresce 1,2% em setembro, aponta IBGE
2019/11/12 » Cresce apoio do BNDES a projetos de micro, pequenas e médias empresas
2019/11/12 » Países do Brics buscam investimentos privados para infraestrutura
2019/11/12 » Faturamento do mercado de seguros cresceu 18,6% em setembro
2019/11/11 » Brics fomenta cooperação entre economias emergentes há 13 anos
2019/11/11 » Impostos dificultam pequenos e médios negócios, dizem empresários
2019/11/11 » IBGE revisa PIB de 2017 de 1% para 1,3%
2019/11/08 » Indicador da FGV mostra dificuldade de reação do mercado de trabalho

Ver mais »