Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Índice que reajusta aluguéis fica em 0,04% na segunda prévia do mês 20/10/2009

Rio de Janeiro - O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M) ficou em 0,04% na segunda leitura de outubro. O resultado é inferior ao apurado no mesmo período do mês anterior, quando a variação havia sido de 0,41%. Os dados foram divulgados hoje (20) pela Fundação Getulio Vargas (FGV). A segunda prévia do IGP-M de outubro compreende o intervalo entre os dias 21 de setembro e 10 de outubro.

O IGP-M, usado  como referência para reajustes de contratos de aluguel, é formado pela variação do Índice de Preços por Atacado (IPA), do Índice de Preços ao Consumidor (IPC) e do Índice Nacional de Custo da Construção (INCC).

A queda no Índice de Preços por Atacado (IPA) entre os dois períodos de coleta influenciou a taxa global. Neste levantamento, o IPA ficou em 0,02% ante alta de 0,55% na apuração anterior. A maior contribuição para o movimento partiu dos alimentos in natura, cuja taxa passou de 5,93% para –7,28%. Também houve redução na taxa dos materiais e componentes para a manufatura (de 1,45% para 0,00%).

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) também ficou menor de um mês para o outro, tendo passado de 0,25% para 0,03%. O grupo alimentação influenciou o resultado (de 0,61% para –0,96%), principalmente frutas (de 7,99% para –4,73%) e hortaliças e legumes (de 5,49% para –2,88%).

Os outros seis grupos que formam o IPC tiveram alta. São eles: vestuário (de –0,68% para 0,74%), habitação (de 0,24% para 0,56%), transportes (de 0,09% para 0,40%), educação, leitura e recreação (de –0,06% para 0,19%), saúde e cuidados pessoais (de 0,05% para 0,18%) e despesas diversas (de 0,35% para 0,41%).

O  Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) passou de –0,04% para 0,13%. A elevação foi puxada pelos preços dos materiais, equipamentos e serviços, que reverteram a queda de 0,13% no mês anterior e tiveram alta de 0,17% nesta apuração. O custo da mão de obra passou de 0,05% para 0,09%. (Agência Brasil - Thaís Leitão)



Últimas

2020/10/26 » Contas externas têm em setembro sexto mês seguido de saldo positivo
2020/10/26 » Petrobras inicia venda de campos terrestres em Sergipe
2020/10/26 » Banco Central registra recorde de remessas de dólares para o Brasil
2020/10/23 » Ministério da Infraestrutura entregará planos de logística até 2050
2020/10/23 » OMS: risco de pegar covid-19 em aviões é "muito baixo", mas não zero
2020/10/23 » Cresce pauta sobre home office nas negociações trabalhistas
2020/10/22 » Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos
2020/10/22 » Opas: América Latina não deve relaxar enfrentamento à pandemia
2020/10/22 » Faturamento do setor de turismo no Brasil tem redução de 33,6% em 2020
2020/10/21 » Setor mineral brasileiro tem resultado positivo no 3º trimestre
2020/10/21 » Decreto inclui Linha 2 do metrô de BH em programa de privatizações
2020/10/21 » Não investir no Brasil será um grande erro, afirma ministro
2020/10/21 » Inflação do aluguel sobe de 18,20% para 20,56% em 12 meses
2020/10/20 » Pacote comercial abre caminho para acordo mais amplo, diz governo
2020/10/20 » SP:acordo da ANTT permite investimento de R$ 6 bi em malha ferroviária
2020/10/20 » Como fazer a amortização do FGTS pelo celular
2020/10/19 » Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens
2020/10/19 » Doria apresenta plano de retomada econômica de São Paulo
2020/10/19 » Produção brasileira de aço cresce 7,5% em setembro
2020/10/16 » Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro

Ver mais »