Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Pesquisa indica que 19,5 milhões de brasileiros tiveram ascensão de renda desde 1995 06/11/2009

São Paulo - Cerca de 13,5 milhões de brasileiros saíram da base da pirâmide social e econômica e passaram para o nível intermediário de renda de 1995 a 2008, segundo dados da pesquisa Trajetória da Mudança na Identidade e na Estrutura Social brasileira, divulgada hoje (5), pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea). Outros 6 milhões passaram para o nível superior de renda. A pesquisa divide a pirâmide em três extratos de renda: base, intermediário e superior.

As regiões Sudeste e Nordeste são as que se destacaram com a ascensão da base para o nível intermediário de renda. Os estados do Sudeste responderam pela passagem de 4,9 milhões de pessoas no extrato intermediário, e os do Nordeste, por 4,6 milhões. Na Região Sul, saíram da base 1,5 milhão de indivíduos (11,1%), na Região Norte 1,4 milhão (10,4%) e no Centro-Oeste 1,1 milhão (8,1%).

Segundo o presidente do Ipea, Marcio Pochmann, o Nordeste voltou a ter o melhor desempenho econômico no setor privado e do ponto de vista das iniciativas públicas relacionadas aos investimentos. “Isso trouxe melhoras no mercado de trabalho. Parte significativa dos programas de transferência de renda é para a população mais pobre e que ainda continua residindo no Nordeste", disse.

Pochmann afirmou que a sociedade brasileira voltou a ter mobilidade e esse quadro de ascensão social deriva das melhorias ocorridas no mercado de trabalho, em termos de ampliação do emprego e da renda. Ele explicou que os trabalhadores ocupados tiveram a maior mobilidade social.

“A ideia de pirâmide social no Brasil precisa ser reconfigurada, porque talvez estejamos caminhando para a figura de um barril como sendo uma redução da presença da população de menor renda e uma ampliação da renda intermediária, acompanhada inclusive de melhora na renda mais alta da população brasileira”, disse.

A pesquisa indica ainda que a população mais pobre está tendo mais acesso a bens como fogão, geladeira e rádio. Com relação ao fogão, tanto em 1998 como em 2008 quase 100% dos indivíduos dos três extratos sociais possuem o bem. Já a geladeira teve sua presença aumentada para 80,1% da base da pirâmide. Com relação ao telefone e à máquina de lavar, 62,6% e 13,1% da população da base da pirâmide já possuem esses aparelhos.

“Não é possível mais identificar na posse de televisão, geladeira e rádio se a pessoa pertence a um extrato de renda baixo ou alto. Praticamente há uma homogeneidade no consumo desses bens. O que talvez diferencie seja a qualidade, a marca desses bens”, disse Pochmann.

Para ele, as políticas públicas necessitam de uma redefinição para acompanhar as mudanças sociais e geográficas do país. “Havia uma avaliação de que a maior renda estava concentrada na região metropolitana. Mas percebemos que há uma interiorização do segmento de maior renda e, ao mesmo tempo, as grandes cidades acumularam um segmento de menor renda.” (Agência Brasil - Flávia Albuquerque)



Últimas

2020/10/22 » Confiança da indústria atinge maior nível em nove anos
2020/10/22 » Opas: América Latina não deve relaxar enfrentamento à pandemia
2020/10/22 » Faturamento do setor de turismo no Brasil tem redução de 33,6% em 2020
2020/10/21 » Setor mineral brasileiro tem resultado positivo no 3º trimestre
2020/10/21 » Decreto inclui Linha 2 do metrô de BH em programa de privatizações
2020/10/21 » Não investir no Brasil será um grande erro, afirma ministro
2020/10/21 » Inflação do aluguel sobe de 18,20% para 20,56% em 12 meses
2020/10/20 » Pacote comercial abre caminho para acordo mais amplo, diz governo
2020/10/20 » SP:acordo da ANTT permite investimento de R$ 6 bi em malha ferroviária
2020/10/20 » Como fazer a amortização do FGTS pelo celular
2020/10/19 » Comércio eletrônico e delivery aumentam consumo de embalagens
2020/10/19 » Doria apresenta plano de retomada econômica de São Paulo
2020/10/19 » Produção brasileira de aço cresce 7,5% em setembro
2020/10/16 » Indicador antecedente da economia brasileira cresce 1,2% em setembro
2020/10/16 » Atividade econômica tem alta de 1,06% em agosto, diz Banco Central
2020/10/16 » Rebanho bovino cresce em 2019, influenciado pelo cenário externo
2020/10/15 » Produção de motocicletas aumenta 13,1% em setembro
2020/10/15 » Ministério entrega à Presidência projeto de privatização dos Correios
2020/10/15 » Programa de suspensão de contrato e redução de jornada é prorrogado
2020/10/14 » Guedes defende reformas e rigor fiscal pós-pandemia a comitê do FMI

Ver mais »