Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
São Paulo lidera ranking de denúncias sobre violência contra a mulher 25/11/2009

Brasília - O estado de São Paulo lidera o ranking da procura pela Central de Atendimento à Mulher (Disque 180) neste ano, com 87.457 ligações, seguido pelo Rio de Janeiro, com 33.844, e por Minas Gerais, com 18.216.

Entre janeiro e outubro de 2009, o serviço registrou 269.258 atendimentos, um aumento de 25% em relação ao total do mesmo período de 2008 (216.035). Desses, 47% foram em busca de informações sobre a Lei Maria da Penha, ou 127.461 atendimentos.

O serviço foi lançado em novembro de 2005. “Embora tenhamos um número de atendimentos muito grande, achamos que ele poderia ser maior dada a violência contra a mulher na sociedade. Uma em cada três mulheres no mundo já sofreu algum tipo de violência”, destacou a ministra da Secretaria Especial de Políticas para as Mulheres, Nilcéa Freire.

Ela citou pesquisa feita pelo Ibope neste ano indicando que 53% dos entrevistados apontaram a violência doméstica contra as mulheres como o problema que mais preocupa os brasileiros. Em seguida, aparecem o medo de se infectar pelo HIV e a preocupação com uma gravidez indesejada e com o câncer de mama e de colo do útero.

Entretanto, apenas 0,3% dos entrevistados consideram a Central de Atendimento à Mulher o melhor caminho para pedir ajuda em casos de violência doméstica. Em primeiro lugar, segundo a pesquisa, vêm as delegacias. “Mas sabemos que nem todos vão até lá denunciar”, afirmou Nilcéa.

Durante a divulgação do balanço do Disque 180, o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, afirmou que ambas as pastas têm a mesma visão sobre o problema da violência contra mulheres e as repercussões provocadas no campo da saúde.

“Isso remete a uma estrutura de violência contra a mulher histórica e culturalmente legitimada. Precisamos quebrar essa histórica e avançar na conquista de direitos e de uma vida melhor para as mulheres brasileiras. Queremos que as mulheres se sintam seguras com um espaço para denunciar.”

Temporão citou o caso da estudante Geisy Arruda, que foi hostilizada por usar um vestido curto para frequentar as aulas na Universidade Bandeirante (Uniban). Ele considerou "impactante" o dado do balanço do Disque 180 que indica que quase 70% das agressões contra mulheres são diárias. “Isso evidencia que não se trata de episódios isolados”, disse. (Agência Brasil - Paula Laboissière)



Últimas

2020/02/18 » Economia segue em processo de recuperação gradual, diz BC
2020/02/18 » FGV: economia brasileira cresceu 1,2% em 2019
2020/02/18 » Rodovias terão estabelecimentos regulamentados para motoristas
2020/02/17 » Associação alerta motoristas sobre riscos no trânsito durante carnaval
2020/02/17 » Estimativa do mercado financeiro para inflação cai para 3,22%
2020/02/17 » Começam a valer medidas da Caixa para estimular construção civil
2020/02/14 » Atividade econômica cresce 0,89% em 2019
2020/02/14 » Cerca de 25% dos desempregados procuram emprego há mais de dois anos
2020/02/14 » Taxa de desemprego cai em 16 estados, revela IBGE
2020/02/13 » Abate de bovinos cai e o de suínos e frangos sobe no último trimestre
2020/02/13 » Setor de Serviços fecha 2019 com crescimento de 1%
2020/02/13 » Coronavírus: subida exponencial de mortes e casos. O que mudou?
2020/02/12 » Comércio varejista fecha ano com alta de 1,8% nas vendas
2020/02/12 » Embrapa cria cenoura que dispensa agrotóxico
2020/02/12 » Conselho da Amazônia vai unificar ações do governo, diz Mourão
2020/02/11 » OMS nomeia infecção por coronavírus de Covid-19
2020/02/11 » Inflação do aluguel é de 6,86% em 12 meses
2020/02/11 » Portaria com novos valores dos benefícios do INSS é publicada no DO
2020/02/10 » Bombeiros recebem mais de 7 mil chamados devido às chuvas em São Paulo
2020/02/10 » Brasil e Japão assinam memorando para estimular judô nas escolas

Ver mais »