Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Cesta básica fica mais cara em 14 capitais, indica pesquisa do Dieese 02/12/2009

São Paulo - O preço da cesta básica em novembro ficou mais alto em 14 das 17 localidades pesquisadas pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese). Os maiores aumentos foram constatados em: Fortaleza com 6,97% e valor de R$ 182,16; Goiânia com 4,04% e valor de R$ 205,95 e Natal com 3,71% e valor de R$ 189,73.

A cesta mais cara continua sendo a de Porto Alegre (R$ 254,62), valor 2,55% acima do registrado em outubro. A segunda posição permanece com São Paulo, onde para comprar os produtos básicos, os moradores tiveram de gastar 2,16% mais, pagando R$ 234,99. Na sequência da lista aparece Vitória, com um reajuste de 1,44% que elevou o valor para R$ 227,81.

No acumulado ao ano, a cesta básica teve queda em 14 capitais, das quais as mais expressivas foram Aracajú (-13,15%), João Pessoa (-12,43%) e Natal (-10,84%). Nos 12 meses fechados em novembro (infalção anualizada), oito localidades tiveram aumento de preços.

Pelos cálculos do Dieese, o salário mínimo necessário deveria ser de R$ 2.139,06, 4,6 vezes superior ao que está em vigor (R$ 465,00) para garantir a compra dos produtos alimentícios e das demais despesas essenciais com moradia, saúde, educação, vestuário, higiene, transporte, lazer e previdência.

O óleo de soja foi o único produto que ficou mais caro em todas as capitais pesquisadas, com destaque para Porto Alegre, com alta de 8,48%, João Pessoa (8,46%) e Goiânia (7,59%). O tomate teve alta em 12 localidades e a maior foi em Fortaleza (58,18%). Outro destaque foi o açúcar, com elevação em 11 capitais, a maior delas em Curitiba (8,57%).

Segundo o Dieese, um dos motivos da alta do açúcar foi a quebra de safra na Índia por condições climáticas que elevou a cotação no produto mercado internacional. As chuvas mais intensas na Região Sudeste também influenciaram, por causa da perda na produtividade dos canaviais. (Agência Brasil - Marli Moreira)



Últimas

2019/12/13 » Estados Unidos e China concluem Fase 1 de acordo comercial
2019/12/13 » Grandes municípios perdem participação no PIB ano a ano, mostra IBGE
2019/12/13 » FGTS poderá distribuir mais que 50% dos lucros, informa governo
2019/12/12 » Receita faz nova operação de malha fina em empresas
2019/12/12 » Saúde amplia público para vacinas contra febre amarela e gripe
2019/12/12 » Produção de ovos de galinha bate novo recorde no país, diz IBGE
2019/12/11 » Acesso digital a serviços públicos gera economia de R$ 1,7 bi por ano
2019/12/11 » Comércio varejista registra a sexta alta consecutiva em outubro
2019/12/10 » Inflação para família de baixa renda tem alta de 0,54% em novembro
2019/12/10 » Safra de 2020 deve bater recorde e chegar a 240,9 milhões de toneladas
2019/12/10 » Mais 2 milhões de pessoas passam a ter esgoto e água potável em casa
2019/12/09 » Novas tecnologias digitais aumentam produtividade de empresas
2019/12/09 » Estimativa para inflação sobe para 3,84% este ano
2019/12/09 » Brasil e Paraguai terão livre comércio de automóveis
2019/12/09 » Brasil mantém posição no Índice de Desenvolvimento Humano em 2019
2019/12/04 » Produção industrial cresce 0,8% em outubro
2019/12/03 » Faturamento da indústria sobe 1,3% em outubro, diz CNI
2019/12/03 » Venda de veículos novos cresce 4,38% em novembro frente a 2018
2019/12/03 » Com nova revisão da balança comercial, exportações sobem US$ 6,4 bi
2019/12/03 » Balança comercial fecha novembro com menor superávit desde 2015

Ver mais »