Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
OIT aponta que mundo perdeu 20 milhões de postos de trabalhos desde a crise 07/12/2009

Brasília - Desde o início da crise financeira, em outubro de 2008, 20 milhões de postos de trabalho foram fechados. E, apesar de superado o período crítico da crise, 5 milhões de pessoas correm o risco de perder o emprego em 51 países. Os dados são do estudo O Trabalho no Mundo 2009 – Crise Mundial do Emprego e Perspectivas, divulgado hoje (7), pela Organização Internacional do Trabalho (OIT).

O levantamento revela, ainda, que 43 milhões de pessoas podem abandonar o mercado de trabalho por um longo período, principalmente os trabalhadores com baixa qualificação, jovens, mulheres e idosos. “Essas pessoas podem cair no desemprego de longa duração ou abandonar por completo o mercado de trabalho. Segundo experiência de crises passadas, o risco é particularmente grave no caso de trabalhadores pouco qualificados, os imigrantes e trabalhadores com idade avançada”, diz a OIT.

Sobre a geração de postos de trabalho, o estudo mostra que, nos países desenvolvidos mais atingidos pela crise, os índices devem apresentar recuperação somente a partir de 2013. Para as nações em desenvolvimento, o prazo é menor. “Nos países com alto PIB (Produto Interno Bruto, soma das riquezas produzidas por um país) per capita, o emprego não voltará aos níveis anteriores aos da crise antes de 2013. Nos países emergentes e em desenvolvimento, os níveis de emprego poderiam começar a recuperação em 2010, mas não alcançarão os níveis anteriores aos da crise, antes de 2011”.

O estudo lista um grupo de países que têm adotado medidas eficazes para preservar os postos de trabalho durante a crise e que seguem o Pacto Mundial para o Emprego, sendo um deles o Brasil. O pacto foi um instrumento adotado, em junho, por governos, sindicatos e empregadores, com a coordenação da OIT, para enfrentar a crise econômica.

Segundo a organização, as respostas desses países à crise têm como foco a proteção social, evitar a redução salarial e a piora das condições de trabalho. “É importante assinalar que a maioria desse países têm atuado rapidamente e com objetivos claros, o que explica porque as medidas têm sido eficazes do ponto de vista dos custos”, afirma o estudo. Integram esse grupo: Austrália, Alemanha, Jordânia e República da Coreia.

A OIT critica a demora na execução de uma reforma do sistema financeiro e diz ter o receio de que a falta de regulamentação no setor signifique o ressurgimento de práticas que provocaram a crise. “Em alguns países, teme-se que, a menos que se adotem medidas rapidamente, nada mudará. Com a falta de reforma, as práticas que provocaram a crise financeira voltarão pouco depois que comece a recuperação econômica. Isso agravaria a fragilidade no mundo do trabalho e geraria risco de novas crises no futuro”, prevê a entidade. (Agência Brasil - Carolina Pimentel)



Últimas

2019/12/04 » Produção industrial cresce 0,8% em outubro
2019/12/03 » Faturamento da indústria sobe 1,3% em outubro, diz CNI
2019/12/03 » Venda de veículos novos cresce 4,38% em novembro frente a 2018
2019/12/03 » Com nova revisão da balança comercial, exportações sobem US$ 6,4 bi
2019/12/03 » Balança comercial fecha novembro com menor superávit desde 2015
2019/12/03 » PIB cresce 0,6% no terceiro trimestre, revela IBGE
2019/12/02 » Mudanças climáticas forçam 20 milhões por ano a deixarem suas casas
2019/12/02 » EUA vão restabelecer tarifa sobre aço e alumínio comprados do Brasil
2019/12/02 » Mercado financeiro eleva estimativa de inflação este ano para 3,29%
2019/11/29 » Termina amanhã prazo para renovar contratos do Fies feitos até 2017
2019/11/29 » Governo e setor privado estimam Custo Brasil em R$ 1,5 trilhão por ano
2019/11/28 » IGP-M acumula inflação de 3,97% em 12 meses
2019/11/28 » Confiança da indústria atinge maior nível desde maio de 2018
2019/11/28 » Expectativa de vida no Brasil sobe para 76,3 anos
2019/11/26 » Custo da construção sobe 0,15% em novembro
2019/11/26 » Pnuma: emissões de CO2 precisam cair 7,6% ao ano
2019/11/26 » Criador da WWW propõe contrato para "consertar" internet
2019/11/25 » Mercado eleva projeção de inflação e de crescimento econômico
2019/11/25 » Brasileiros acreditam que inflação fica em 4,8% nos próximos 12 meses
2019/11/25 » Micro e pequenas empresas geraram mais de 73 mil empregos em outubro

Ver mais »