Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
Melhora da arrecadação eleva economia para pagamento dos juros 30/12/2009

Brasília - A União, os estados e os municípios contabilizaram o melhor superávit primário consolidado no mês de novembro, com economia de R$ 12,711 bilhões para abater despesas com os juros da dívida, como decorrência natural da melhora da arrecadação pública nos últimos meses, de acordo com o chefe do Departamento Econômico do Banco Central (BC), Altamir Lopes.

Ao divulgar hoje (30) o Relatório de Política Fiscal de novembro, ele disse que o superávit foi o melhor já registrado para esse mês, mas ficou abaixo dos R$ 13,818 bilhões de outubro. Segundo Lopes, é importante ressaltar que o resultado do mês passado foi positivo em todos os níveis de governo e nas empresas estatais.

Embora o superávit conseguido até agora não seja suficiente para cobrir as despesas com os juros da dívida pública, Lopes destacou que “o cenário é de recuperação” da economia brasileira como um todo, apesar da piora provocada pela crise financeira mundial deflagrada em setembro do ano passado, com reflexos que perduram, embora de forma mais amena atualmente.

Ele afirmou que os países desenvolvidos sofreram uma piora média superior a 10% na relação entre a dívida líquida do setor público e o Produto Interno Bruto (PIB, a soma das riquezas produzidas no país), enquanto o impacto no Brasil chegou a 5,7%. Essa relação é o principal parâmetro de solvência de uma economia quanto à quitação dos compromissos externos.

O efeito dessa piora foi menor na economia brasileira, mas suficiente para aumentar a relação dívida/PIB de 37,3%, no final de 2008, para 43%, no fechamento de novembro. De acordo com Lopes, o mesmo nível deve ser mantido em dezembro, considerando-se um superávit de 2% no encerramento do ano, computados os recursos do Fundo Soberano do Brasil (FSB), que correspondem a 0,5% do PIB.

Mantido o quadro de “sustentabilidade fiscal favorável”, conforme Altamir Lopes, o BC trabalha com duas estimativas para a relação dívida/PIB em 2010. Uma é a “projeção piso”, que considera superávit de 2,62% e abatimento dos investimentos públicos e calcula a relação dívida/PIB de 41% no final do ano. Mas, em caso de cumprimento da meta de 3,3% de superávit, a expectativa é que a relação dívida/PIB caia para 40,3%. (Agência Brasil - Stênio Ribeiro)



Últimas

2020/11/23 » Mais de 60% dos internautas no país usam serviços públicos digitais
2020/11/23 » Guia de financiamento ajuda empresas interessadas em sustentabilidade
2020/11/23 » Em reunião do G20, Guedes diz que recuperação do Brasil surpreende
2020/11/20 » Economia cresceu 7,5% do segundo para o terceiro trimestre, diz FGV
2020/11/20 » Produção e empregos estão em alta na indústria, diz CNI
2020/11/20 » Confiança do empresário do comércio sobe 4,1% em novembro, diz CNC
2020/11/18 » Aumento de exportações industriais traria R$ 376 bi para economia
2020/11/18 » Quase dois terços das indústrias esperam faturar mais em 2021
2020/11/18 » Brics apoia candidatura do Brasil para Conselho de Segurança da ONU
2020/11/17 » Pix terá pagamentos programados e troco em dinheiro
2020/11/17 » PagTesouro começa a disponibilizar Pix como forma de pagamento
2020/11/17 » Consulta pública busca soluções digitais para pequena e média empresa
2020/11/16 » Pix: novo sistema de pagamento instantâneo entra em funcionamento
2020/11/16 » Índice de Confiança do Empresário Industrial sobe em novembro
2020/11/16 » Atividade econômica tem crescimento de 9,47% no terceiro trimestre
2020/11/13 » BNDES tem lucro de R$ 8,73 bilhões no terceiro trimestre
2020/11/13 » Consumo de energia volta a níveis pré-pandemia no Brasil
2020/11/13 » Vendas de motocicletas têm queda de 2,3% em outubro
2020/11/12 » Desempenho das pequenas indústrias bate recorde no terceiro trimestre
2020/11/12 » Alimentos representaram 60% da inflação dos mais pobres em outubro

Ver mais »