Câmara do Japão
Japonês
Buscar: OK

Tópicos

 

 

 

 

 

 

(426)Você está em:
  • Home »
    • Câmara
      • » Notícias

Notícias

Selecione datas para filtrar: a OK
São Paulo encerra o ano com inflação mais baixa desde 2006 06/01/2010

São Paulo - O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) na cidade de São Paulo, apresentou alta de 3,65% no acumulado de janeiro a dezembro de 2009. A variação é a mais baixa desde 2006 (2,55%). Em 2008, a taxa havia sido de 6,16% e em 2007, de 4,38%.

No ano passado, dos sete pesquisados, o grupo despesas pessoais liderou o percentual de alta (7,23%), seguido por educação (6,91%) e saúde (6,82%).

Na análise do mês de dezembro, o IPC variou 0,18%, abaixo do resultado do fechamento de novembro (0,29%) e de outubro (0,25%). A maior alta no encerramento do mês passado foi constatada em vestuário (0,81%), puxada, principalmente, pelo aumento de preços das roupas infantis, masculinas e dos calçados em geral.

Os alimentos, que têm forte peso sobre o resultado geral da taxa, apresentaram deflação pela terceira vez seguida, de 0,24%). Na terceira prévia de dezembro, a queda havia sido de 0,17% e na segunda, de 0,10%. No fechamento de novembro, os alimentos apresentaram alta de 0,30%. De acordo com o levantamento da Fipe, entre a terceira prévia de dezembro e o encerramento do ano, alguns produtos tradicionalmente mais consumidos nessa época tiveram variações características do movimento de oferta e procura.

As carnes suínas, bastante procuradas no comércio para a ceia natalina, estavam 2,77% mais caras no período anterior ao Natal e logo em seguida houve uma diminuição no ritmo de reajuste, com a alta passando para o valor médio de 1,94%. O pernil, por exemplo, tinha subido 3,39%, e encerrou o ano com aumento de 1,13%.

Outro produto que é muito consumido nas festas da virada do ano, o bacalhau teve variação mais baixa antes do Natal (-8,60%) e fechou o mês com taxa de -7,50%.

Entre os cereais, o destaque é para o feijão, com queda de 3,24%. O arroz apresentou deflação de 0,02%.

Os demais grupos apresentaram em dezembro as seguintes variações: habitação, de 0,21%, em novembro, para 0,11%; transportes, de 0,35% para 0,43%; despesas pessoais, de 0,44% para 0,53%; saúde, de 0,23% para 0,20%; e educação, de 0,10% para 0,09%. (Agência Brasil - Marli Moreira)



Últimas

2020/12/04 » Receita Federal e Banco do Brasil iniciam arrecadação com Pix
2020/12/04 » Desentendimento político interrompe reforma tributária, diz Guedes
2020/12/04 » Pix tem 100 milhões de chaves registradas
2020/12/03 » Concessões de aeroportos, rodovias, portos e ferrovias entram no PPI
2020/12/03 » PPI tem 115 ativos para leilões e projetos de concessão em 2021
2020/12/03 » Venda de veículos automotores aumenta 0,45% de outubro para novembro
2020/12/03 » Produção industrial cresceu 1,1% em outubro, diz IBGE
2020/12/02 » CNI: produtividade do trabalho na indústria cresce 8% no 3º trimestre
2020/12/02 » Balança comercial registra superávit de US$ 3,73 bi em novembro
2020/12/02 » CNA prevê aumento da produção do agronegócio no próximo ano
2020/12/02 » População desocupada atinge 13,76 milhões em outubro
2020/12/01 » Ipea: investimentos têm alta de 3,5% em setembro
2020/12/01 » Contas públicas registram saldo positivo após oito meses de déficit
2020/12/01 » Estimativa do mercado financeiro para a inflação sobe para 3,54%
2020/11/30 » ANP retoma a 17ª Rodada de Licitações
2020/11/30 » Corretoras poderão atuar com pagamentos de boletos a partir de janeiro
2020/11/30 » Confiança da indústria atinge maior valor em dez anos, diz FGV
2020/11/30 » Fiscalização do Procon-SP registra infração em 70% de lojas visitadas
2020/11/30 » Taxa de desemprego passa de 13,3% para 14,6% no terceiro trimestre
2020/11/30 » Inflação do aluguel sobe e acumula 24,52% em 12 meses

Ver mais »